A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

29/07/2013 16:13

Estado deve faturar, no mínimo, R$ 10 milhões com venda de área na Zahran

Zemil Rocha
Governo deve faturar com venda de terreno que foi devolvido por entidade (Cleber Gellio)Governo deve faturar com venda de terreno que foi devolvido por entidade (Cleber Gellio)

O governo do Estado deve vender, dentro de aproximadamente dois meses, uma grande área na Av Eduardo Elias Zahran, ao lado da sede da Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul (Assomasul), que foi doada pela Sociedade Miguel Couto. A Secretaria de Administração do Estado (SAD) já está tomando as providências para lançar a licitação do imóvel, que tem 18,1 mil metros quadrados. Uma avaliação prévia está sendo realizada e a estimativa é de que o mínimo para oferta será de R$ 10 milhões. 

No mês passado, a Assembleia Legislativa autorizou o governo do Estado a vender a área, onde há uma construção abandonada que pertenceu á Sociedade Miguel Couto Amigos dos Estudantes.

A SAD está elaborando o edital para lançamento da concorrência pública, modalidade de licitação exigida pela Lei 8.666 para alienação de bens imóveis do Estado. Concomitantemente, há uma auditoria sobre a situação do imóvel e o preço de mercado. A concorrência, que deve ocorrer no prazo de 30 dias, será presencial com entrega de envelopes. O resultado final sai em cerca de mais 30 dias.

Na região da Avenida Eduardo Zahran, o preço do metro quadrado de terreno é muito valorizado, mas as condições do imóvel do governo do Estado exibem fatores depreciativos, como o fato de ser uma área funda, com muita umidade. "É que o imóvel posterior inclui parte da nascente do Córrego Vendas", explicou o presidente da Câmara de Valores Imobiliários, Ronaldo Bedini.

Para ele, outro fator que faz o imóvel do Estado perder um pouco de valor é o fato de a testada ser muito tímida. "Chega a valer R$ 1.000,00 o metro quadrado quando a área é de 50 por 50, que é a melhor forma que existe", afirmou Bedini, comparativamente. "No caso do imóvel do Estado deve ter em torno de 40 de frente por 400 de fundo e, em razão de haver umidade e a área precisar de aterro, acaba caindo para R$ 552,00 o metro quadrado", disse. 

Sesau e SES recolhem quase 10 toneladas de lixo no Jardim Noroeste
A ação de recolhimento de lixo realizada em casas e terrenos baldios no Jardim Noroeste - bairro localizado na regiões leste de Campo Grande - somou ...
Apae recebe doação de brinquedos da campanha Compartilhe o Natal
Foi iniciado nesta segunda-feira (11) a entrega de brinquedos arrecadados na campanha "Compartilhe o Natal", realizado pelo Ministério Público Estadu...
Ação oferece serviço especial na UBSF do Tarumã nesta terça-feira
A UBSF (Unidade Básica de Saúde da Família) do Tarumã promove nesta terça-feira (12) diversas atividades voltadas para a promoção de saúde da populaç...


Cadê o MP do Meio Ambiente pra cuidar da nascente???? depois fala que ah já foi edificado o imóvel, os órgãos competentes já autorização a obra... blábláblá..
 
Deocleciano Rover em 30/07/2013 08:43:10
Esse local possui a nascente de um riacho e deve ser preservado, devendo ficar muito claro no Edital onde pode e não pode ser construído. A nascente está ali antes mesmo do início de Campo Grande, e temos que respeitar a natureza.
 
Sebastião Dussel em 30/07/2013 07:14:43
É bom que fique claro no edital que a área se trata da nascente do córrego Vendas e quem arrematar só terá que fazer a recuperação da área degradada e não poderá construir absolutamente nada. Cuidado para não ser enganado.
 
Antonio Carlos Silva Sampaio em 29/07/2013 23:39:42
SE É UMA NASCENTE QUE PODE SER PRESERVADA PORQUE O MINISTÉRIO PÚBLICO ESTA DEIXANDO ISSO ACONTECER, É UM BEM DE TODOS PRESERVEM
 
Luiz Carlos Santos Messias em 29/07/2013 23:00:46
Essa área possui uma nascente de rio que deságua no Itanhangá Parque, é um dos poucos rios que ainda não está poluído nesta cidade. Está área já foi invadida por todos os lados por associação, concessionárias, marmoarias e também por residências. O Governo do Estado deveria aproveitar esta área e construir um grande parque ecológico, seria muito mais útil. Poderia aproveitar para fazer um local de estudo ambiental, já há uma escola técnica em um dos lados desta área.
 
Paul Martins em 29/07/2013 22:00:26
Tem que vender mesmo! O imóvel tem que cumprir sua função social! Agora, tem gente que não sabe ler! O Bedini disse que "o imóvel posterior inclui parte da nascente do Córrego Vendas", e não o imóvel à venda! Assim, o imóvel à venda não inclui parte da nascente de nenhum córrego e por isso, nenhum impedimento que seja aterrado! Ninguém chegou a dizer em aterrar nascente do imóvel vizinho! Esses discursos demagogos, de quem nem sabe o que tá falando....
 
Pedro Pedreira em 29/07/2013 21:07:47
tem tanta gente salvando nascente como por exemplo eu em minha propriedade cerquei toda área ai e tão fácil e só consultar um engenheiro florestal ;( ÁGUA E VIDA )
 
jose amauri coelho de souza em 29/07/2013 20:45:14
Como são as coisas. O Estado de MS moveu uma ação judicial contra as famílias que residiam no local desde os anos 70, sob o argumento de que precisavam da área para instalar um setor da segurança pública.O MPE ajudou no argumento de que tais famílias deveriam sair vez que estariam prejudicando a nascente do córrego vendas.Após o deferimento do despejo de tais famílias pela vara de fazenda pública de CG agora querem leiloar a área.Corre a boca miúda que um dos interessados seria uma construtora que pretende lançar um edifício residencial no local.E agora MPE? O povo humilde que estava há décadas por lá ameaçavam o meio ambiente e a nascente do córrego vendas? O que vcs dizem sobre este leilão.E a linda área verde e nascente que existem lá perderam a importância? Registro aqui minha indign.
 
Edgar Calixto Paz em 29/07/2013 20:32:35
Como são as coisas. O Estado de MS moveu uma ação judicial contra as famílias que residiam no local desde os anos 70, sob o argumento de que precisavam da área para instalar um setor da segurança pública.O MPE ajudou no argumento de que tais famílias deveriam sair vez que estariam prejudicando a nascente do córrego vendas.Após o deferimento do despejo de tais famílias pela vara de fazenda pública de CG agora querem leiloar a área.Corre a boca miúda que um dos interessados seria uma construtora que pretende lançar um edifício residencial no local.E agora MPE? O povo humilde que estava há décadas por lá ameaçavam o meio ambiente e a nascente do córrego vendas? O que vcs dizem sobre este leilão.E a linda área verde e nascente que existem lá perderam a importância? Registro aqui minha indign.
 
Edgar Calixto Paz em 29/07/2013 20:32:00
Só complementando quem comprar a área é que deverá implementar todas as exigências necessárias á execução de qualquer projeto no local, e não deverão ser poucas essas exigências.
 
Ronaldo Ghedine Ribeiro em 29/07/2013 20:04:03
Conforme o amigo Gustavo disse, e a nascente do Córrego Vendas" deve ser uma área publica de preservação. já estão construindo tanta coisa ate dentro das nações indígenas..(museu, aquário, Yoted, cidade do natal, pastel d´douro etc...) precisamos de parques , nossa população esta envelhecendo... onde vou passear ... nos shopping.....rs.rs..
 
Ademir Gregorio em 29/07/2013 19:38:18
Gustavo, vc não entendeu, a nascente não é no terreno e sim no imóvel posterior, isto é, este terreno pega somente a umidade oriunda da nascente, portanto, podemos deduzir que o aterro do terreno e questão não afetará em nada a nascente.
 
MAURO MENEZES em 29/07/2013 18:51:29
Vou arriscar um palpite, será arrematada por um grupo empresarial que construira no local uma Agencia de Veiculos/ Concessionaria
 
Gustavo Silva em 29/07/2013 18:31:11
Engraçado que para vender/arrecadar não são medidos esforços.
Quero ver qual vai ser a destinação desse dinheiro.
 
Cleberson Silva em 29/07/2013 18:19:48
E A NASCENTE SERÁ SOTERRADA SIMPLESMENTE AO INVÉS DE ELABORAR UM PLANO DE RECUPERAÇÃO? DESCASO COM O MEIO AMBIENTE, FALTA DE GESTÃO DOS ÓRGÃOS AMBIENTAIS E COLABORAÇÃO DA INOPERÂNCIA DO GOVERNO EM CUIDAR DAS NOSSAS ÁGUAS
 
gustavo marchetti em 29/07/2013 16:35:33
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions