A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

18/05/2012 13:30

A cada 4h, há 1 denúncia de abuso sexual de crianças e adolescentes

Luciana Brazil
Coordenadora do Comcex alerta para a importância desta data. (Foto:Pedro Peralta)Coordenadora do Comcex alerta para a importância desta data. (Foto:Pedro Peralta)

De janeiro a abri de 2012, foram denunciados, todo dia, seis casos de abuso ou violência sexual diariamente em Mato Grosso do Sul, ou seja a cada 4 horas, um caso. Em 120 dias, foram 709 denúncias ao Disque 100, um número mais de 100 por cento superior ao do mesmo período do ano passado.

De acordo com a coordenadora do Comcex (Comitê de Enfrentamento da Violência de Defesa dos Direitos Sexuais de Crianças e Adolescentes de Mato Grosso do Sul), Tânia Regina Comerlato, esse número pode ser muito maior.

“Muitos casos de abuso e violência não são descobertos porque ninguém denuncia, por isso não entram para as estatísticas. E esse é o grande problema”, frisou Tânia.

Nesta sexta-feira (18), Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, o comitê realizou uma panfletagem no centro de Campo Grande para lembrar a gravidade do problema que assola todo país.

A ampliação no atendimento nacional e os trabalhos de divulgação e conscientização, que estão sendo realizados constantemente em todo país, são considerados os catalisadores para o aumento das denúncias. “A capacidade de atendimento tem causado o aumento de registros. Além disso, a sociedade está mais atenta para a denúncia e também mais conscientizada”, explicou a coordenadora do comitê.

A juíza Katy Braun da Vara de Infância, Juventude e do Idoso, em Campo Grande, explica que o aumento no número de casos também está relacionado com a mudança significativa no perfil dos adolescentes envolvidos com a exploração sexual.

“Alguns anos atrás esses adolescentes eram vítimas da pobreza extrema ou de violência doméstica, deixavam seus lares e se envolviam com a prostituição em busca de sustento. Hoje, são adolescentes que não passam necessidades em seus lares e buscam no comércio do próprio corpo uma renda extra para consumir objetos de desejo de sua geração tais como aparelhos eletrônicos, tênis de marca e roupas da moda”, ressaltou.

As vítimas de abuso sexual sofrem traumas que vão desde o mais leves até os mais irreversíveis, conforme frisou Tânia Regina. “Os problemas são imensos e vão desde dificuldade nos relacionamentos amorosos, dificuldade na escola e muitos outros traumas”. Segundo dados estatísticos, muitas vítimas se tornam futuros “abusadores”, e a incidência desses casos é grande.

Dados do Estado: Em Mato Grosso do Sul, no período de janeiro a abril deste ano, foram 709 casos registrados. Um aumento de 102,6% em relação a 2011, onde 350 ocorrências foram notificadas. Os números fazem parte da pesquisa divulgada nesta semana pelo Disque 100.

Mato Grosso do Sul está em 15° lugar no país em relação ao número de abusos sexuais. O Estado representa 2,69% dos casos do Brasil, ficando a frente de lugares como Mato Grosso, Piauí, Alagoas, Rio Grande do Norte e Paraíba. O estado com o maior índice de abusos é a Bahia, representando 12,54% dos casos no país. O Paraná representa 0,13% dos casos.

Mato Grosso do Sul ocupa a 18° posição brasileira referente à exploração sexual, representando 2,32% do país. A Bahia segue no primeiro lugar do ranking também no crime de exploração sexual. Roraima apresenta o menor índice neste crime, representando 0,14% dos casos do país.

Data: O Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes foi criado a mais dez anos, em referência a data em Araceli Cabrera Crespo, de 8 anos, foi espancada, estuprada e assassinada brutalmente. O caso, que ficou conhecido como Araceli, aconteceu em 1973, em Vitória (ES).



LAMENTÁVEL
 
zildeneis salviano em 18/05/2012 07:56:26
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions