A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

05/05/2011 09:41

Defesa de ex-major tenta suspender julgamento e desqualificar provas

Fabiano Arruda e Italo Milhomem

Sérgio Roberto de Carvalho é julgado neste momento pela Auditoria Militar

Algemado, ex-major chega a julgamento. (Foto: João Garrigó)Algemado, ex-major chega a julgamento. (Foto: João Garrigó)

A defesa do ex-major da Polícia Militar, Sérgio Roberto de Carvalho, em julgamento nesta manhã na Auditoria Militar, no Fórum de Campo Grande, apresentou seis pontos ao júri, que tentaram suspender o julgamento ou desqualificar provas.

O juiz auditor e os quatro oficiais que compõem o júri negaram cinco pontos e acataram parcialmente um deles.

A primeira tentativa da defesa foi alegar que os crimes cometidos pelo ex-major são de caráter civil e não devem ser julgados por militares. Por unanimidade, o júri desqualificou o argumento, pois entende que os crimes ocorreram quando Carvalho era policial militar.

Outro ponto confrontado foi o cerceamento das testemunhas de defesa do acusado, que não teriam recebido a intimação a tempo do julgamento, no entanto, o júri desqualificou o argumento. Afirmou que as testemunhas foram intimadas, mas não localizadas, e que, pelo caráter emergencial do caso, não há tempo para esperar a intimação oficial.

A defesa do ex-major também tentou desqualificar a licitude da gravação telefônica. Alegou que os laudos não têm parecer técnico de peritos, mas o júri indeferiu o pedido, pois, pela jurisprudência, não há obrigatoriedade de parecer especializado no documento.

O júri desqualificou ainda alegações da defesa sobre a autenticidade da voz do ex-major, que aparece em interceptações telefônicas, bem como Carvalho ter sido denunciado por fatos genéricos e sem provas.

O único ponto acatado, de forma parcial, foi a solicitação da defesa em alterar a tipificação da acusação. O júri afirmou que vai dar o parecer sobre o ponto ao final do julgamento, já que analisá-lo agora pode comprometer o andamento do processo.

 Defesa de ex-major tenta suspender julgamento e desqualificar provas

Julgamento - O início do julgamento de Sérgio Roberto de Carvalho ocorreu há pouco. Dois policiais estão do lado de fora da sala, enquanto outros dois acompanham o acusado, que chegou de cabeça baixa, trajando tênis, calça jeans e casaco.

Ele chegou ao Fórum algemado e, após o início do julgamento, os policiais retiraram as algemas a pedido da defesa.

O ex-major é acusado de envolvimento em vários crimes, desta vez, é julgado por falsificação do selo ou sinal público constatado pelas investigações que resultaram na operação Las Vegas, deflagrada pela Polícia Federal em maio de 2009.

O julgamento de Carvalho só não aconteceu antes porque ele arrolou testemunhas para serem ouvidas na Bolívia e na Colômbia.

A operação Las Vegas que desmantelou a quadrilha apreendeu 18 veículos, um avião, 97 máquinas de caça níqueis, R$ 77 mil, US$ 1,7 mil, computadores e notebooks. A investigação teve início após denúncia anônima.



UM MAJOR TENTA REAVER APOSENTADORIA, E PROVAVELMENTE VAI CONSEGUIR UM TRABALHADOR RURAL E PRESO POR PORTE INLEGAL DE ARMA E É INAFIANSAVEL. O DEUS QUE JUSTIÇA.
 
silvana meira simao em 05/05/2011 11:54:49
Cara Silvana isto não é nada como as coisas andam não se admire se o "Major" não sair candidato em futuras eleições.
Coitado
 
Vanderley Batista Gomes em 05/05/2011 03:05:11
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions