A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 18 de Outubro de 2019

27/06/2019 11:48

Em Campo Grande, 25 unidades de saúde vão ter horário de atendimento ampliado

Capital foi habilitada em novo programa do Ministério da Saúde e vai receber mais recursos federais com novo horário de expediente

Izabela Sanchez
UBSF Jardim Noroeste está na lista do postos de saúde contemplados pelo programa federal (Foto: Arquivo/Campo Grande News)UBSF Jardim Noroeste está na lista do postos de saúde contemplados pelo programa federal (Foto: Arquivo/Campo Grande News)

Em Campo Grande, 25 unidades de saúde da família vão ampliar o horário de atendimento. A Capital foi habilitada por um novo programa do Ministério da Saúde e vai receber mais recursos. A novidade foi publicada no Diário Oficial da União na quarta-feira (26), que divulgou a adesão do município ao programa “saúde na hora”.

Agora, as unidades passam a funcionar no regime de 60h, incluindo atendimento odontológico. Foram contempladas as UBSFs (Unidades Básicas de Saúde da Família) Estrela Dalva, Noroeste, Mata do Jacinto, Nova Bahia, Nova Lima, Vida Nova, São Francisco, Vila Nasser, Azaleia, MAPE, Itamaracá, Antartica e Batistão.

Fazem parte da lista, ainda, as UBSFs Portal Caoibá, São Conrado, Tarumã, Albino Coimbra, Serradinho, Botafogo, Mário Covas, Macaúbas, Paulo Coelho Machado, Iracy, Parque do Sol e Aero Rancho IV.

Os recursos ainda não foram definidos pelo Ministério da Saúde, mas os repasses mensais podem até dobrar de valor, dependendo da disponibilidade de equipes de Saúde da Família e Saúde Bucal, além da carga horária de atendimento das unidades, que pode variar entre 60h e 75h semanais.

Segundo o secretário municipal de saúde, José Mauro Castro, a Prefeitura pediu R$ 33 mil a mais, por mês, para cada uma das unidades, um total de R$ 825 mil em recursos adicionais do governo federal.

Saúde na hora - O programa foi lançado em maio pelo Ministério da Saúde e amplia os recursos mensais a municípios que estenderem o horário de funcionamento das unidades de saúde para o período da noite, além de permanecerem de portas abertas durante o horário de almoço e, opcionalmente, aos fins de semana.

A iniciativa tem objetivo de ampliar o acesso da população aos serviços da atenção primária, como consultas médicas e odontológicas, coleta de exames laboratoriais, aplicação de vacinas e pré-natal. A medida passa a valer imediatamente e os gestores têm quatro meses para se adequarem aos requisitos exigidos pelo programa. Até o momento, o Ministério da Saúde recebeu 336 solicitações de adesão ao Saúde na Hora em 65 municípios.

Para que os municípios sejam contemplados, os secretários de saúde precisam cadastrar as unidades que desejam incluir no programa, por meio do sistema E-Gestor AB – uma plataforma web de gestão das ações e informações relacionadas à Atenção Primária já utilizada pelas secretarias municipais e estaduais de saúde.

Após o primeiro mês de funcionamento com horário estendido, o município receberá o aumento nos valores mensais de custeio e, adicionalmente, um incentivo financeiro para a adesão ao horário estendido: R$ 22,8 mil para a Unidade que optar pela carga de 60h sem atendimento odontológico e R$ 31,7 mil para Unidade que conta com equipes de saúde bucal.

As UBSFs que optarem pelo turno de 75h semanais recebem aproximadamente R$ 60 mil de incentivo de adesão. Esses recursos devem ser usados para preparar as unidades que vão funcionar no novo formato.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions