A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

23/10/2012 18:10

Condenado a 17 anos funcionário público que "vendia" casas populares

Ele começou a ser investigado no ano passado e pode recorrer em liberdade

Nadyenka Castro

O funcionário público Celso Roberto Costa, 36 anos, foi condenado a 17 anos e seis meses de prisão em regime fechado pelo crime de estelionato. Ele ‘vendia’ casas populares a pessoas que tentavam um imóvel em programas do governo.

O estelionatário começou a ser investigado no ano passado quando duas pessoas que ‘compraram’ casas dele o denunciaram à Polícia Civil. Foi verificado que Celso, conhecido como Mário Covas, afirmava que como assessor de vereador, conseguiria que a pessoa fosse sorteada pela Agehab (Agência Estadual de Habitação) ou Emha (Empresa Municipal de Habitação) e para isso, cobrava entre R$ 300 e 800.

Após as primeiras denúncias, a Polícia Civil localizou outras vítimas e o MPE (Ministério Público Estadual) o denunciou por 11 casos ocorridos entre 2008 e 2011. A defesa de Celso pediu a absolvição sob o argumento de que não houve qualquer indução ou manutenção das vítimas em erro.

O juiz titular da 1ª Vara Criminal de Campo Grande, Thiago Nagasawa Tanaka, o condenou em 10 casos, o absolvendo em um que cobrou R$ 600, em 2011.

Para o magistrado, a autoria e materialidade do crime ficaram bem evidenciadas nos autos, fato reforçado pela própria confissão do funcionário público. Além disso, os depoimentos colhidos corroboram com a confissão no sentido de que ele teve tal conduta.

Conforme o magistrado, “as provas angariadas são claras em demonstrar que o acusado, ardilosamente, aplicou diversos golpes utilizando-se do privilégio social de ser assessor de vereador e dizendo ser pessoa bem relacionada com outros funcionários e políticos desta Capital, ludibriando e obtendo vantagem ilícita em desfavor das vítimas acima mencionadas, no intuito de favorecê-las no processo de sorteio das casas populares da Agehab e Emha, mesmo não tendo influência alguma em tal evento”.

A pena-base foi fixada em um ano e seis meses de reclusão e 25 dias-multa, fixado o valor de dia-multa em 1/30 do salário mínimo que deverá ser corrigido na forma da lei, diante da condição econômica do réu.

Militou em favor do réu a atenuante da confissão espontânea do crime, no entanto, o juiz observou que o réu teve como agravante o fato de ser reincidente. Por fim, a pena definitiva foi fixada em um ano e novs meses de reclusão e 25 dias-multa por 10 vezes. Somando-se todas as penas, foi condenado a 17 anos e seis meses de reclusão e 250 dias-multa em regime inicialmente fechado.

Celso foi preso em flagrante em maio de 2011, por extorsão. Está solto desde maio deste ano e, conforme decisão do juiz titular da 1ª Vara Criminal de Campo Grande, Thiago Nagasawa Tanaka, poderá recorrer da sentença em liberdade.

Polícia ouve Paulo Matos e mais dois em caso de venda de casas populares
Delegacia intimou e aguarda depoimento de pessoas que disseram ter sido beneficiadas pelo esquema A Dedfaz (Delegacia Especializada de Defraudações)...
Vereador nega acusação de envolvimento em esquema de casas populares
O Vereador Vanderlei Cabeludo (PMDB), vítima de extorsão em suposto esquema de favorecimento na distribuição de casas populares, está de licença médi...


É.... quem mandou mexer com gente graúda. Aqui em MS é assim.
 
Anita Ramos em 24/10/2012 11:44:45
pra variar a corda arrebentou pro lado mais fraco!! e os denunciados pelo acusado?todos inocentes??!!brincadeira,né?
 
Claudio Santana em 24/10/2012 11:24:42
só existe coisas erradas, porque tem quem compra,senão tivesse os q querem se dar bem, não seriam ludibriados, se fosse eu perderia o q dei e nem mostrava meu rosto!
 
sueli guerreiro de araujo em 24/10/2012 10:33:07
algum vereador teve vantagem nisso???
 
jose santos em 24/10/2012 10:19:57
ele foi condenado porque cometeu um crime de estelionato parabens mas o que noticiava que ele nunca tava sozinho para fazer isso" esse é o cara e o resto"
 
adenir augusto ferreira em 24/10/2012 09:53:03
NÃO É SÓ ELE NÃO MP DA MAIS UMA VASCULHADA AI QUE VCS ENCONTRARAM MUITO MAIS,SE DIZEM QUE AS CASAS E PARA PESSOAS DE BAIXA RENDA ENTÃO TEM BAIRRO NOVO AQUI NA MINHA REGIÃO QUE NÃO PARECE PESSOAS DE BAIXA RENDA FIKA DICA.
 
lucia helena moraes em 24/10/2012 08:49:08
A corda só arrebenta do lado mais fraco. Se balança esse galho cai muito macaco gordo.
 
Wilson Soares em 24/10/2012 08:23:56
Interessante esse caso teve vídeo envolvendo outras pessoas grandes e só esse laranja foi punido? Nossa, interessante. Um dia isso vai mudar, eu credito.
 
luiz alves em 24/10/2012 08:18:41
É por esses e outros motivos que devem se feito sorteio, em ato público, das casas populares.




NEI SALVIANO
publicitario.



 
nei salviano em 24/10/2012 07:28:17
tá bom o rapaz é estelionatário mas e os outros espertinhos que pagaram a propina?queriam ser mais espertos que os outros furando a fila de pessoas bem intencionadas que ficam esperando anos por uma casinha!!! esses são mais bandidos ainda...
 
cristina nascimento em 24/10/2012 00:19:18
Nossa, o camarada entregar sua dignidade, sua moral e seus princípios, se é que tinha por 300 a 800 Reais, que isso...
 
Vagner Moraes em 23/10/2012 23:17:18
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions