A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 26 de Setembro de 2017

17/08/2017 12:35

Com heliponto e custo de R$ 138 milhões, hospital amplia vagas na rede privada

Após 920 dias de obras, complexo hospitalar será inaugurado amanhã em Campo Grande

Aline dos Santos
Hospital tem heliponto com área de 320 metros quadrados. (Foto: João Paulo Gonçalves)Hospital tem heliponto com área de 320 metros quadrados. (Foto: João Paulo Gonçalves)
Cezar (diretor clínico), Alan (gerente) e Sarita (presidente) apresentaram nova unidade à imprensa.  (Foto: João Paulo Gonçalves)Cezar (diretor clínico), Alan (gerente) e Sarita (presidente) apresentaram nova unidade à imprensa. (Foto: João Paulo Gonçalves)

Com investimento de R$ 138 milhões, o Hospital da Unimed Campo Grande inaugura amanhã (dia 18) com dez leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) ativos, capacidade total de até 202 leitos, nove pavimentos, dez salas cirúrgicas e área de 23 mil m² (metros quadrados), que inclui um heliponto de 324 m².

Nesta quinta-feira (dia 17), o hospital foi apresentado à imprensa. “É uma grande satisfação fazer essa entrega. Há uma dificuldade com leitos, principalmente na alta complexidade. Isso mostrou muito a necessidade de ampliar o recurso próprio”, afirma a presidente da Unimed Campo Grande, Sarita Garcia Rocha. O plano de saúde tem 1.600 médicos cooperados e mais de 100 mil clientes.

A unidade hospitalar fica no mesmo endereço, na avenida Mato Grosso, 4566, bairro Carandá Bosque, e não suspendeu atendimento em nenhum dos 920 dias de obra. A estrutura passou de 1 pavimento para 9. O número de leitos aumentou de 50 para até 202. E as salas cirúrgicas aumentaram de 4 para 10. No segmento da alta complexidade, serão 30 leitos de UTI.

De acordo com o diretor clínico, Cezar Augusto Galhardo, são 10 leitos de UTI adulto ativos e, conforme o plano de ocupação, que se estende até 2018, vai totalizar 30. Com mais 10 para adultos e dez unidades para crianças. Ele explica que o setor de pediatria e ortopedia deve ser ativado ainda neste ano. Mesmo na rede privada, a oferta de atendimento para crianças é reduzida. Também há previsão de implantar maternidade, mas sem prazo previsto.

Leito de UTI tem suporte à vida e arquitetura para priorizar luz natural. (Foto: João Paulo Gonçalves)Leito de UTI tem suporte à vida e arquitetura para priorizar luz natural. (Foto: João Paulo Gonçalves)

Conforme o gerente de Recursos Próprios, Alan Arraes, a ampliação começou em 9 de fevereiro de 2015. O heliponto foi homologado em abril. A unidade tem certificados do Corpo de Bombeiros, Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e o selo de qualidade ONA (Organização nacional de Creditação). O investimento em equipamentos foi de R$ 30 milhões.

Um dos pontos de visitas nesta quinta-feira, a sala de cirurgia tem área de 40 m² e várias réguas de gases medicinais nas paredes, para facilitar a locomoção da maca se for preciso que novos equipamentos sejam utilizados durante o procedimento cirúrgico.

A primeira cirurgia foi realizada em 17 de janeiro deste ano pelo médico Carlos Geraldo, que tem 35 anos de experiência. Segundo ele, a estrutura oferecida é similar a que se encontra nos melhores centro médicos do País.

Na UTI, além de equipamentos de suporte à vida, a arquitetura preservou a entrada de luz natural, para que a passagem do dia possa ser percebida, uma medida que “humaniza” o espaço. De acordo com a Unimed, a expectativa é que o hospital abra 1.500 vagas de empregos, sendo 500 diretos e 1 mil indiretos.

Veja abaixo vídeo e galeria de fotos:




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions