A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 19 de Abril de 2019

06/02/2019 17:08

Correndo contra o tempo, captação de órgãos garantirá transplante de coração

Rins, fígado e córneas ajudarão seis pessoas entre Campo Grande e São Paulo; procedimento de captação, que durou cerca de 3 horas, foi realizada na Santa Casa

Liniker Ribeiro e Guilherme Henri
Equipe colando caixas térmicas onde órgãos são transportados até hospital de São Paulo (Foto: Guilherme Henri)Equipe colando caixas térmicas onde órgãos são transportados até hospital de São Paulo (Foto: Guilherme Henri)

Equipes médicas da Capital e do Estado de São Paulo correm contra o tempo para garantir o transporte de órgãos captados na tarde desta quarta-feira (6), na Santa Casa de Campo Grande. Além dos rins, fígado e córneas, o coração do doador, um homem de 36 anos, também foi captado e está sendo levado para São Paulo (SP), onde o paciente beneficiado já está internado e no aguardo da chegada do órgão.

Uma operação foi montada para garantir o transporte do coração em tempo hábil. De acordo com o médico cardiologista Ronaldo Honorato, que participou da cirurgia de captação, o transplante precisa acontecer no prazo máximo de 4 horas desde o momento da coleta.

O coração foi transportado em uma caminhonete da Secretaria Municipal de Saúde, que foi escoltada por pelo menos três viaturas do Corpo de Bombeiros até o Aeroporto Internacional de Campo Grande. De lá, o órgão segue em um avião até São Paulo, em um voo estimado de 1h30.

O transplante será realizado no Hospital Incor, onde o paciente já está preparado para cirurgia. “Nada disso seria possível se não fosse à vontade da família que, mesmo em um momento de dor, autorizou a doação”, ressaltou Honorato.

Além do coração, um rim e o fígado também estão sendo levados para São Paulo. O outro rim, assim como as duas córneas, ficam em Campo Grande. De acordo com a assessoria de imprensa da Santa Casa, a pessoa que receberá o rim, na Capital, já está internada e a operação será realizada ainda hoje, no período da noite.

Ao todo, os órgãos captados na cirurgia que durou aproximadamente três horas, ajudarão seis pessoas. Só em janeiro, quatro rins foram transplantados no maior hospital do Estado, segundo a assessoria de imprensa da Santa Casa. O maior número desde 2016.

Doador – As doações foram possíveis graças a aceitação da família do doador, de 36 anos. O paciente, que pilotava uma motocicleta e foi vítima de um acidente de trânsito, teve morte cerebral constatada ontem (5).

Números - Em 2018 a OPO da Santa Casa encerrou o ano com 41 captações de órgãos. Ao todo foram captados 59 rins, 23 fígados, um pulmão, três pâncreas e sete corações. Durante todo o ano foram constatadas 123 mortes encefálicas, destas, 48 tiveram recusa médica e 35 tiveram recusa familiar.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions