A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 22 de Janeiro de 2018

25/12/2015 18:00

Ernesto Geisel fica quase intransitável e chuva provoca diversos transtornos

Michel Faustino e Liana Feitosa
Vários trechos da Avenida ficaram completamente alagados, dificultando a passagem de veículos e pedestres. (Foto: Gerson Walber)Vários trechos da Avenida ficaram completamente alagados, dificultando a passagem de veículos e pedestres. (Foto: Gerson Walber)
Com a força da água, bueiro se rompeu na rua dos Ferroviários.Com a força da água, bueiro se rompeu na rua dos Ferroviários.

A forte chuva que caiu na tarde desta sexta-feira (25) em várias regiões provocou diversos pontos de alagamentos em uma das mais movimentadas avenidas da Capital, a Ernesto Geisel. Trechos entre as avenidas Mascarenhas de Moraes e Euller de Azevedo, na região dos bairros Seminário, Tamandaré e Monte Castelo são os mais críticos.

No cruzamento com a Euller de Azevedo, por pouco, o córrego não transbordou e provocou mais transtornos. No trecho próximo a antiga rodoviária a via ficou completamente alagada, dificultando a passagem de veículos e pedestres.

Na rua dos Ferroviários, bairro Cabreúva, os transtornos foram grandes. No cruzamento com a rua Ana América a força da água rompeu a tubulação e abriu um buraco na via. A Agetran (Agência Municipal de Trânsito) esteve no local sinalizando a área e o trafego de veículos foi interrompido.

Uma moradora da rua, que não foi identificada, teve a casa toda inundada. Ela conta que ficou com a água até o tornozelo. “ A força da água foi grande. Não deu tempo de levantar os móveis”, comentou.

Ela diz que mora no local há dois anos, mas o problema é antigo e piorou depois da construção da feira. “hoje não tem pra onde a água ir porque é tudo pavimentado. Ai sobra pra gente. A água vem tudo para as casas aqui”, disse.

Os moradores da rua reclamam falta de drenagem na rua, alegando que procuraram a prefeitura por diversas vezes e nada foi feito.

Conforme o sistema de monitoramento da Defesa Civil Municipal, a maior incidência de chuva é na região do Cabreúva, onde foi registrado volume de 30 milímetros em um período de 30 minutos. Nas demais regiões, o volume não passa dos 5 milímetros.

No Cabreúva, enxurrada tomou conta de casa. (Foto: Gerson Walber)No Cabreúva, enxurrada tomou conta de casa. (Foto: Gerson Walber)



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions