A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 25 de Abril de 2019

23/03/2019 15:20

Em 3 anos, 187 crianças morreram vítimas de arma de fogo em MS

O Estado registrou a morte de 1.498 crianças e adolescentes, com idades entre 0 e 19 anos, nos últimos 20 anos

Danielle Valentim
Último caso ocorreu em Mundo Novo no dia 17 de março. (Foto: Arquivo Pessoal)
Último caso ocorreu em Mundo Novo no dia 17 de março. (Foto: Arquivo Pessoal)

Estudo do SIM (Sistema de Informações sobre Mortalidade) do Ministério da Saúde divulgado pela Sociedade Brasileira de Pediatria mostra que em 20 anos, Mato Grosso do Sul registrou a morte de 1.498 crianças e adolescentes, com idades entre 0 e 19 anos, por arma de fogo. De 2014 a 2016, por exemplo, 187 estão entre vítimas do armamento.

O levantamento levou em conta casos de morte acidental, por suicídio, homicídio e intenções indeterminadas, segundo a Classificação Internacional de Doenças, pelo período de 1997 até 2016.

A reportagem comparou três anos, já que em 2014 o número atingiu o pico de 90 vítimas. Os números baixaram em 2015 e 2016, com 50 e 47 casos. As informações foram divulgadas na quarta-feira (20).

Ao todo, o Brasil registrou 9.517 mortes nessa faixa etária em 2016. Em 20 anos, foram mais de 145,4 mil mortos. Em média, o estudo apontou que, a cada 60 segundos, uma criança ou adolescente com idade entre 0 e 19 anos morreu no Brasil vítima de arma de fogo.

Caso recente - A Polícia Civil investiga a morte de menina de 11 anos, ocorrida na noite do dia 17 de março, em Mundo Novo, cidade distante a 476 quilômetros de Campo Grande. A menina era filha do subtenente da Polícia Militar de Iguatemi, e morreu com um tiro na cabeça.

Conforme informações do boletim de ocorrência, a criança estava em um quarto da casa onde morava com a família, quando foi atingida na cabeça por tiro de pistola .40. A menina morreu na hora. A Polícia Militar foi acionada por vizinhos que ouviram o disparo. Quando chegaram ao local, os militares foram recebidos pela mãe da vítima que, chorando, contou que a filha havia tirado a própria vida.

 

Segundo o delegado Claudineis Galinari, da Delegacia Regional de Polícia de Naviraí, a arma era de uso particular do subtenente. A Polícia Civil investigará as circunstâncias do disparo e trabalha com as hipóteses de suicídio e tiro acidental.

Confira ao dados de MS:

1997 - 84
1998 – 72
1999 – 76
2000 – 90
2001 – 63
2002 – 83
2003 – 88
2004 – 80
2005 – 82
2006 - 80
2007 – 94
2008 – 91
2009 – 98
2010 – 61
2011 – 61
2012 – 55
2013 – 53
2014 – 90
2015 – 50
2016 – 47

Tabela completa



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions