A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

06/02/2012 13:59

Fechamento do Prontomed vai superlotar PS e hospitais infantis

Paula Maciulevicius e Paula Vitorino

Média de atendimento do Prontomed é de 26 consultas por dia, que serão transferidas para a emergência do hospital que já contabiliza diariamente, 50 consultas pediátricas

“Não estamos fechando as portas, estamos cortando gastos com pediatras”, explica diretor. (Foto: Paula Vitorino)“Não estamos fechando as portas, estamos cortando gastos com pediatras”, explica diretor. (Foto: Paula Vitorino)

Com o fechamento do setor de pediatria do Prontomed, já anunciado na semana passada e confirmado hoje pelo diretor-presidente da junta administrativa da Santa Casa, Issam Moussa, durante coletiva, a contagem regressiva começa. A partir de março, quando a determinação entra em vigor, o problema vai ser a pediatria do Pronto Socorro sobrecarregada.

Para se ter noção, a média de atendimento dos nove pediatras do Prontomed é de 26 consultas por dia, que serão transferidas para a emergência do hospital que já contabiliza diariamente, 50 consultas pediátricas. Isso feito somente por dois pediatras.

“Não é muito atender 50 pacientes em um dia. Sou médico e acho que não é muito”, comenta Moussa, relacionando o atendimento à portaria do Ministério da Saúde que estabelece a média de 15 minutos por consulta.

Além de sobrecarregar o Pronto Socorro, a medida tomada pela junta administrativa deve concentrar pacientes no Hospital da Criança e São Lucas.

“Não estamos fechando as portas, estamos cortando gastos com pediatras”, explica o diretor-presidente.

A partir de março a pediatria do Prontomed mantém apenas a internação. O atendimento de urgência e emergência que era realizado no setor passa todo para o Pronto Socorro da Santa Casa e vai ficar concentrado no SUS.

“É importante dizer para a sociedade que ela não vai deixar de ser assistida. Ali no Pronto Socorro trabalham dois pediatras que vão continuar recebendo atendimento”, reforçou Issam Moussa.

Criado há 20 anos, a pediatria do Prontomed é o único setor onde os médicos são profissionais celetistas, que seguem a CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) e não por produtividade e somam R$ 80 mil à folha de pagamento.

A “economia”, defendida pela junta com o fechamento da unidade, será de mais de 50%. Em um cálculo apresentado hoje durante a coletiva, se os celetistas seguissem a remuneração por produtividade, como as demais especialidades, a folha de pagamento ficaria em R$ 25 mil.

“A Santa Casa não tem obrigação de ficar pagando para médico pediatra atender plano de saúde. Não tem que arcar com ônus desses pediatras. Se quiser atendimento, os planos de saúde vão ter que arcar com isso”, ressaltou Moussa.

Questionado sobre o por que a medida foi adotada apenas agora, depois de anos de funcionamento, o diretor diz “cabe a antiga administração dizer. Quando nós assumimos nos comprometemos a fazer o que tinha que ser feito”.

Ainda na tentativa de reverter a decisão, a Unimed e a Cassems entraram em contato para negociar com a administração do hospital. Uma reunião com a Cassems está prevista para a próxima quarta-feira.

Com fechamento, a Santa Casa já anunciou onde pretende investir. A hora de plantão paga para enfermeiros e médicos vai subir de R$ 52 para R$ 80.

A alternativa para os profissionais é de passar de celetista para remuneração por produção, o que quer dizer ganhar pela consulta que realizar e não um salário fixo. A posição do Sinmed-MS (Sindicato dos Médicos de Mato Grosso do Sul) é contrária ao que é oferecido.

“Seria submeter para um trabalho autônomo”, explica o presidente do Sindicato João Batista Botelho.

“Vai faltar médico, com certeza, mas os profissionais também têm direito de lutar para manter o contrato”, enfatiza.

Segundo o sindicato a decisão vai depender da classe médica em cima do que a empresa propor.



Caro Dr.Issam,

Gostaria de parabeniza-lo pela ousadia de encarar um problema de frente que a mais de 30 anos ninguem teve a coragem de resolver. Se existe vinculo trabalhista dos médicos pediatras atravês do regime CLT, não pode haver uma relação de profissional autonomo liberal, classificado como recebimento de "produtividade" dos convênios. Siga em defesa da população de MS... Parabéns!!!!
 
Ivandro Correa Fonseca em 08/02/2012 10:40:26
Isso é um descaso com nossas crianças.
Os meus impostos estão pagos, meu IPVA esta pago, Meu IPTU esta pago!
E a Saude? E a Educação?
Este é o Brasil, "PAIS DO CARNAVAL".
 
Viviane Correa em 07/02/2012 12:14:34
Diferente de outras cooperativas, o valor da consulta da UNIMED não é decidido em assembléia.
 
Luis Ribeiro em 07/02/2012 11:48:44
É uma choradeira da classe médica...eu trabalho no hospital regional e nunca vi ou sequer ouvi falar de um medico pobre...reclamam que recebem dos convênios valores absurdamente baixos, mas no fim as contas não fecham. O mais pobrinho aqui anda de BMW zero km, viaja pra Europa, janta nos melhores restaurantes, mora em condomínio de luxo...tudo isso ganhando "R$ 28,00" ? Plantão eu faço também !
 
Marcos Paulo Hypollyto em 07/02/2012 10:55:05
A população cresce a cada ano que se passa. Na minha opinião tinha que ter mais dois hospitais público para atender só crianças e outro para atender só os fraturados. Porque os fraturados? Do jeito que se anda vendo motos vai ter muita gente quebrada. Os acidentes vão aumentar a medida que a população aumenta.
 
Cida Barros em 07/02/2012 10:52:36
Sr. Luis Ribeiro, quem decide o valor dos atendimentos são os proprios cooperados do plano de saude atraves de uma assembleia, caso a Unimed, se não tem coragem de brigar por uma consulta mais elevado (80% não participa da assembleia). Eles são dono da Unimed, eles decidem e depois começa latir com essas atitude ridicula que dá prejuizo
 
Guilhermr A Filho em 07/02/2012 09:18:37
O que é prioridade?
Por isto sou contra o grande empenho do vereador suplente(não eleito) Athayde Nery em para que a Associação de Travestis, seja considerada de Utilidade Pública e passe a receber recursos públicos; detalhe é que o ou a presidente é do mesmo partido dele, o PPS. Estamos vendo que os recursos não são suficiente para atender crianças! VERGONHA!
 
Márcio Santos em 07/02/2012 03:41:11
Os planos de saúde tem que arcar com os custos. Antes da intervenção do poder publico, a Santa Casa era um shopping medico, vai ser dificil tirar os velhos vicios ,quem vai acabar pagando o pato vai ser os usuarios que pagam planos de saude para não terem que ficar nas filas para atendimento.
 
paulo henrique em 06/02/2012 10:41:30
minha filha tem plano da unimed; quando vai fazer uma consuta ortopedia é rx da santa casa.Quem paga conta???
 
marli jose de sa em 06/02/2012 08:21:50
Bem, já que temos EXCESSO de pediatras nos postos, principalmente fins de semana...
Considerando a TRANQUILIDADE que é ser atendido no Hospital de Criança em CG...
Considerando que a Santa Casa recebe, e não é pouco, recursos públicos.'
É fácil entender uma decisão como essa. Quando acho que já vi e ouvi de TUDO....
Não sei se a desconsideração é maior com os pediatras ou com a POPULAÇÃO.
 
Sandro Trindade Benites em 06/02/2012 08:20:16
Sou usuária da Unimed, sei que será um castigo enfrentar a fila no hospital da criança, já que o São Lucas e sem condições... Mas a Santa Casa esta certa o papel de atender pediatria para convenios nao e dela, eles tem que se preocupar com problemas bem maiores!! A Unimed e a Cassems que de conta dos seus!! Liberar atendimento no MIGUEL COUTO para menores de 14 anos!!!
 
Gracyella Ortiz em 06/02/2012 07:00:38
Sr Alex Santos.
Porque mais faculdades de Medicina resolveriam este problema???
É uma decisão administrativa da Santa Casa!!
Cobrem de seus planos de saúde que cobram um absurdo e pagam pouco mais de 28 reais uma consulta (descontado os impostos).
O atendimento de seus filhos vale 28 reais? Para seu plano vale!
Aprendam a ler uma notícia e saibam quem criticar!
 
Luís Ribeiro em 06/02/2012 06:35:04
o dr. issan, faz o que tem que ser feito, quem sabe o que ele fez na maternidade, pode confiar, acredito que ele deva estar sendo xingado por toda classe medica, porque sei que ele nao concorda com certos carteis que existem nesse meio.
 
luiz fernandes em 06/02/2012 05:01:40
A propósito, porquê os atuais administradores não abrem ao público, nós contribuintes, as bases contratuais desses convênios, quanto cada profissional ganha, quanto cada plano ou "convênio" para por procedimento realizado. Só ouvimos dizer em deficit da Santa Casa, que o Governo não manda recursos, etc. E os PLANOS PRIVADOS que usam o hospital, QUANTO REPASSAM, afinal, suas mensalidades são caras.
 
eduardo de paula em 06/02/2012 04:27:29
Isso é o cumulo do absurdo mais faculdades de medicina no país! Pelo amor de deus!
 
alex santos em 06/02/2012 03:45:25
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions