A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

08/04/2013 18:46

Cresce total de casos de coqueluche e médico alerta pela amamentação

Nícholas Vasconcelos e Francisco Júnior
Pai defende campanha para conscientizar sobre o risco da coqueluche (Foto: João Garrigó)Pai defende campanha para conscientizar sobre o risco da coqueluche (Foto: João Garrigó)

Neste fim de semana, cinco crianças foram internadas na Santa Casa de Campo Grande com coqueluche e uma delas precisou ser transferida para a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) devido à gravidade do quadro de saúde. O aumento atípico dos casos da doença chama a atenção dos médicos, que alertam que a amamentação pode ser saída para evitar complicações nos pequenos.

O assessor parlamentar Thiago Brandão levou um susto ao saber que o diagnóstico para a tosse do seu filho, Matheus, era de coqueluche, doença contagiosa transmitida por uma bactéria. O diagnóstico só veio 28 dias após o início dos sintomas e a criança, de apenas oito meses, passar por cinco médicos e tomar 14 medicamentos diferentes.

Ele conta que o filho apresentou quadro de febre e diarréia após tomar a vacina prevista para idade. “A gente achou que a febre fosse alguma reação da vacina, suspeita que foi confirmada pelo médico”, revela. Porém, passados cerca de 8 dias, os sintomas não cessaram ele levou a criança novamente para o hospital. “Desta vez o diagnóstico foi virose e o médico receitou mais remédios”.

Como continuou apresentando os sintomas mesmo tomando medicamentos, Matheus foi levado ao médico mais três vezes. Neste período, ele fez vários exames , segundo Brandão, mas nada fazia o filho melhorar. “Ele tomou remédio contra alergia, tosse, mas nada passava”.

Só no quinto retorno é que o bebê foi diagnosticado com a doença. “A minha mulher estava na sala de espera do consultório, quando meu filho começou a tossir e a médica escutou. Ela chamou minha mulher para sala e examinou meu filho e disse que a tosse era do tipo coquelucheia”, disse.

Sem saber o que fazer, parentes disseram que Thiago deveria procurar leite de égua já que essa era uma prática adotada para tratamento. O pai então resolveu apelar ao Facebook, postou uma foto com o filho durante uma inalação e pediu doações do leite. Em pouco tempo, vários compartilhamentos do apelo e a ajuda inesperada.

“Não tenho palavras para agradecer a solidariedade das pessoas. Nos dias de hoje que as pessoas não estão preocupadas com o problema do outros, receber esse carinho foi maravilhoso”, agradece.

 

Thiago compartilhou fotos do filho para pedir ajuda nas redes sociais. (Foto: Facebook)Thiago compartilhou fotos do filho para pedir ajuda nas redes sociais. (Foto: Facebook)

De acordo com o médico pediatra Sandro Benites, a coqueluche fica em um quadro de encubação por uma semana, seguido por sintomas parecidos com o de uma virose e após dez dias começam os sintomas característicos: tosse prolongada seguida por um guincho, que é uma tentativa de respiração, e o paciente chega a ficar arroxeado. Todo o quadro clínico da doença chega a durar

“A coqueluche é uma pneumonia sem a característica da febre”, explica o especialista.

Sandro explica que a coqueluche é causada pela bactéria Bortedella Pertussis, que não é atacada por antibióticos comuns. Para o tratamento da doença é preciso um tipo específico de remédio, que age diretamente no DNA da bactéria.

A vacina da coqueluche é oferecida gratuitamente pelo Ministério da Saúde e a criança recebe a imunização aos dois, quatro, seis meses e um ano e meio. Antes dos dois meses não há forma médica de prevenção e até que se complete o ciclo de vacinação o bebê continua exposto ao risco. A única solução para evitar a doença ou a ocorrência dela com maior gravidade é a amamentação.

“O único jeito que vai proteger a criança é o leite materno já que todas as doenças e vacinas que a mãe recebe, ou teve, ela produz anticorpos que ela passa pelo leite”, disse. O pediatra alerta que os casos mais graves são aqueles que não estão amamentando.

“Os casos aumentaram tanto pelo SUS quanto pelos atendimentos particulares, de convênio. A coqueluche não distingue classe social”, destaca.

Sobre o recurso do uso de leite de égua, o pediatra afirma que a prática não passa de uma lenda urbana e que inclusive pode trazer riscos às crianças. “A égua não foi não teve coqueluche, não foi imunizada, além do leite não ser pasteurizado. E o leite humano atende todas as necessidades do bebê”, reforça.

Usando o caso do filho como exemplo, Thiago pretende iniciar uma campanha para orientar a sociedade sobre os perigos da doença. “A gente não vê muita informação sobre os riscos da coqueluche. È uma doença perigosa que pode trazer graves problemas. Não quero que outras pessoas passem pelo meu filho passou”. De acordo com ele, vários amigos e parentes estão mobilizados nessa iniciativa.

Apesar de todo o transtorno até a descoberta da doença, Matheus está em plena recuperação.

O Campo Grande News entrou em contato com a assessoria de imprensa da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) para saber sobre a situação da doença na Capital, mas não houve retorno.

