ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUARTA  17    CAMPO GRANDE 22º

Capital

Com espetinho e tereré, espera por motociata reúne milhares na Afonso Pena

Motos estão reservadas para presidente Jair Bolsonaro (PL) e seguranças saírem na frente

Por Caroline Maldonado e Cleber Gellio | 30/06/2022 12:33
Apoiadore do presidente Jair Bolsonaro (PL) nos altos da Avenida Afonso Pena (Foto: Paulo Francis)
Apoiadore do presidente Jair Bolsonaro (PL) nos altos da Avenida Afonso Pena (Foto: Paulo Francis)

Antes da chegada do presidente Jair Bolsonaro (PL), os altos da Avenida Afonso Pena já reúne milhares que chegaram para segui-lo em motocicleta. Tem de tudo: tendas, espetinho, tereré, roda de oração, ambulantes, ciclistas, além de policiais e cavalaria da Polícia Militar.

Em local reservado pela polícia, motos esperam o presidente e seguranças que devem sair na frente dos apoiadores. Bolsonaro chega ao local após deixar o Jardim Canguru, onde inaugura condomínio popular.

O clima é de festa, só pesa no coração de alguns, o sentimento da falta de parentes e amigos que não apoiam o presidente. A servidora federal aposentada Elaine de Oliveira, de 63 anos, chegou às 10h para esperar a motociata. Para ela, participar da mobilização significa lutar pelo futuro dos jovens.

“Minha filha, de 26 anos, não é favorável ao presidente, assim como tantos outros jovens ela também foi iludida, como eu fui no passado. Mesmo com essas divergências, a gente se respeita. As pessoas não gostam do Bolsonaro porque ele é um homem sincero. Fico triste de ainda não convencê-la, mas ela está lá pensando e eu respeito”, comentou Elaine.

De camiseta amarela, a servidora federal aposentada Elaine de Oliveira, de 63 anos (Foto: Paulo Francis)
De camiseta amarela, a servidora federal aposentada Elaine de Oliveira, de 63 anos (Foto: Paulo Francis)

O produtor rural Luan Fontoura, de 23 anos, deu até folga para o funcionário participar do ato. Com um grupo de mais de 20 amigos, ele montou uma tenda na via que está bloqueada, onde faz espetinho e toma tereré.

"Viemos ver o presidente passar e apoiar. Vamos ver se conseguimos entregar um espetinho para ele. Não tem tubaína, mas tem tereré”, disse Luan.

Grupo de amigos fazendo espetinho na Avenida Afonso Pena (Foto: Paulo Francis)
Grupo de amigos fazendo espetinho na Avenida Afonso Pena (Foto: Paulo Francis)

O entusiasmo faz o pessoal comprar bandeira, bandana, corneta, toalha e camiseta. O vendedor ambulante Juca Batista, de 36 anos, comemora o investimento de R$ 5 mil em mercadoria. “Estou vendendo muito. Tem itens de R$ 10 a R$ 200. A mais cara é a bandeira de 2 metros de malha, mas o que mais sai é bandeira por R$ 50”.

Vídeo mostra a concentração de motos e pedestres no local:


Nos siga no Google Notícias