ACOMPANHE-NOS    
MAIO, DOMINGO  22    CAMPO GRANDE 14º

Capital

Decreto permite que mototaxistas trabalhem com veículos mais antigos

Onda de aplicativos de corrida estremeceu categoria, que reivindicou poder trabalhar com motos fabricadas há 8 anos

Por Izabela Sanchez | 06/02/2020 09:34
Ponto tradicional de mototáxi na Avenida Afonso Pena em Campo Grande (Foto: Kisie Ainoã)
Ponto tradicional de mototáxi na Avenida Afonso Pena em Campo Grande (Foto: Kisie Ainoã)

A chegada das empresas de aplicativos de transporte em Campo Grande balançou o setor de táxis e mototáxis, em queda ao menos desde 2017. Agora, a categoria espera reverter um pouco esse balança, com o aumento do tempo útil permitido aos veículos de trabalho. Alteração em decreto permite que mototaxistas conduzam veículos com até oito anos de fabricação.

A mudança veio com alteração em decreto de 2001. Antes, o limite era de até cinco anos. Conforme divulgou a Prefeitura, o pedido veio do Sindicato dos Mototaxistas, que alega desgaste menor nas motocicletas, que rodam menos com a perda do serviço abocanhado por empresas de aplicativo.

“Nós estamos há uns anos tentando aumentar esse tempo, porque com a vinda dos aplicativos, o número de quilômetro rodado por dia diminuiu muito. Às vezes, em até 70%. Isso também causa um desgaste menor na moto, não precisando que haja essa troca mais rapidamente”, disse o presidente do Sindicato, Durvair Caburé, conforme divulgou o executivo.

O novo decreto alterou o artigo 18 e afirma que a permissão é concedida desde que o veículo tenha sido autorizado por vistoria da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito). O novo decreto foi divulgado nesta quinta-feira (6) no Diário Oficial de Campo Grande.

Novo aplicativo - Começa a funcionar a partir do dia 13, em Campo Grande, o aplicativo Picap para transporte de passageiros de motocicletas. A empresa chega com a promessa de renda extra aos condutores, semelhante aos vários aplicativos de carro, e oferece corridas gratuitas logo no seu primeiro dia de operação.

Nas ruas, mototaxistas ouvidos pelo Campo Grande News dizem que já esperavam a chegada da novidade, mas preveem rejeição dos usuários. A questão da segurança no trânsito é o fator mais citado pelos profissionais para justificar o motivo, segundo eles, pelo qual o aplicativo não deve se popularizar na Capital.

Nos siga no Google Notícias