Confundido com ladrão, homem causa acidente e acaba agredido
Flávio Guimarães Fernandes, 39 anos, foi confundido com ladrão e agredido por moradores após se envolver em acidente. O caso aconteceu na madrugada d...
Sesau e SES recolhem quase 10 toneladas de lixo no Jardim Noroeste
A ação de recolhimento de lixo realizada em casas e terrenos baldios no Jardim Noroeste - bairro localizado na regiões leste de Campo Grande - somou ...
Apae recebe doação de brinquedos da campanha Compartilhe o Natal
Foi iniciado nesta segunda-feira (11) a entrega de brinquedos arrecadados na campanha "Compartilhe o Natal", realizado pelo Ministério Público Estadu...


casos de coqueluche está aumentando em nosso país,eu contraí a doença e tenho 44 anos,minhas sobrinha e filha também,antibioticos fortes ajudam,mas consulte o medico,quanto ao leite de égua citado no artigo ele funciona alivia bastante.
 
clodoaldo godoi pereira em 23/01/2014 20:39:37
Olá! Espero que seu filhinho esteja bem. Minha filha tem 1 ano e 11 meses e só após 17 dias de tosse e 3 pediatras ela foi diagnosticada com coqueluche, fiquei apavorada, as crises dela eram terríveis, perdia o fôlego e se não a socorrêssemos ela não voltava a respirar sozinha, fora uma gosma que ela vomitava e que a sufocava muito. As pessoas não conhecem muito sobre a coqueluche, assim como eu não conhecia, tive que fazer pesquisas na net para entender melhor sobre essa doença, e o pior é que os médicos estão demorando a diagnosticar, eles afirmam que é apenas uma tosse alérgica. Não acreditem nisso. Já tem 1 mês e 2 semanas que estamos lutando com nossa filha, e o pior e que pode durar mais de 3 meses.É preciso divulgar que a coqueluche voltou!!!!!! Ajudem!!!!! Somos de Barra do Piraí.
 
Geisilaine Santiago de Souza Soares em 29/12/2013 19:23:04
oi eu moro em Dourados ms o meu filho de dez anos tomou todas as vacinas e pegou coqueluche e nos tratamos como gripe e só depois que o meu bebe de 4 meses adquiriu a doenças e após ter passado por 5 médicos que foi diagnosticado a coqueluche estou administrando antibióticos e leite de égua, que nós conseguimos no setege tradições gauchas.

nossa com a graça de Deus meu filho já esta ganhado peso novamente.
 
maria lucia soares de araujo em 28/10/2013 14:11:50
Sim eu mim lembro que tinha os vizinhos que teve á torci comprida e Elis levava os filhos para domar Leite de égua , sol tirava o leite e dava para ais criança tomar na hora, sol que ais criança tinha entre 4 e 6 anos isto era no ano 1960
 
José Cardeal em 19/09/2013 16:31:52
Gente,eu li a reportagem e queria saber o quanto de leite de égua eu posso dar pra uma criança de 1 ano e meio?
Ele não tem essa doença,mas esta com baixa imunidade,abaixo do peso,com tosse,entre outros probleminhas e me disseram que o leite é bom pra deixar ele mais fortinho...
Quem souber me responder,por favor...
Obrigada.
 
Mariane Campos em 09/07/2013 11:10:13
Muito importante a amamentação ao seio pois as mães passam anticorpos da classe IgG para seus bebes, mas eles não são capazes de gerar níveis anticorpos elevados e duradouros. Para isso existe a vacina, e recentemente a "estratégia cocoon": vacinar os adultos para proteger as crianças, principalmente pois as mesmas não estão imunes até fazer a terceira dose da tetra bacteriana (com 6/7 meses de vida). Infelizmente mais de 50% dos casos de transmissão da coqueluche esta em casa: mães, avos, irmãos, pais. Vacinem-se.
 
Ana Carolina Nasser em 10/04/2013 07:45:37
Olá, tenho 33 anos meu irmão e eu tivemos coqueluche quando eramos crianças, eu me lembro da minha avó, levando nóis dois para tomar, leite de cabra tirado na hora com mel e fazia a gente andar descalço na grama por causa do horvalho da noite. Isso nos curou naquele tempo não tinha bons medicamentos no mercado contra a doença e faziamos inalação, e por 7 dias tomamos leite de égua que vinha direto da fazendo com meu avô.
Hoje, em dia tomo muito cuidado com minha pequena que tem 2 anos para q não passe pelo o que eu passei. Seu filho vai crescer forte e robusto parabéns ao casal pelo filho lindo.
 
lilian merjan em 09/04/2013 09:16:05
Olá meu filho também esta com a doença, estou na procura de um pneumologista para dar um diagnóstico melhor, estou em desespero, pois desde do dia 26/04 ele esta assim, espero que seu filho melhore, também estou na procura do leite de égua a pesar de não sei confirmado a cura.
 
Daisy Souza em 09/04/2013 09:14:38
Acho que o alerta mais importante é para o ato de vacinação, vejam que a doença foi desencadeada após tomar uma vacina. Segundo o calendário de vacinação a criança recebe a "imunização" aos 2, 4 e 6 meses, o bebê tinha 8 meses, ou seja, após tomar 3 doses da vacina, ainda pegou a doença. Então, será que está valendo a pena intupir a crinaça de vacina?
 
Fabricio Donida em 09/04/2013 09:03:02
Não sou contra ao que os medicos dizem a respeito do leite de égua, porém se é lenda ou simpatia, eu fui curada porque minha mãe me deu quando tive esta doença,sou casada tenho 2 filhas saudáveis...
 
Silvane meira em 08/04/2013 23:03:30
Ola gurizão muita felicidade pra ti e pra sua familia.Melhoras para os seus filhos.Este menino vai ser terrivel igual o pai na escola..kkkkkkk Abraço.
 
Pafôncio da Fonseca. em 08/04/2013 20:18:03
Thiago que bom que seu filho está se recuperando. Fico feliz por você e sua esposa. Que Deus abençoe vocês.
 
Olivia Barbier em 08/04/2013 19:51:45
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions