ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, QUINTA  02    CAMPO GRANDE 31º

Capital

Em áudio, homem confessa que usou arma e vídeo mostra tiro durante briga

A conversa foi compartilhada em grupos de WhatsApp e é atribuída aos seguranças do comércio de onde jovem saiu baleado

Por Geisy Garnes | 25/02/2020 18:36
Confusão aconteceu na madrugada desta terça-feira e envolveu mais de 50 pessoas (Foto: Henrique Kawaminami)
Confusão aconteceu na madrugada desta terça-feira e envolveu mais de 50 pessoas (Foto: Henrique Kawaminami)

Áudios compartilhados e vazados em grupos de WhatsApp podem comprometer seguranças da conveniência Big Festa pelo tiroteio que acabou com um jovem de 19 anos ferido durante uma briga generalizada, na madrugada desta terça-feira (25), em Campo Grande. Nas mensagens, um homem, aparentemente um dos seguranças do estebelecimento, afirma foi o “único” jeito de dispersar a multidão e avisa: “se hoje for, vai tomar de novo”.

Na conversa que o Campo Grande News teve acesso explica, em parte, o que aconteceu nesta madrugada na conveniência localizada na Avenida Antônio Maria Coelho, próximo a Orla Morena.

A briga começou entre os clientes do local, que foram para lá após o fim do Carnaval na Esplanada Ferroviária. Supostamente, sem conseguir controlar as cerca de 50 pessoas envolvidas na confusão, os seguranças atiraram. “Tava só atirando sem munição, para dar uma espantada, mas não espantou, foi o jeito mexer no bolsinho e atirar, bebê”, diz o homem no áudio. Ouça:

Ao longo da conversa, ele tira “sarro” dos clientes que aparecem falando nos vídeos gravados durante a briga generalizada que “a bala ia acabar” e avisa se voltarem a conveniência serão recebidos novamente a tiros.

“A bala não acaba não papai, aqui bicho são caixas e caixas direto do, rá, não vou nem falar o nome da situação desse QTC. É tiro bicho, aí, tá aí, os caras gritando a bala vai acabar, vai nessa a bala vai acabar, tem de sobra e se hoje for vai tomar de novo”. Ele ainda afirma que policiais vão reforçar a segurança no local. “Hoje vou estar com três polícia, quatro, hoje os caras vai fazer minha segurança”. “Hoje nóis vai tá lá padrão, sargento e cabo”, repete.

O homem ainda conta que falou com um “brother” do Ciops (Centro Integrado de Operações de Segurança), onde ficam os atendentes do 190 da PM (Polícia Militar), recebeu apoio do Batalhão de Choque e mentiu para os policiais. “Não to trabalhando hoje não, é tudo isso aí é mentira contra o segurança. O segurança tá na paz, o segurança não fez nada”.

Pela manhã, à reportagem, um segurança do estabelecimento, de 32 anos, contou que tudo começou com uma briga entre membros de um mesmo grupo que bebiam na esquina da conveniência. Durante a confusão, um tiro disparado foi atribuído ao segurança. Ele, porém, nega.

Com tom de irônia, o suspeito continua tirando vantagem dos envolvidos na confusão, lembra que ouviu os clientes reclamarem que a arma não falha e reforça: “e não falha não, o trinta oitinho do papai, tá louco bebê”.

Outros vídeos enviados ao Campo Grande News, no fim da tarde desta terça-feira, mostram um homem vestido de roupa preta, aparentemente o uniforme de segurança, com uma arma na mão. Ele atira para cima. Veja:

O jovem de 19 anos que levou tiro no pé durante a confusão está internado na Santa Casa de Campo Grande. O quadro dele é estável e a vítima aguarde cirurgia ortopédica.