ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SÁBADO  24    CAMPO GRANDE 26º

Capital

Com 29 leitos de UTI abertos, prefeito quer dobrar número na semana que vem

Há ainda 37 leitos clínicos não-covid sendo abertos no Hospital de Câncer e São Julião

Por Lucia Morel e Nyelder Rodrigues | 10/03/2021 17:58
Leitos de UTI da Santa Casa. (Foto: Marcos Maluf/Arquivo)
Leitos de UTI da Santa Casa. (Foto: Marcos Maluf/Arquivo)

Em coletiva de imprensa hoje à tarde, o prefeito Marquinhos Trad (PSD) disse que irá abrir novas 29 vagas de UTI (Unidade de Terapia  Intensiva) para cuidados de pacientes com covid-19 em Campo Grande. A mesma quantidade foi aberta esta semana, todas destinadas ao SUS (Sistema Único de Saúde).

“Em tratativas, além dos 29 já conseguidos esta semana, queremos mais 29 pra semana seguinte”, comentou o prefeito. Todas essas vagas devem ser abertas em hospitais particulares, contudo, usadas pelo SUS.

Nesta semana, segundo a prefeitura, foram abertas 10 vagas no Hospital do Pênfigo, 12 no Hospital do Coração/Clínica Campo Grande e mais sete no El Kadri. Agora, serão mais 12 na Clínica Campo Grande, além de outras 10 no mesmo local em regime de disponibilidade - não são fixas, mas havendo disponibilidade, ficam para a rede pública.

Certos para semana que vem, estão novos cinco leitos na Santa Casa. Há ainda 37 leitos clínicos não-covid sendo abertos no Hospital de Câncer e São Julião, para onde irão pacientes que são tratados de outras doenças e precisarão ser transferidos para abrir espaço para as UTIs para pacientes com covid.

A ampliação de vagas é uma das medidas exigidas pelo MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), conforme explicou o procurador-geral do órgão, Alexandre Magno, durante coletiva ao lado do prefeito Marquinhos Trad e do secretário municipal de Saúde Pública, José Mauro Filho. A entrevista ocorreu após reunião sobre o toque de recolher.

"A realidade agora é diferente de antes. Pode até ser que os números de contaminação sejam menores, mas a ocupação hospitalar é maior. Temos exemplo Manaus, que aconteceu um caos dessa mesma maneira. Temos que cuidar também para não faltar medicamentos. As medidas tem que acontecer agora", defende.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário