A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

20/10/2015 11:53

Erro no cálculo tira empresa com menor preço da obra de duplicação

Aline dos Santos

A empresa que ofereceu a menor proposta para revitalizar e duplicar 4,5 quilômetros da avenida Euler de Azevedo, em Campo Grande, foi desclassificada por erro no preço e a Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos) convocou as segundas colocadas.

Com sede em Maringá (PR), a Weiller Construção Civil apresentou o menor preço nas concorrência 041 e 042, cujas propostas foram abertas em 30 de setembro. Contudo, conforme a assessoria de imprensa da Agesul, a empresa errou no cálculo da composição de BDI (Bonificação de Despesas Indiretas), taxa adicionada aos custos da obra para cobrir despesas indiretas.

A proposta era de R$ 8,4 milhões no edital 041, que prevê intervenções em 2,5 quilômetros no trecho entre a avenida Presidente Vargas e anel rodoviário. Na concorrência 042/2015, a Weiller apresentou proposta de R$ 6.027.171,04. Desta forma, o custo final seria de R$ 14,4 milhões.

Conforme a assessoria, como o erro foi no cálculo, caso as segundas colocadas assumam, passa a vigorar os preços oferecidos por elas nas licitações. A segunda colocada no edital 041 foi a Anfer Construções e Comércio Ltda.

Na concorrência 042, foi chamada a Construtora Industrial São Luiz S/A. As duas empresas têm até às 17h de amanhã para manifestarem interesse em assumir a obra. No dia da licitação, a proposta da São Luiz foi de R$ 6.106.804,71.

Somadas, as duas licitações têm teto de R$ 15,3 milhões. A revitalização inclui ciclovia, drenagem, recapeamento e pavimentação de vias. A avenida dá acesso à nova sede da UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul).



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions