ACOMPANHE-NOS    
DEZEMBRO, SÁBADO  04    CAMPO GRANDE 25º

Capital

Com previsão de chuva com alagamento, prefeitura mobiliza mais de 400 pessoas

Meteorologista prevê até 73 milímetros e ventos entre 60 e 70 km/h na noite de sábado

Por Adriel Mattos | 22/10/2021 16:58
Prefeito Marquinhos Trad e vice-prefeita Adriane Lopes durante lançamento de plano de prevenção. (Fotos: Kísie Ainoã)
Prefeito Marquinhos Trad e vice-prefeita Adriane Lopes durante lançamento de plano de prevenção. (Fotos: Kísie Ainoã)

A Prefeitura de Campo Grande se antecipou à previsão do tempo e vai mobilizar 460 servidores para atuar na contenção de eventuais estragos que a chuva prevista entre sábado e domingo possa ocasionar. Segundo o meteorologista Natálio Abrahão, pode chover até 73 milímetros até a manhã de domingo (24).

“Podemos ter ventos entre 60 e 70 km/h, que podem provocar queda de árvores. A chuva pode atingir o volume total de 73 mm, sendo 48 mm em apenas uma hora na madrugada de sábado (23)”, explicou o meteorologista.

Portanto, a administração municipal determinou a limpeza de todos os bueiros e bocas-de-lobo já nas primeiras horas da manhã de sábado e solicitou o apoio do Consórcio CG Solurb, concessionária responsável pela gestão da limpeza urbana e o manejo de resíduos sólidos.

“Amanhecemos com notícias [da previsão do tempo] que nos causaram preocupação. Portanto, esclarecimento, prudência e cautela se fazem necessários, principalmente, por causa do episódio de dias atrás”, disse o prefeito Marquinhos Trad (PSD).

O meteorologista alertou para possíveis alagamentos na Vila Progresso, Vila Popular, região do Estádio Pedro Pedrossian (Morenão), região do Shopping Campo Grande, Carandá Bosque, região do Parque Ecológico do Sóter e região do Parque dos Poderes.

Marquinhos determinou limpeza de todos os bueiros e bocas-de-lobo a partir de amanhã.
Marquinhos determinou limpeza de todos os bueiros e bocas-de-lobo a partir de amanhã.

Além disso, a prefeitura acredita que os principais pontos críticos serão na rotatória das avenidas Rachid Neder e Presidente Ernesto Geisel, Via Parque e Avenida José Barbosa Rodrigues, na Vila Popular.

A Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos terá 100 servidores trabalhando na manhã de sábado e outros 200 ficarão de sobreaviso. Trinta caminhões e maquinários também serão usados.

Já a SAS (Secretaria Municipal de Assistência Social) terá 100 pessoas de prontidão, além de estoque de cestas básicas, colchões e cobertores para eventual necessidade de famílias atingidas.

A Agência Municipal de Habitação e Assuntos Fundiários também separou lonas e telhas para casas que possam ser destelhadas, além de manter equipes de plantão. Também estão mobilizadas equipes da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) e Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito).

A Central 156 e a Defesa Civil, através do telefone 199, terão reforço no atendimento durante o fim de semana.

Natálio esclarece que tempestade da semana passada não foi prevista com a intensidade que se viu, e que a tempestade de areia não é totalmente previsível.
Natálio esclarece que tempestade da semana passada não foi prevista com a intensidade que se viu, e que a tempestade de areia não é totalmente previsível.

E na semana passada? – Com a prefeitura preparada para uma nova tempestade, a pergunta que fica é porque não houve preparação para o evento de 15 de outubro, que registrou ventos de quase 100 km/h e estragos por toda a cidade.

“Estava previsto rajadas de vento, só não determinamos o potencial. Não previmos e não acertamos. Tempestade de areia não tem como prever”, justificou Natálio.

O meteorologista explica que uma tempestade de areia se forma após vários dias de estiagem. Quando a pressão atmosférica está alta e levanta poeira, forma-se a névoa seca que vemos no horizonte. “Já tem poeira no ar e quando há a formação de uma área de instabilidade e ela vem acompanhada de vento, daí acontece a tempestade de areia”, explicou.

Previsão do tempoA empresa Climatempo alertou que Mato Grosso do Sul pode ser atingido, novamente, por uma tempestade de poeira no próximo domingo (24), ainda que em menor intensidade que a outra vez.

Isso poderia ser provocado por conta da combinação de fortes ventanias e da passagem dessa frente fria. “A forte incidência de temporais gera risco iminente de vendaval e a possibilidade de levantamento de poeira novamente”, diz o boletim.

“A combinação destes fatores: chegada de temporal, vendavais e solo seco gera a possibilidade da formação de nova nuvem de poeira, mesmo que de forma menos intensa que a observada na última semana”, conclui.

Porém, o professor e pesquisador em Climatologia da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), Julio Cesar Gonçalves explica que, possivelmente, não deve acontecer o mesmo fenômeno.

“Com o aumento da umidade do solo em decorrência das chuvas mais intensas, início do plantio (menos solos expostos) e a diminuição dos incêndios no Cerrado e Pantanal, não favorece a ocorrência de novos fenômenos como este visto no dia 15”.

Já conforme o Cemtec (Centro de Monitoramento do Tempo e Clima de Mato Grosso do Sul), há previsão de chuvas com tempestades acompanhadas de raios e rajadas de vento entre 50km/h a 100Km/h para o fim de semana, em todos os municípios sul-mato-grossenses.

No entanto, nesta sexta-feira (22), deve acontecer um dia ensolarado e com poucas nuvens, com expectativa de pequenas pancadas de chuva isoladas na região sudoeste e no Pantanal. Além disso, a temperatura deverá ficar entre 15ºC, sobretudo na madrugada, e 37ºC em lugares que fazem parte do bioma pantaneiro.

Segundo o órgão estadual, hoje, há mais chance de chuvas fortes nas macrorregiões de Campo Grande e de Corumbá. Já nas proximidades de Três Lagoas, Paranaíba, Dourados e Sete Quedas, a probabilidade é menor.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário