A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

07/12/2014 09:49

Corrida reúne 700 militares para comemorar 70 anos da Base Aérea

Caroline Maldonado
Civis e familiares dos militares puderam participar do trajeto em ritmo lento (Foto: Marcos Ermínio)Civis e familiares dos militares puderam participar do trajeto em ritmo lento (Foto: Marcos Ermínio)
Corrida reuniu mais de 700 militares no Parque das Nações Indígenas (Foto: Marcos Ermínio)Corrida reuniu mais de 700 militares no Parque das Nações Indígenas (Foto: Marcos Ermínio)

Mais de 700 militares da Força Aérea participaram de corrida na manhã de hoje (7), em Campo Grande. Eles saíram do Parque das Nações Indígenas e percorreram aproximadamente quatro quilômetros. A ideia do evento, que encerra as comemorações de 70 anos da Base Aérea, é dar visibilidade aos militares que muitas vezes passam despercebidos, pois atuam em especial nos ares.

Cantando e correndo em marcha lenta para que civis e familiares acompanhassem a corrida, os militares chamaram a atenção de moradores dos altos da Avenida Afonso Pena, Via Parque eu Mato Grosso, percurso da corrida.

Antes do aquecimento, o Coronel Potiguara Vieira Campos iniciou as atividades, lembrando que a corrida é uma oportunidade para que as pessoas vejam de perto a corporação que está sempre nos ares ou dentro da base. “A corrida foi pensada especialmente para agora, justamente porque a Força Aérea é diferente, pois estamos nos ares ou dentro da base e hoje essa atividade é para estimular a tropa e ser um momento lúdico também para as crianças e todas as famílias acompanhar.

Durante todo o ano, outras atividades para o público marcaram as comemorações de aniversário, como portões abertos, baile e a exposição em outubro, no Shopping Bosque dos Ipês. O objetivo, segundo o coronel, é mostrar que a aeronáutica é tão próxima e responsável pela segurança da população, quanto as outras forças.

“A vida da gente é uma corrida. A gente vê colegas ficando para trás e só pensa em chegar logo e esquece o que é bonito, mas hoje aqui será diferente nós vamos correr até devagar”, disse o coronel, ao destacar a importância da presença de famílias e outras pessoas, que acompanhavam as atividades no Parque das Nações Indígenas.

Dentre os que aceitaram o desafio de levantar cedo e participar da corrida nesta manhã, estão as filhas do major Alexandre Chagas. Bárbara Chagas, 15 anos e Lavínia Chagas, 16 anos, brincam que foram mesmo é “escaladas” para estar lá, mas o sorriso nos rostos entregam a afinidade com a atividade do pai.

“Fomos escaladas”, diz Lavínia, ao contar que ainda não se decidiu sobre a profissão, mas pensa em seguir os passos do pai. “Já pensei, mas ainda não decidi. Me atrai, porque a gente já se sabe como é e por ser um emprego fixo”.

Para Bárbara, que gosta de atletismo a carreira atrai e animo para a rotina de militar não falta, mas é cedo para se decidir. “Também gosto da carreira militar, mas penso também em fazer psicologia. É bom pela estabilidade, mas ainda não sei”, diz.

Cerv Já – Outra corrida reuniu mais de 300 atletas da Avenida Afonso Pena, entre a Rio Grande do Sul e o Parque dos Poderes. A 1ª Corrida da Cerv Jà teve percurso de oito quilômetros e entregas de medalhas e kit com caneca de chopp.

O objetivo da corrida é estimular a prática de esportes e ser ainda uma confraternização, de acordo com a organização do evento. Com isso, a Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) interditou a Avebida Afonso Pena, entre a rua Rio Grande do Sul e Avenida do Poeta, a partir das 6h30.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions