A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

23/03/2011 10:39

Cortejo com o corpo de Lúdio Coelho segue para o Parque das Primaveras

Paula Vitorino e Ítalo Milhomem

Ex-funcionários do político foram até o velório para prestar última homenagem

Cortejo segue até o Parque das Primaveras. (Foto: João Garrigó)Cortejo segue até o Parque das Primaveras. (Foto: João Garrigó)

O corpo do senador Lúdio Coelho saiu há pouco em veículo dos Bombeiros da Câmara Municipal, onde era velado, e segue em cortejo para o cemitério Parque das Primaveras. Equipes da Polícia Militar de Trânsito e Agetran fazem a escolta. Pessoas da família levaram o caixão do ex-senador até viatura.

O enterro de Lúdio Coelho está previsto para às 11h, no cemitério Parque das Primaveras.

Desde o início da noite de ontem, a população foi até a Câmara Municipal para prestar as últimas homenagens a Lúdio Coelho, que morreu na tarde de terça-feira (22), em Campo Grande.

O velório do ex-senador foi marcado pela admiração e o carinho de parentes e políticos, mas também de pessoas que há muitos anos não conviviam com Lúdio e mesmo assim continuavam considerando o ex-prefeito como um “bom amigo”.

É o caso do aposentado Vivaldo Henrique Silva, de 58 anos, que trabalhou em uma fazenda de Lúdio por volta de 1985 e há 14 anos não tinha mais contato com o ex-patrão.

“Vou considerar o Lúdio como um amigo eterno. Ele vai fazer muita falta”, afirma.

O aposentado diz que recebeu a notícia da morte pela imprensa e demorou para acreditar no fato. “Fiz questão de vir para prestar as últimas homenagens”.

Sobre o político, Vivaldo diz com certeza “Campo Grande não seria do jeito que é, senão fossem as boas iniciativas do prefeito Lúdio”.

Caixão é levado por parentes, até carro dos Bombeiros.Caixão é levado por parentes, até carro dos Bombeiros.

Já a também aposentada, Cida Roque Valério, de 75 anos, bastante emocionada, lembra do filho do ex-senador que foi morto por seqüestradores, Ludinho, e da bondade de toda a família Coelho.

“Trabalhei como empregada na casa dele quando o Ludinho ainda era pequeno e a mãe dele viva. Pessoas muito boas. Minhas três filhas começaram a estudar com o incentivo dele e foram as primeiras alunas da Escola Lúcia Martins Coelho”, conta.

Para a dona de casa, Vera Moreira, de 55 anos, a maior lembrança que fica de Lúdio é a alegria.

“Uma pessoa muito boa, sempre alegre. Uma pessoa maravilhosa. Tudo que ele fazia era marcante, porque ele fazia com alegria e com o coração”, ressalta.

Vera é moradora do bairro José Pereira e também lembra que o então prefeito da Capital foi um dos grandes incentivadores da criação do bairro. Ela conheceu Lúdio na época em que sua família vendia marmitas para os familiares do político.



As poucas oportunidade de estar com ele, o meu aprendizado foi grande.Adimirava-o pela sua simplicidade e respeito que ele tinha para com todos. Jamais sera esquecido
 
jose bajuca em 23/03/2011 11:28:57
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions