A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

04/01/2014 10:31

Em 2013, chuva e temperatura batem recorde de 40 anos na Capital

Lidiane Kober

Além de apresentar temperatura acima da média histórica, 2013 foi um ano marcado por eventos naturais surpreendentes e fora de época, em Campo Grande. Em mês tradicionalmente de pouca chuva, chegou a cair 249,6 milímetros em um único dia. Ao mesmo tempo, em agosto não teve uma gota de água.

De acordo com balanço da Estação Meteorológica da Uniderp/Aguanguera, no ano passado choveram 2.143,3 milímetros na Capital, acima da média histórica dos últimos 40 anos, de 1.533,2 milímetros. Março foi o mês com maior precipitação, 376,3 milímetros. “Só no dia 24, choveram 249,6 milímetros, sendo que se esperavam 120 para o mês todo”, detalhou o meteorologista Natálio Abrahão Filho.

Junho foi outro mês que surpreendeu, com o registro de 234,8 milímetros, enquanto o esperado era de 45. Em janeiro, ainda conforme Estação Meteorológica da Uniderp/Aguanguera, localizada no Parque dos Poderes, região leste da Capital, choveram 320,6 milímetros. Dezembro, outro mês de muita água, choveu menos que o esperado.

Em fevereiro, foram registrados 264,2 milímetros; em abril 247; em maio, 24,8; em julho, 25,4; em setembro, 74,2; em outubro, 175,8; novembro, 242 e em dezembro, 158,2, abaixo dos 210 milímetros esperados. “Em Campo Grande, estão acontecendo eventos surpreendentes e fora de época”, observou Natálio.

Homem x meio - Para ele, isso é resultado na influência do homem no meio ambiente. “Temos valores de chuva desde 1933, quando a Capital contava com 36 mil habitantes, tinha 500 metros de diâmetro e era predominante composta por áreas agrícolas, vegetação e com 23 bacias intocáveis”, informou.

“Hoje, Campo Grande tem 20 km de diâmetro, muito desmatamento, asfalto e prédio”, acrescentou o meteorologista. “Desconfigurou-se tudo e o resultado é temperatura mais alta, que potencializa as nuvens e a conclusão são volumes imensos de chuva em curto espaço de tempo”, continuou.

Em 2013, por exemplo, a temperatura média foi de 22,7graus, acima da média histórica de 21,5. O dia mais quente do ano foi 28 de setembro, com sensação térmica de 40 graus. Por outro lado, dia 25 de julho o termômetro da Estação Meteorológica da Uniderp/Aguanguera marcava 1,7 grau, com sensação térmica de 4 graus abaixo de zero. Já o maior vento registrado foi de 91,8 km/h, no dia 17 de janeiro.



As mudanças existem sim com certeza, em 1975 por ex, chegou a 3 graus abaixo de zero em Campo Grande, a cidade tinha uns 90 mil habitantes nessa epóca, hoje tem 850 mil habitantes e quase 30km de diâmetro, só aqui do bairro tarumã até a av.Afonso Pena são 14 kilômetros de distância.
 
Antonio Costa em 04/01/2014 16:47:08
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions