A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

23/07/2014 16:58

Empresário morreu após carreata de São Cristovão e brincar com moto

Alan Diógenes
O corpo foi velado em uma capela na avenida Bandeirantes. (Foto: Marcelo Calazans)O corpo foi velado em uma capela na avenida Bandeirantes. (Foto: Marcelo Calazans)
Era comum Wanderley ter motos potentes como a que conduzia no dia do acidente  (Foto: Divulgação)Era comum Wanderley ter motos potentes como a que conduzia no dia do acidente (Foto: Divulgação)

Familiares do empresário Wanderley de Souza Santos, 42 anos, que sofreu um acidente de moto no autódromo da Capital e morreu na noite de ontem (22), na Santa Casa, disseram durante o velório, na tarde desta quarta-feira (23), que ele tinha ido ao local com a intenção de prestigiar a carreata de São Cristovão, mas, apaixonado por motos, acabou “brincando” na competição Speed Track Day. O campeonato era realizado simultaneamente com o evento religioso.

De acordo com o amigo do empresário, o motorista Oséias Pires de Andrade, 40 anos, Wanderley já tinha tido outras motociclistas potentes, como a que conduzia quando se acidentou, e recentemente administrava uma loja de motos. Para Oséias, a organização do evento “pecou” deixando o empresário participar da competição como amador. “Acredito que ele deveria ter feito uma inscrição para o evento que envolve alta velocidade. Se não era permitido amadores, por que não o proibiram de participar. Alguém falhou e deveria ser punido por isso”, comentou.

Irmã de Wanderley, a vendedora Eulalia Fátima Souza Santos, 45 anos, acredita que não existe culpado para o que aconteceu. “Ninguém falhou e ninguém precisa levar a culpa pelo ocorreu. Ele foi participar de um evento religioso e decidiu passar pelo evento que estava acontecia ao lado. Ele deve ter perdido o controle da moto e caído, só isso”, salientou.

O comerciante Serginaldo Hidaldo, 41 anos, que também era amigo da vítima, contou que ele estava vendendo a moto antes do acidente acontecer. “Não sei por que ele ainda estava com ela. Talvez por que ele não tinha achado comprador ou gostava tanto da moto que estava enrolando para vende lá. É uma pena ele morrer brincando deste jeito”, destacou.

Inconformada com a morte, a esposa de Wanderley preferiu não ser identificar e não quis prestar informações à imprensa. Ela apenas disse que o fato deveria ser esquecido por que mexeu muito com a família.

Wanderley fez aniversário no dia 10 deste mês e deixa duas filhas de 15 e 16.



O AMIGO FALA COMO SE O ÚNICO CULPADO PELA MORTE DESTE SR É O EVENTO QUE ACEITA UM AMADOR PARA CORRER, FORAM LÁ CHAMARAM ELE FIZERAM A INSCRIÇÃO E ELE CORREU, VC PODERIA TER IMPEDIDO O AMIGO COM OS OUTROS AMIGOS MAIS FORAM APLAUDIR POIS SE ELE GANHA A CORRIDA SERIA A MAIOR FESTA SÓ QUE PERDEU E AGORA VCS TEM QUE ACEITAR ISSO E QUE SIRVA DE EXEMPLO. QUE MESMO A MOTO SENDO POTENTE ELA É PARA USO DO SEU LAZER A ALEGRIA DE VIVER, E QUANDO FOR PARA CORRIDA LEMBRE SE DE TODOS OS EQUIPAMENTOS QUE ALÉM DOS OBRIGATÓRIOS TEM OS DE COMPETIÇÃO ALÉM DA EQUIPE DE APOIO, MOTOCICLISTA NÃO BRINQUE COM A VIDA QUE ELA DEIXA VC. NÃO É MAIS ACEITÁVEL PERDER A VIDA POR PURO PRAZER POIS QUEM SOFRE É QUE FICAM AQUI ESPERANDO A SUA VOLTA COISA QUE NÃO VAI ACONTECER, FALO COMO AGENTE DE TRÂNSITO SEM CULPAR NINGUÉM
 
Luiz Carlos Santos Messias em 23/07/2014 18:36:18
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions