ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEGUNDA  06    CAMPO GRANDE 29º

Capital

Escolas particulares deverão adequar plano de biossegurança para poderem reabrir

Vigilância Sanitária exigiu mudanças em projeto apresentado por sindicato dos estabelecimentos

Por Lucia Morel | 28/05/2020 19:06

Em reunião com a Vigilância Sanitária esta tarde, o Sinepe (Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino de Mato Grosso do Sul) terá de representar plano de biossegurança à Prefeitura de Campo Grande, que pediu adequações  ao que fora apresentado anteriormente.

O plano é necessário para que as escolas particulares possam retornar as aulas presenciais e segundo a presidente da entidade, Maria da Glória Paim Barcellos, não se sabe quando as adequações no projeto serão finalizadas.

“Não sabemos de nada, porque em cada setor que vamos é uma exigência diferente, adequamos uma e vem outro pedido”, relatou, sem detalhar que mudanças precisam ser feitas no planejamento.

A entidade representa 380 escolas particulares em todo Mato Grosso do Sul e mais 48 faculdades privadas. “Vamos complementar o que estão pedindo e ver se aceitam”, sustentou a presidente.

Por 84 colégios particulares de Campo Grande, quem responde é Lúcio Rodrigues Neto, da Associação das Instituições de Ensino Particular da Capital. O plano de biossegurança dessas escolas já foi entregue à prefeitura, mas ainda não houve uma devolutiva para se saber se terá que ser readequado.

A prefeitura, através da assessoria de imprensa, informou sobre a reunião com o Sinepe que vai aguardar a reapresentação do plano e caso esteja adequado, poderá então ser publicado decreto para retorno das aulas presenciais. Sobre o plano de biossegurança específico das escolas da Capital, a informação é que ainda está em análise.