A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

21/01/2011 10:51

Divergências travam tombamento de canteiro da Afonso Pena

Aline dos Santos
 Divergências travam tombamento de canteiro da Afonso Pena

Em curso desde 2009, o processo de tombamento do canteiro central da avenida Afonso Pena, principal via de Campo Grande, prossegue sem prazo para conclusão.

De um lado, uma comissão de peritos (composta por representantes de secretarias municipais) propõe que somente trechos da avenida sejam alçados à condição de patrimônio.

Do outro, relatório do Planurb (Instituto Municipal de Planejamento Urbano) pede o tombamento de toda a via, que se estende da avenida Duque de Caxias até o Parque dos Poderes.

“São versões diferentes. Para os peritos, esse tombamento não deveria ser totalitário. Mas de acordo com momentos históricos. É complicado porque é a artéria central da cidade”, afirma o presidente da Fundac (Fundação Municipal de Cultura), Roberto Figueiredo.

Para a perícia, a proteção do tombo – que impede destruição ou mutilação sem autorização prévia – ficaria restrito a pontos como o Obelisco e árvores centenárias.

Já o Planurb pede, inclusive, o tombamento de áreas verde no entorno, como o Parque das Nações Indígenas. Neste caso, qualquer obra no local necessitaria de aval da Fundac.

Ambos os relatórios serão apreciados pelo Conselho de Cultura no mês de março. De acordo com o presidente da Fundac, o prefeito Nelsinho Trad (PMDB), a quem cabe a palavra final, também já recebeu os documentos. O conselho, formado por 16 pessoas, pode optar por um dos relatórios ou também solicitar um novo estudo.

Quando for aprovado o tombamento definitivo, a decisão do Conselho de Cultura segue para o prefeito, que pode homologar ou não. Enquanto não há decisão final, o canteiro não pode passar por obras.

Verde - O processo para salvaguardar o canteiro central da avenida foi proposto pelo MPE (Ministério Público Estadual) para evitar que a prefeitura transformasse o canteiro em faixas de rolamento ou em caminho para ônibus, por meio do sistema VLP (Veículo Leve sobre Pneu).

Na ocasião, a prefeitura informou que não tinha intenção de acabar com o canteiro. Apesar de ser a via mais representativa de Campo Grande, com diversos pontos históricos, como o Círculo Militar, a Igreja Perpétuo Socorro e a Morada dos Baís, o pedido de tombamento enfoca a preservação das áreas verdes do canteiro.

Tombamento da Afonso Pena será concluído no centenário
A Fundac (Fundação Municipal de Cultura) deverá concluir o processo de tombamento da Avenida Afonso Pena como patrimônio histórico-cultural e paisagí...
Unindo tradição e status, avenida pode virar patrimônio
Se há um século atrás, a Afonso Pena foi projetada para ser a o principal logradouro de Campo Grande - com acentuada inspiração nas formas do bulevar...
Prefeitura vai tombar canteiro central da Afonso Pena
O principal ponto de referência da cidade deve ser tombado pela Fundação de Cultura de Campo Grande como Patrimônio Histórico do Município.O canteiro...


Retirar o canteiro central para dar mais fluxo ai trânsito é apenas uma medida paleativa, não resolverá o problema. É fato dizer que toda cidade de médio e grande porte deveria investir pesadamente no tranporte público rápido e de qualidade. Em minha opinião os canteiros devem permancer, bucando outra alternativa mais eficiente para o trânsito. Uma cidade sem história e uma cidade sem futuro, isso apenas mais um ponto que evidencia a mudança de valores na sociedade atual.
 
HENRIQUE MANOEL em 22/01/2011 11:08:14
CAMPO NAO ESTA ATENTANDO PARA TRANSPORTE COLETIVO, PENSO QUE ESTE ESPAÇO,DESDE AEROPORTO ATE PARQUE DOS PODERES DEVERIA SER CRIADO VIA EXCLUSIVA P TRANSPORTE PUBLICO, INCLUSIVE ESPAÇOS COMO ORLA MORENA, IMBIRUSSU, ONDE ESTAVAM OS TRILHOS. OS PROJETOS DE CORREDORES DEVEM SER DESENVOLVIDOS POR PESSOAS QUE PELO MENOS DEVERIAM CONHECER BERLIN , OU AQUI PERTO MESMO, CURITIBA. O TRANSITO DE CAMPO GRANDE ESTARA O CAOS EM MAIS 4 ANOS E SUFOCANDO O TRANSPORTE COLETIVO. DIZEM QUE TEMOS QUE TEMER DUAS COISAS, A IGNORANCIA E A NECESSIDADE. ABRAÇOS
 
jose henrique em 22/01/2011 10:34:52
UM MONTE DE ARVORES CONDENADAS. UM ASFALTO DE PESSIMA QUALIDADE. RUAS E AVENIDAS ESBURACADAS, ILUMINAÇÃO PUBLICA PRÉCARIA, E A CIDADE CRESCENDO COM NUMEROS DE CARROS, MOTOS, POPULAÇÃO, E DE PROBLEMAS.
VAMOS PENSAR PARA FRENTE.
POR QUE NAO SE CONTRATA PESSOAS ESPECIALIZADAS DE SÃO PAULO POR EXEMPLO, PARA SEREM SECRETARIOS DE VERDADE, E DEIXAR DE SER UM CABIDE DE EMPREGO NA PREFEITURA.
VCS TÃO BRINCADO COMO FUTURO DA CIDADE.
 
JULIO CESAR em 22/01/2011 09:25:44
Parabéns aos que pensam em uma capital moderna, com uma visão de futuro. Quanto espaço está sendo desperdiçado em canteiros enormes que em sua maior parte não são utlizados sequer pelos pedestres. Pena que não tenha aparecido um administrador com tal visão. O trânsito cada vez mas caótico e as vias centrais com espaço de sobra para árvores centenárias prestes ao tombamento...sobre uma vida, um veículo...Não sei se falta coragem ou vontade polítca.
 
Reginaldo do Nascimento em 22/01/2011 08:21:55
Eu sei que é doloroso ter que retirar o canteiro central de Campo Grande pois ali se concentra muitos monumentos históricos... mas temos que cair na realidade de que esta capital não é mais aquela cidadezinha tipica de interior de anos atras.
Se alguém quiser que esta cidade evolua e tenha um transito menos caótico é mais do que necessário retirar o canteiro central e quem disser que não, com certeza não entende nada de urbanização.
Sou totalmente a favor de retirarem o canteiro central e fazer este transito fluir melhor... antes eu me locomover sem passar raiva do que ter que preservar os monumentos que não influi em nada minha qualidade de vida.
 
willian Souza em 21/01/2011 12:19:35
Eu concordo com a ideia do tombamento, com isso a prefeitura irá olhar com mais cuidado para a Afonso Pena, eu creio que uma cidade de conserva seus patrimonios historicos tem sim qualidade de vida.... não queremos ficar com São Paulo, asfalto sobre asfalto, poucas arvores e etc.
 
emerson da cruz em 21/01/2011 11:09:39
Sou Solidário ao processo de tombamento, porém concordo que as vias atuais da avenida já se encontram inviabilizados. Pelo que conheço de exemplos semelhantes de outras cidades Brasileiras, Penso que, devemos aumentar a largura das pistas, encolhendo o suficiente dos canteiros e revitaliza-los, com mais grama no centro e mais arvores da José Antonio Em diante !
Acho ainda que os estacionamentos dos canteiros centrais são inaceitáveis com o futuro da capital, pois é coisa de interior mesmo ! de avenida sem o movimento que tem a Afonso Pena. Desta forma a Prefeitura deve prover opções de projetos para que a população, diretamente e através dos vereadores decidam aquilo que é a vontade de todos e reflitam sobre o futuro e progresso, que fazem necessários a tomada de certas escolhas e ou decisões.
 
alexandre augusto miranda em 21/01/2011 10:55:49
Se o MP pode atrasar o progresso da cidade, por que não fazê-lo, não é mesmo?
Concordo com a relevância histórica de alguns pontos da avenida, mas impedir que os canteiros - mais largos do que a pista de rolamento - sejam, no mínimo, diminuídos, para que o trânsito tenha vazão, é jogar contra o progresso.
Campo Grande, com esse pensamento canhestro, só anda para trás, tanto que perdeu a Copa para Cuiabá, onde, a despeito da sua história, não se tenta impedir o avanço dos tempos. Já passou da hora das avenidas Mato Grosso e Afonso Pena serem repensadas, pois o tempo passa e o privilégio de canteiros inoperantes e sem sentido ficou para trás!
 
Elieser Pereira em 21/01/2011 05:28:22
Willian Souza, é errado achar que dar mais espaço para os carros resolve o problema. Um exemplo real é São Paulo: a cada ano alargam-se mais e mais avenidas. O problema é resolvido nas primeiras semanas; depois elas ficam tão congestionadas quanto eram antes do alargamento. Não sou eu quem diz isso, são os fatos: http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20100527/not_imp557317,0.php

Outro artigo interessante sobre o assunto que vale a pena ser lido: http://scienceblogs.com.br/100nexos/2009/07/o_paradoxo_de_braess_e_a_ampli.php
 
Renan Helix em 21/01/2011 05:16:52
Afonso Pena tem tres faixas,e mais estacionamento de dois lados de cada sentido.
E muito,pra um centro comercial. Oque deveria fazer ?
Poderia copiar oque ja existe em lugares desenvolvido,removeria os estacionamento da direita e faria uma via rapida so pra onibos.
E do lado esquerdo faria estacionamento somente pra carga e descarga(15 a 20 min).
E ainda enlargueceria as calcadas pra dar mais acesso aos pedestre, assim desistimuraria o acesso de veiculo ao centro, e teria mais calma no transito.
E pra onde vc for em c.grande tem acesso bem mais rapido se vc usar vias alternativa,das quais tem muitas .
 
Emerson C. Grande em 21/01/2011 04:07:51
Mesma ladainha quando foi retirar os trilhos da RFSA, na minha opinião deveria acabar com aquele canteiro central e tornar uma via mais ampla para comportar a quantidade crescente de veículos, deveria fazer tb uma grande galeria de rede pluvial embaixo para resolver parte dos alagamentos.
 
Sandro Lima em 21/01/2011 03:26:15
A Av. Afonso Pena deveria ser revitalizada, urgentemente. É passagem de todos que chegam a cidade, vindos do aeroporto e de todos que moram aqui. Em muitos trechos o asfalto não passa de uma sobreposição de remendos e a assessibilidade é complicado, pois não a rampas para cadeirantes, semáforos para pedestras não funcionam e não há calçada no canteiro central, nem mesmo em alguns pontos de travessia.

Sou a favor do tombamento e da preservação do canteiro central, sem que seja substituído por corredor exclusive para ônibus ou mais faixas, mas também da recuperação da avenida que tem vários problemas estruturais.
 
Murilo Delmondes em 21/01/2011 02:12:13
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions