ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, QUINTA  21    CAMPO GRANDE 22º

Capital

Esquina marcada como território foi cenário da morte de "BMW do PCC"

Roubar, ninguém rouba. O que incomoda a moradora e desperta medo é o barulho e o vai e vem do ponto de venda de drogas.

Por Paula Maciulevicius Brasil e Bruna Marques | 25/11/2020 09:05
Esquina onde grupo vendia droga e "BMW do PCC" foi morto. (Foto: Marcos Maluf)
Esquina onde grupo vendia droga e "BMW do PCC" foi morto. (Foto: Marcos Maluf)

Depois de ouvir cinco tiros, a vizinha que se recolhe em casa logo que a noite cai, escutou "ah, ô neguinho, telefona pra família dele aí". Sem se identificar, a moradora é vizinha da esquina onde o "BMW do PCC" caiu morto depois de ser atingido pelos disparos na Rua Eugênio Perón, na noite de ontem, no Bairro Zé Pereira, em Campo Grande.

O medo é constante na região. Quem até aceita falar com a imprensa, pede para não ser identificado. "Sinto medo de morar aqui, quando meu filho sai, por exemplo, eu sempre peço que volte antes de anoitecer", diz a aposentada.

Tiros chegaram a acertar portões de uma casa. (Foto: Marcos Maluf)
Tiros chegaram a acertar portões de uma casa. (Foto: Marcos Maluf)

Roubar, ninguém rouba. O que incomoda a moradora e desperta medo é o barulho e o vai e vem do ponto de venda de drogas. "A esquina fica cheia de gurizada, vendiam droga pra lá e pra cá o tempo todo", descreve.

E foi justamente no muro que tem grafado "BMW" que Ailton Larucci, 25 anos, o "BMW do PCC" foi atingido por quatro disparos. Os moradores contam que a esquina era o ponto de venda de drogas do "BMW do PCC", mas que o grupo não mexia com ninguém da vizinhança.

"Ele era um menino bom, educado, mas entrou nessa perdição", lamenta a mesma moradora. Outro vizinho também o conhecia desde criança. "Ele entrou nessa maldita vida que é uma vida sem saída: só existem dois caminhos: cemitério e cadeia".

Rua Eugênio Paron, onde executação aconteceu. (Foto: Marcos Maluf)
Rua Eugênio Paron, onde executação aconteceu. (Foto: Marcos Maluf)

Ailton Larucci já tinha sofrido tentativa de homicídio há três meses. Conforme informações do boletim de ocorrência, ele estava na esquina da Rua Eugênio Perón com amigos, quando dois homens em uma motocicleta se aproximaram. O passageiro disparou vários tiros e quatro atingiram a vítima, sendo três na cabeça e um no abdômen.

O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi acionado, mas quando chegou ao local Ailton já estava sem vida. Ele respondia a processos na Justiça por furto e receptação. O caso vai ser investigado pela 7ª Delegacia de Polícia Civil.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário