A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 18 de Janeiro de 2018

10/10/2015 09:36

El Kadri compra prédio abandonado e põe fim a transtornos em bairro

Alan Diógenes
Prédio na rua Rui Barbosa estava abandonado há mais de 10 anos. (Foto: Gerson Walber)Prédio na rua Rui Barbosa estava abandonado há mais de 10 anos. (Foto: Gerson Walber)

O Grupo El Kadri comprou mais um prédio em construção. Este, localizado no cruzamento das ruas Rui Barbosa e Doutor Dolor Ferreira de Andrade, foi abandonado há mais de 10 anos por uma construtora. Para os comerciantes e moradores da região, o empreendimento que será um residencial de apartamentos de 13 andares, vai valorizar a região, além de trazer mais segurança.

Conforme a proprietária de uma conveniência ao lado do prédio, Leidiane Costa Almeida, 23, o local era bastante frequentado por vândalos e pichadores. Ela também já contabiliza os benefícios que vai ter em seu comércio.

“Desde quando me mudei para cá há oito anos, o prédio já estava abandonado. Era cheio de gente usando drogas aí dentro, sem falar nos insetos que saía. Muito bom, vai valorizar o bairro em geral e minha clientela vai aumentas devido ao grande fluxo de pessoas”, apontou Leidiane.

A dona de casa Nina Silva Souza, 45, também gostou da novidade. “Vai ser muito bom, até mesmo para dar uma nova cara para o bairro. Antes o que se via era esse grande prédio abandonado manchando a imagem”, comentou.

Empreendimento - O diretor do grupo, Mafuci Kadri, disse que serão 96 apartamentos. Cerca de 12 funcionários estão no canteiro de obras trabalhando. “A sociedade precisa de coisas boas em meio a tantas ruins. Estamos tocando devagar com as condições que temos. A vizinhança está satisfeita e o relacionamento é de harmonia”, destacou.

Também não está descartada a hipótese da construção de uma hospital no local. “Recebemos este questionamento da população, mas sabermos que fazer um hospital é algo mais complexo. Mas pode ser que mude de ideia mais para frente”, salientou.

Outras compras - O grupo também comprou o prédio abandonado do Hotel Binder, na Avenida Afonso Pena, entre Calógeras e 14 de Julho. Lá está sendo construído um hotel cinco estrelas com trezentos e trinta leitos, 148 apartamentos, suíte presidencial de 120 metros e 13.855 metros quadrados de área.

Inicialmente, a previsão era concluir a obra em 2012, mas, abandonado desde 1991, o projeto teve que passar por adequações para atender leis de acessibilidade e de combate a incêndio. O prédio abandonado há mais de 20 anos havia se transformado em retrato de abandono e problema de saúde pública, como um gigante foco para o mosquito da dengue.

A falta de leitos na rede hoteleira neste segmento fica evidente quando a cidade recebe eventos. Campo Grande tem 5.280 leitos em hotéis, motéis, apart hotéis, pensões e albergues. No entanto, são necessárias pelo menos mais 3 mil para atender a demanda.

Nos dois subsolos, os estacionamentos vão comportar média de 80 veículos. Ao longo da torre, haverá restaurante e bar com vista privilegiada, piscina, saunas, salas de reuniões, academia e dois elevadores panorâmicos.

No 13º andar, a suíte presidencial tem escritório, apartamento, sala de estar, sala de jantar e um apartamento anexo. No topo, o heliponto será utilizado como base para torre de comunicação, diante do escasso número de helicópteros na cidade.

Na Avenida Afonso Pena outro prédio comprado pelo grupo vai ser hotel cinco estrelas. (Foto: Gerson Walber)Na Avenida Afonso Pena outro prédio comprado pelo grupo vai ser hotel cinco estrelas. (Foto: Gerson Walber)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions