ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEGUNDA  20    CAMPO GRANDE 23º

Capital

Com avanço da vacinação, prefeitura libera passe para idosos sem restrições

A liberação acontece depois da segunda e até terceira dose da vacina para o publico alvo

Por Caroline Maldonado | 14/09/2021 08:44
Idosos em ônibus da Capital. (Foto: Henrique Kawaminami)
Idosos em ônibus da Capital. (Foto: Henrique Kawaminami)

Foi revogado hoje (14), pelo prefeito Marcos Trad (PSD), o decreto que permitia aos idosos passe livre apenas das 9h às 16h. Com isso, fica liberado o uso do cartão normalmente para 30 mil idosos, porque a prefeitura acredita que o risco de contágio da covid-19 diminuiu muito com o avanço da vacinação.

A medida veio depois de solicitação de associação representativa dos idosos, que buscou a prefeitura para pedir a liberação, segundo o titular da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), Janine Bruno.

“Alguns idosos que representam associação procuraram a prefeitura, mas aí, havia essa preocupação de não permitir que circulassem no horário de pico, que era mais propensa a disseminação da doença, mas agora, como a maioria já tomou segunda dose e muitos tomaram até a terceira dose, chegou o momento de liberar o passe”, explica Janine.

Os idosos tiveram o passe livre suspenso no início da pandemia e puderam voltar a usar os ônibus sem pagar, somente em novembro do ano passado, com horários restritos. Desde fevereiro, eles podiam circular apenas das 9h às 16h, em qualquer dia da semana, conforme decreto da prefeitura da Capital.

Na última quarta-feira (8), não havia previsão de liberar outros horários, porque o risco de contágio da covid-19 ainda era grande para a terceira idade, em especial, com a ameaça da variante Delta, que já tem casos confirmados na Capital.

A informação foi repassada ao jornal pelo líder do prefeito na Câmara, vereador Roberto Avelar (PSD) e confirmada pela prefeitura, após questionamento de leitor do Campo Grande News.

Conforme o vereador, o diretor presidente da Agetran disse, naquele dia, que o assunto era tratado com responsabilidade entre a agência e as autoridades da Saúde.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário