A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

29/02/2012 20:56

Sem ProntoMed, pais temem lotação em hospitais infantis

Jeozadaque Garcia

Setor de pediatria do pronto socorro particular da Santa Casa de Campo Grande não atenderá a partir desta quinta-feira

Pais temem que movimento no São Lucas aumente. (Foto: João Garrigó)Pais temem que movimento no São Lucas aumente. (Foto: João Garrigó)

Pais de crianças que são atendidas pelo setor de pediatria do ProntoMed, da Santa Casa de Campo Grande, temem que as consultas migrem para outros hospitais infantis da Capital e causem superlotação. Nesta quarta-feira (29) os médicos atenderam pela última vez no local. O setor não funcionará mais a partir de quinta.

O movimento hoje no hospital era tranquilo e poucos pacientes aguardavam atendimento. Adriana Passos Barbosa, que levou a filha de nove anos para ser consultada, reprovou o fechamento do setor.

“É ruim, pois o atendimento pode migrar para outros hospitais, que podem ficar sobrecarregados”, conta a professora, que tem preferência pelo Hospital São Lucas quando tem que levar a filha para um médico. Mesmo assim, leva para a Santa Casa por conta da superlotação.

“Já vim aqui umas de vezes e o atendimento nunca demora”, garante.

O ProntoMed anunciou o fim da pediatria no início do mês para ‘cortar gastos’. Por dia, até 50 pacientes passavam pelo setor. Dos oito médicos, a metade foi demitida e os outros quatro terão os horários remanejados, pois também trabalham em outras áreas do hospital.

Com o fechamento, os pacientes que eram atendidos na Santa Casa devem ser absorvidos pelo pronto-socorro do SUS do hospital, mas principalmente por outros hospitais particulares.

Wania Lopes Massi, que também é professora, aguardava atendimento para o filho de seis meses, que tinha febre. Ela nunca foi na Santa Casa, porém, acredita que a demanda de pacientes no São Lucas - que já vive lotado - deve aumentar mais ainda.

No Hospital da Criança, movimento também era grande nesta quarta-feira. (Foto: João Garrigó)No Hospital da Criança, movimento também era grande nesta quarta-feira. (Foto: João Garrigó)

“Isso é muito ruim para a população. Funcionário público agora só tem São Lucas e Posto de Saúde, onde o atendimento é péssimo”, conta a mãe, que diz estar ‘traumatizada’ com o serviço público de saúde e ficou sabendo pela TV do fechamento na Santa Casa.

“Vai sobrecarregar aqui [São Lucas], que é mais para atendimento básico. Se a criança precisa de terapia intensiva, a Santa Casa é melhor, tem mais estrutura”, garante.

Também no São Lucas, o autônomo Davi Pereira Oliveira, que acompanhava o filho de três anos, reclamou da demora no atendimento. “Parece que já está sobrecarregado. Estou aqui desde as 16h. Se fechar lá, aqui vai lotar mais ainda”, afirma.

No Hospital da Criança o movimentado era maior. A advogada Rosana Bellinati, que estava com o filho de um ano com gripe a febre, lamentou o fechamento do setor de pediatria.

“Vai superlotar mais ainda aqui. Isso revolta e a criança que paga”, critica.

Acompanhamento - De acordo com João Batista Botelho, da direção do Sinmed-MS (Sindicato dos Médicos de Mato Grosso do Sul), o sindicato foi contrário ao fechamento pois “prejudica a população e reduz o campo de trabalho dos médicos”.

No entanto, reconhece que é um direito do empregador optar pelo fechamento e não vai tomar nenhuma medida contra a decisão do Prontomed.

O sindicato ainda deverá interceder para que a Santa Casa ‘reaproveite’ os médicos em outros setores da Santa Casa, evitando demissões.

Fechamento de pediatria do ProntoMed não preocupa Sesau, afirma secretário
Secretário descartou possibilidade de fechamento também da pediatria do pronto-socorro da Santa Casa e afirmou que SUS consegue suprir demandaO anún...
Universidade do MS recebe certificação de excelência em gestão
Será recebida pela UCDB (Universidade Católica Dom Bosco) em solenidade que acontece na próxima segunda-feira (18) o certificado de excelência em ges...
Águas Guariroba continua com campanha de renegociação de dívidas
Vai até o dia 29 deste mês a campanha "Fique em Dia", realizada pela Águas Guariroba para renegociar as dívidas que os consumidores têm com a empresa...


Ontem fui até o São Lucas com meu filho de 3 anos com febre, dor e urinando sangue e em 40 minutos nem fizeram ficha. Então fomos ao Prontomed e o atendimento foi imediato!Agora só restará o S. Lucas para atendimento, pois o H. Criança não atende os servidores. O S. Lucas não tem estrutura pra emergências a noite, pois o laboratório e RX fecham as 18h e a doença não espera até o dia amanhecer!
 
Liliane Oliveira em 01/03/2012 11:20:09
TODOS OS HOSPITAIS COM PEDIATRIA ESTÃO FECHANDO , EL KADRI , PRONTO MED , QUERO VER DAQUI A POUCO PRA LEVAR AS CRIANÇAS COM URGENCIA ALTAS HORAS DA NOITE, DUVIDO ACHAR UM PEDIATRA DE MADRUGADA ,ENQUANTO SE GASTA DINHEIRO COM RECAPEAMENTOS SEM QUALIDADE , AVENIDAS NOVAS CHEIAS DE BURACOS , E O DINHEIRO PUBLICO INDO RALO ABAIXO, OU MELHOR NO BOLSO DE ALGUM GATUNO AI ...........
 
ADRIANO PIRES em 01/03/2012 10:53:39
Onde ja se viu uma capital com mais de 700 mil habitantes 2 hospitais para atender crianças ....Essa capital nunca vai ser melhor.... por isso que ate os famosos daqui se mudam de vergonha. nas entrevista nem falam e nem comentam daqui. de vergonha....
 
anderson silva em 01/03/2012 10:05:58
Isso é uma vergonha para a saúde da nossa Capital, uma cidade como Campo Grande com a quantidade de habitantes q tem, com um unico hospital p/atender crianças é de envergonhar qualquer cidadão. E depois ainda falam que saúde é prioridade, cade os direitos do cidadão que estão garantidos na C.F, cade o Ministério Público que defende os Direitos Coletivos??, precisam c/urgencia rever seus conceit
 
José Corsine em 01/03/2012 09:51:14
NÃO usar o PRONTO SOCORRO da SANTA CASA é puro preconceito por parte da polução. Problemas existem, sim existem, os administradores e o Poder Público precisa se dedicar mais a questão, mas nós pagamos impostos e devemos cobrar melhorias daquilo que é nosso. Enquanto isso alguns ENRIQUECEM as custas do infortúnio de muitos. Vamos abraçar a Santa Casa e impedir essa bandalheira na saúde.
 
eduardo de paula em 01/03/2012 09:33:23
NÃO POSSUO PLANO DE SAÚDE e tenho um filho de 9 meses, no mês passado, mesmo pagando particular, ELE FOI MUITO MAL ATENDIDO NO PRONTO MED, quer dizer não foi atendido. Fui então ao PRONTO SOCORRO da SANTA CASA, funcionários atenciosos e pediatras dedicados. O TEMPO DE ESPERA é menor do que os desses "PLANOS DE SAÚDE" que cobram uma fortuna e não remuneram dignamente o hospital, medico etc...
 
eduardo de paula em 01/03/2012 09:29:06
Sou esposa do Sr. Davi, ontem chegamos com nossa filha as 16 hs e saimos do Hospital São Lucas as 18:30, isso pq a Ponto Med ainda estava atendendo, agora imagina a partir de hj que nós ( funcionario publico ) só teremos o Hospital Infantil São Lucas para atendimento. Como disse a Sra. Wania só temos o hospital mesmo, pois os postos de saude da capital esta uma vergonha.
 
Eliana Matos em 01/03/2012 08:23:28
Dois bairros da periferia da Capital terão Praças de Esporte e Cultura

Investimentos federal e municipal totalizam R$ 8,3 milhõe

Materia do dia exibida aqui no proprio Campo Grande News dia 29/02/2012 14:45

Agora me diga para que Praças de esporte, por que não um Hospital Infantil.....

Brincadeira!!!!!!!!!!
 
Paulo Henrique em 01/03/2012 08:07:28
A maioria do atendimento conveniado e da UNIMED, ela e quem tem que oferecer atendimento para quem paga UNIMED! Por que o Miguel Couto nao atende pediatria só maiores de 14 anos????????????????? O MInisterio Publico não pode ver isso?
 
Gracyella Ortiz em 01/03/2012 07:50:56
A irresponsabilidade é geral: prefeito, governador, MP, interventores, todos eles são diretamente responsáveis pelas deficiências no atendimento à Saúde. Diante desse caos e da absoluta frieza dos governantes, pelo menos a CASSEMS poderia planejar -- o mais urgente possível -- uma clínica pediátrica 24hs. Não adianta esperar mais. Todos eles vão dar entrevistas cínicas com justificativas piores.
 
elias fernando em 29/02/2012 10:54:21
Aos nosso administradores públicos eu pergunto: já não passou da hora da Capital ter um Hospital Pediátrico Municipal? Enquanto são construídas grandes avenidas, nossas crianças estão caminhando para um beco sem saída: a superlotação no Hospital São Lucas e o mau atendimento nas unidades de saúde, nas quais tudo se trata com aspirinas...
 
Carlos Renato Lopes em 29/02/2012 10:25:48
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions