A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

01/03/2013 07:25

Em três horas de chuva, volume de água foi de 34,8 mm em Campo Grande

Paula Maciulevicius
A forma mais intensa da chuva terminou por volta das 19h, mas o fim da água que caía ontem foi mesmo às 21h. Horas já suficientes para causar muito transtorno. (Foto: Nyelder Rodrigues)A forma mais intensa da chuva terminou por volta das 19h, mas o fim da água que caía ontem foi mesmo às 21h. Horas já suficientes para causar muito transtorno. (Foto: Nyelder Rodrigues)

A chuva de ontem trouxe de volta alagamentos e transtornos para Campo Grande. A água começou a cair às 17h50, segundo o meteorologista da Anhanguera/Uniderp, Natálio Abrahão, primeiro na região do Parque dos Poderes, avenida Afonso Pena, rua Ceará, 14 de Julho e avenida Eduardo Elias Zahran. Vias que concentram um grande fluxo de carros e motos, principalmente em horário de fim de expediente. 

A forma mais intensa da chuva terminou por volta das 19h, mas o fim da água que caía ontem foi mesmo às 21h. Em três horas, o registro do volume de chuva foi de 34,8mm. Os bairros mais afetados foram Itamaracá, Santo Eugênio, Rita Vieira e Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.

Na região do aeroporto, Jardim Imá e Santo Amaro, o volume da água foi maior do que nas demais áreas, acompanhada de raios e trovoadas, deixou o Aeroporto Internacional operando por instrumentos das 17h30 às 18h45.

Carro teve que ser empurrado na rua Português. (Foto: Daniel Angelo)Carro teve que ser empurrado na rua Português. (Foto: Daniel Angelo)

Mas foi no entorno de córregos que Campo Grande viu o lado cruel da chuva. Na região Sul, o Bálsamo transbordou e causou pontos de alagamentos em vários locais. Ruas, casas, prédios se viram inundados pela força da água.

Ainda na região Sul, alguns quilômetros depois do Itamaracá, uma viatura do Samu foi invadida pela água na avenida Guaicurus e foi ela quem precisou de socorro. O Corpo de Bombeiros foi acionado e o veículo guinchado.

Na avenida Interlagos, que margeia o córrego Bandeira, também houve alagamentos próximo ao cruzamento com a avenida Gury Marques. Um caminhão pifou no meio do alagamento e o proprietário teve que se abrigar em cima dele. Do outro lado, o córrego Bandeira que também passa pelo Rádio Clube Campo, formando o lago naquele ponto, alagou com a chuva e veículos que passavam pela rua Spipe Calarge foram invadidos pela água.

Para este mês que só está começando, o meteorologista Natálio Abrão já adianta que o campo-grandense vai continuar com as chuvas acima da média na região Centro-Sul do Estado e também ao Norte.



Primeiro.... gostaria de deixar claro que a culpa não é da chuva. A responsabilidade é da total falta de planejamento na construção da nossa cidade morena. Assim como em outras grandes cidades, muito políticos se preocupam em fazer obras que são vistas pelo povo, para que se ganhe voto. E infelizmente o povo vota. Agora, fica difícil reclamar néee
 
eder bezerra lopes em 01/03/2013 10:58:55
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions