A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

14/03/2012 10:40

Em obras, trecho da Júlio de Castilhos fica interditado por pelo menos 20 dias

Fernando da Mata
Operário cortando asfalto (Foto: Marlon Ganassin)Operário cortando asfalto (Foto: Marlon Ganassin)

Tubulações, máquinas e operários trabalhando tomaram lugar dos inúmeros veículos e ônibus de transporte coletivo, nesta quarta-feira (14), na avenida Júlio de Castilho, entre as avenidas Presidente Vargas e dos Crisântemos, região noroeste de Campo Grande. Situação que deve perdurar pelo menos 20 dias.

Com isso, os motoristas que trafegam pela região devem ficar atentos, pois o trecho está interditado para a execução dos trabalhos. Segundo a Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), há algumas opções de desvio.

Quem segue sentido centro - bairro tem duas rotas alternativas: na primeira, vira à direita na avenida dos Crisântemos, rua dos Narcisos e avenida Presidente Vargas; outra opção é avenida Aeroclube, rua Fernando de Noronha e avenida Presidente Vargas.

Para os condutores que trafegam sentido bairro - centro, as opções são: conversão à direira na Presidente Vargas, ruas São Bernardo e dos Andradas; segunda rota é virar na Presidente Vargas e depois seguir na Duque de Caxias.

Agentes de trânsito devem permanecer na região para controlar o tráfego dos veículos.

Expectativas e receios - Os comerciantes têm várias expectativas e receios com relação às obras na Júlio de Castilho. Vicente Gomes, 57 anos, ressalta que a via, atualmente, é bem perigosa.

“A pista é muito estreita e o fluxo de veículos é grande. Se alargar, vai melhorar e diminuir os acidentes.”

Trecho interditado no cruzamento com a avenida dos Crisântemos (Foto: Marlon Ganassin)Trecho interditado no cruzamento com a avenida dos Crisântemos (Foto: Marlon Ganassin)

Com 73 anos, Ademilson Claudino tem barbearia há 38 na avenida e só alerta que o trânsito em mão dupla tem que permanecer. “Tem muita coisa para fazer, mas vai ficar linda demais [a avenida].”

Com os benefícios, vem os transtornos. A proprietária de um pet shop, Iriane Barros Gomes, teve que mandar a funcionária a pé buscar um cão no início do trecho interditado porque o proprietário não conseguia passar com o veículo.

“Estou com medo que seja igual a Zahran, que todos falam que caiu movimento desde que fizeram obras. Estou pensando até em mudar de endereço”, relatou Iriane, que por enquanto, vai liberar um acesso pelos fundos para os clientes.

Vera Lúcia Terra, 46, vai abrir uma porta nos fundos da oficina dela para atender a clientela. Apesar da interdição já estar atrapalhando o movimento, ela sabe que as obras vão trazer benefícios.

“Vai melhorar para os pedestres, reduzir acidentes e a questão da água, que entrar quando chove e alaga tudo”.

Independente das expectativas e reclamações, os trabalhos já começaram no trecho, com operários cortando o asfalto para a colocação das tubulações de drenagem. O engenheiro civil Rodrigo Iguma, destacou que é um trecho onde empoça muita água na beira da pista.

“Para sanar isso, vamos primeiro executar drenagem. Depois vamos trabalhar com pavimento, corrigir meio-fio e beira das calçadas”, explicou o engenheiro.

Máquina levando tubulação de drenagem que será usada na via (Foto: Marlon Ganassin)Máquina levando tubulação de drenagem que será usada na via (Foto: Marlon Ganassin)

Projeto - Segundo a prefeitura de Campo Grande, o projeto de revitalização da avenida Júlio de Castilho terá reestruturação de 6,8 km de via com 3,3 km de drenagem de águas pluviais e mais 9,7 km nas ruas vizinhas, promovendo a readequação do sistema de drenagem.

Dentre as intervenções, estão a criação de duas faixas de rolamento, incluindo faixa preferencial para o transporte público, implantação de canteiros centrais e manutenção dos existentes. As conversões à esquerda vão acabar com a via recebendo laços de quadra e 17 semáforos sincronizados controlarão o fluxo de veículos.

Com a revitalização, a Júlio de Castilho passará a contar com soluções de acessibilidade com a execução de 13,6 km de calçadas com piso tátil e organização visual ao longo das calçadas, por meio de paginação personalizada de faixa de dois metros, distribuição de mobiliário e rebaixamentos de meio fio com rampas nas travessias e pontos de ônibus padronizados. Serão instalados 38 abrigos em paradas de ônibus.

No aspecto paisagístico, a via passará por mudança na iluminação, reestruturação de duas praças e criação de dez largos com áreas sombreadas para descanso. A via receberá uma nova arborização, com o plantio de mudas de árvores ao longo de toda a avenida.

As intervenções na avenida Júlio de Castilho terão total de R$ 18.364.888,59 em investimentos, com 95% dos recursos provenientes do Pró-Transporte e 5% do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento).

Mapa com rotas alternativasMapa com rotas alternativas


GENTE RECLAMA DEMAIS!! A AVENIDA TEM QUE SER REMODELADA SIM, E TODOS QUE RECLAMAM PEGAM PALAVRAS AO VENTO E FICAM REPETINDO POR AI, TEM QUE FAZER IGUAL A ZAHRAM SIM, CORTAR AS CALÇADAS AUMENTAR A PISTA E DIMINUIR O CANTEIRO CENTRAL!! É ISSO AI!!
 
CARLOS DAMASCENO em 14/03/2012 11:53:17
Campo Grande têm um crescimento invejável e com ele vêm as melhorias. Além do preço da obra, entende-se os transtornos por ela causada. Somente pediria aos orgãos responsáveis maior atenção para que o campograndense não fique na expectativa positiva e tendo de enfrentar situação semelhante ao cruzamento com a Duque de Caxias (Cabeça de boi), em que o trânsito ficou confuso.
 
Edson Sanches em 14/03/2012 02:12:38
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions