ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, TERÇA  25    CAMPO GRANDE 27º

Capital

Fechamento de pediatria do ProntoMed não preocupa Sesau, afirma secretário

Por Paula Vitorino | 16/02/2012 13:24

Secretário descartou possibilidade de fechamento também da pediatria do pronto-socorro da Santa Casa e afirmou que SUS consegue suprir demanda

O anúncio de encerramento dos atendimentos de pediatria no ProntoMed da Santa Casa “não preocupa a secretária”, garantiu o secretário de saúde de Campo Grande, Leandro Mazina, em declaração feita nesta manhã.

Ele ainda descartou a possibilidade dos atendimentos de pediatria serem encerrados também no pronto-socorro do SUS do hospital. “Isso á boato, não tem a menor possibilidade de acontecer”, frisa.

O secretário explicou que não existe preocupação de sobrecarga nas unidades de saúde públicas porque a demanda de pacientes atendidos no ProntoMed não deve migrar para o SUS e, sim, para outros locais que atendam emergências por convênios particulares de saúde.

“As unidades de saúde trabalham com o público alvo do SUS, os pacientes de convênios particulares dificilmente vão procurar os postos de saúde”, diz.

No entanto, ele garante que, se fosse preciso, o sistema público daria conta de suprir a demanda de atendimentos pediátricos do ProntoMed.

“Não chegam a 100 atendimentos diários no ProntoMed. A secretária de saúde tem total capacidade de absorver essa demanda”, garante.

De acordo com anúncio da Santa Casa no início deste mês, os atendimentos do setor de pediatria do ProntoMed serão encerrados a partir do dia 1º de março.

A diretoria do hospital informou que são atendidos, em média, 27 pacientes por dia no ProntoMed, o que totaliza cerca de 800 atendimentos pediátricos ao mês. Com o fechamento, esses pacientes devem ser absorvidos pelo pronto-socorro do SUS do hospital, mas principalmente por outros hospitais particulares.

A justificativa da diretoria da Santa Casa para o fechamento é de que não cabe ao hospital arcar com o salário dos 9 médicos que atendem no local, mas sim, aos planos de saúde.

Com isso, os médicos deixariam receber um salário fixo e ganhariam por produção, como acontece com os clínicos gerais do ProntoMed. O hospital anunciou que estava aberto para propostas dos planos de saúde, mas até o momento o fechamento do setor continua previsto.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário