ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SÁBADO  24    CAMPO GRANDE 31º

Capital

Delegado ouve traficante que diz ter visto vídeo de execução no Inferninho

Depoimento faz parte de investigação da morte de jovem de 25 anos encontrado morto no mesmo local na semana passada

Por Kerolyn Araújo | 06/05/2020 16:03
Equipes da perícia, polícia e bombeiros no local onde foi feito resgate do corpo, na região do Inferninho. (Foto: Henrique Kawaminami)
Equipes da perícia, polícia e bombeiros no local onde foi feito resgate do corpo, na região do Inferninho. (Foto: Henrique Kawaminami)

A DEH (Delegacia Especializada em Repressão aos Crimes de Homicídio) de Campo Grande está ouvindo na tarde desta quarta-feira (6) um homem que, ao ser preso por tráfico de drogas, disse à polícia ter recebido vídeo no celular mostrando execução na cachoeira do Inferninho, na saída para Rochedo.

Lucian Helan Miranda, 27 anos, foi preso na noite de ontem (5) após tentar subornar policiais militares, durante flagrante. Ele estava com R$ 8,9 mil em dinheiro no Jardim Centenário, com os quais, assumiu, compraria droga.

O traficante afirmou ser integrante do PCC (Primeiro Comando da Capital). Depois de oferecer R$ 8 mil aos militares para não ser preso, também afirmou que recebeu no celular o vídeo da execução de um homem no Inferninho. As imagens, porém, foram apagadas do aparelho, segundo afirmou.

Como parte da investigação do homicídio de Gleison da Silva Abreu, 25 anos, encontrado morto nas pedras da cachoeira do Inferninho na manhã da última sexta-feira (1º), o delegado Carlos Delano, titular da DEH, intimou Lucian para prestar depoimento nesta tarde.

A intenção é verificar a veracidade do vídeo e se ele tem ligação com a morte de Gleison, segundo apurou o Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário