A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 21 de Janeiro de 2018

20/06/2014 17:23

Com frio e tempo seco, gripe e doenças respiratórias lotam postos

Zana Zaidan
Pacientes de todas as idades lotam postos em busca de atendimento (Foto: Cleber Gellio)Pacientes de todas as idades lotam postos em busca de atendimento (Foto: Cleber Gellio)

Com os dias mais secos e frios, aumenta o número de pacientes com suspeita de gripe, que lotam as unidades de saúde de Campo Grande em busca de tratamento. Na UPA (Unidade de Pronto-Atendimento) do bairro Coronel Antonino, são realizados, em média, 250 atendimentos por dia, 65% deles relacionados aos sintomas da doença.

Os relatos, conta a enfermeira Fátima Romero, do setor de triagem da UPA, são quase sempre os mesmos – forte dor de cabeça e no corpo e febre. A Capital registra, ainda, casos de meningite e de H1N1, ambas com sintomas semelhantes.

“Na maioria dos casos, não passa de gripe, mas é preciso encaminhar os pacientes para realizar exames de sangue e ter um diagnóstico mais preciso. Cada um recebe uma recomendação, mas normalmente, tem sido medicados com Tamiflu”, explica Fátima, referindo-se ao medicamento antiviral recomendado para H1N1.

 

Jennifer procurou atendimento ao descobrir que sintomas da gripe são semelhantes aos da meningite (Foto: Cleber Gellio)Jennifer procurou atendimento ao descobrir que sintomas da gripe são semelhantes aos da meningite (Foto: Cleber Gellio)

Além do tempo favorável à proliferação dos vírus, a divulgação dos casos letais de meningite e H1N1 leva ao aumento da procura. É o que aconteceu com a recepcionista Jennifer Soares Oliveira, 22 anos. “Normalmente não venho ao posto, mas há três dias estou com uma dor de cabeça insistente, e moleza. Fiquei preocupada e resolvi vir me tratar logo, mas o médico disse que é um virose”, contou, depois de passar por atendimento, e levar para a casa a receita de tomar as doses de remédios por uma semana.

O caso do idoso João Mariano Domingos, 92 anos, era mais grave, conta o neto, Willian de Souza, 35. Internado desde ontem (19) no setor vermelho da UPA, ele precisa ser entubado com urgência. “Mas dizem que aqui não tem respirador, e que os hospitais estão lotados para transferir”, acrescenta Willian.

Há uma semana, João começou com uma gripe, que evoluiu para uma pneumonia. “Fizeram um raio-x e os dois pulmões dele estão tomados”, afirma o neto.

Prevenção – Para prevenir gripes e outros tipos de doenças causadas por vírus, a recomendação é evitar ficar em locais fechados, arejar os ambientes e cobrir a boca ao tossir e espirrar.

A vacina contra o vírus H1N1 também está disponível nos postos de saúde do municípios, agora para pessoas de todas as idades, depois que a meta do Ministério da Saúde foi cumprida. Basta verificar o estoque em casa unidade.

Após mortes, especialista alerta para risco de automedicação
Após duas mortes por meningite em menos de uma semana na Capital, o médico infectologista Rivaldo Costa alertou sobre os riscos da automedicação. A p...
Gripe mata mulher 1h20 após dar entrada em posto; 2ª morte na cidade
Uma mulher de 35 anos, que morreu uma hora e 20 minutos após dar entrada no Centro Regional de Saúde do Bairro Tiradentes, é a segunda vítima da grip...
OAB-MS abre inscrições para palestra sobre tributação na advocacia
A OAB- (Ordem dos Advogados do Brasil em Mato Grosso do Sul) em parceria com a Escola Superior de Advocacia de Mato Grosso do Sul realiza no dia 23 d...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions