ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, SEXTA  03    CAMPO GRANDE 21º

Capital

Em 3 dias, 21 empresas foram denunciadas por deixar funcionários expostos

Reclamações encaminhadas ao Ministério Público do Trabalho vão contra de call center a associação de médicos

Por Tainá Jara e Liniker Ribeiro | 23/03/2020 17:35
Call center da Oi chegou a ser interditado pela Vigilância Sanitária porque mantinha funcionários trabalhando normalmente (Foto: Marcos Maluf)
Call center da Oi chegou a ser interditado pela Vigilância Sanitária porque mantinha funcionários trabalhando normalmente (Foto: Marcos Maluf)


Em três dias, o MPT (Ministério Público do Trabalho) recebeu 21 denúncias contra empresas que não adotaram medidas para proteger os funcionários contra o novo coronavírus. Além do call center da Oi, na Rua Maracaju, também foram alvo de reclamações loja de materiais de construção, clínica odontológica, empresa de táxi aéreo, distribuidora de veículos e até sindicato representativo de profissionais de saúde e associação de médicos.

Reaberta nesta segunda-feira, depois de decisão Judicial, o call center foi fechado na semana passada por não cumprir normas do decreto baixado pela prefeitura para conter o aumento dos casos de covid-19.

De acordo com o secretário municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana, Luis Eduardo Costa, empresa ganhou o direito de voltar a funcionar, com a condição de reduzir em 50% o efetivo. Ou seja, apenas metade dos funcionários estão trabalhando. A empresa também se comprometeu a redobrar os cuidados com a limpeza, oferecer álcool em gel, orientar melhor os funcionários e manter diálogo com a prefeitura, informando sobre as medidas adotadas.

Funcionários, que preferiram não se identificar, confirmaram a redução da equipe, distancia de segurança entre as estações de trabalho e a disponibilidade de álcool em gel 70 % para limpeza dos equipamentos. "Na medida do possível, está tudo tranquilo", segundo um deles.

Pressão - Na última quinta-feira (19), funcionários das duas unidades da Brasil Telecom Call Center/Oi, em Campo Grande, fizeram protestos por melhores condições de trabalho na empresa em meio à pandemia de coronavírus.

Neste mesmo dia, a prefeitura baixou decreto com uma série medidas para frear o avanço do novo coronavírus. Em se tratando dos call centers, as recomendações são: operar com no máximo 20 pessoas no mesmo ambiente, com espaço de 2 metros entre elas.

No dia seguinte, o prédio da BTCC acabou interditado por descumprir as regras de proteção aos funcionários, mas após decisão judicial os responsáveis pela empresa conseguiram autorização para voltar a funcionar nesta segunda-feira (23), quando ocorreu nova fiscalização.