A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 21 de Setembro de 2018

12/12/2017 17:10

Estelionatário preso no Centro é “especialista” em usar nome falso

Maicon Nait já foi preso três vezes com documentos falso e chega a responder um processo em nome de outra pessoa

Geisy Garnes
A quadrilha foi presa após tentar fugir pelo centro de Campo Grande (Foto: Anahi Gurgel)A quadrilha foi presa após tentar fugir pelo centro de Campo Grande (Foto: Anahi Gurgel)

O estelionatário Maicon Nait Rodrigues Pereira, de 31 anos, preso no dia 5 de dezembro após perseguição no Centro de Campo Grande, estava foragido do sistema prisional de Goiás e é considerado pela polícia como um ‘especialista’ em nomes falso. Ele já foi preso pelo menos três vezes com documentos falsos e chega a responder um processo no nome de outra pessoa.

Pereira foi detido após fugir de uma abordagem do GOI (Grupo de Operações e Investigações) e entrar na contramão da Rua 13 de Maio. Na data, os policiais também prenderam Gabriele Ferreira de Araújo, de 19 anos e Eliana Yara Martins de Jesus, de 53 anos, como integrantes do grupo especializado em fazer empréstimos usando nomes falsos.

Preso, Maicon apresentou uma CNH (Carteira Nacional de Habilitação) em nome de José Rodrigues, mas durante as investigações os policiais perceberam que o documento estava alterado e chegaram ao verdadeiro nome do suspeito: Maicon Nait Rodrigues Pereira.

Os policiais descobriram ainda que Maicon estava foragido do sistema prisional de Goiás, onde foi condenado a 22 anos e seis meses de reclusão por matar Elias Rafael de Silveira, na cidade de Jaraguá. O crime aconteceu em 2009, quando a vítima tinha 20 anos. Ele foi atropelado, assassinado a golpes de faca e teve o corpo abandonado em uma cisterna ás margens da BR-153.

Pelo o crime, Maicon só foi preso nove meses depois, quando vivia em Rondonópolis, Mato Grosso, usando o nome de Marcelo. A condenação pelo homicídio veio em 2011, mas depois disso, o suspeito conseguiu fugir e veio para Mato Grosso do Sul. Usando o nome de um comparsa, foi novamente preso, desta vez em Costa Rica, a 305 quilômetros da Capital.

Conforme apurado pelo Campo Grande News, Maicon foi flagrado com mais de uma tonelada de maconha e se apresentou como Marcos Gomes Franco. Ele cumpriu pena com o nome do comparsa, saiu do regime fechado para o semiaberto e mais uma vez fugiu. Por conta disso, a justiça expediu um mandado de prisão para ele, mas no nome de Marcos.

No dia 5 de dezembro Maicon usou novamente um documento falso. O verdadeiro José Rodrigues foi encontrada pela polícia e contou que havia perdido a CNH há cerca de um mês.

 

Cruze invadiu a contramão na 13 de Maio, atingindo vários veículos. (Foto: Anahi Gurgel)Cruze invadiu a contramão na 13 de Maio, atingindo vários veículos. (Foto: Anahi Gurgel)

Golpe - Equipes do GOI investigavam uma tentativa de estelionato na cidade de Dourados quando receberam informações de que a quadrilha tentaria conseguir um empréstimo de R$ 35 mil em uma operadora de crédito da Avenida Afonso Pena. No local, os policiais flagraram Eliana Yara Martins de Jesus, de 53 anos, que também apresentou um documento falso, mas acabou confessando o golpe.

A mulher relatou que estava com a neta, Nadja Ribeiro de Jesus, de 37 anos e um homem e que os dois voltariam para buscá-la em um Chevrolet Cruze.

No momento em que os suspeitos chegaram ao local, dois policiais tentaram fazer a abordagem. Contudo, o motorista teria jogado o carro contra as autoridades e iniciado a fuga, invadindo a contramão da 13 de Maio.Na manobra, um Fiat Palio e um Ford Fiesta foram atingidos pelo veículo onde estavam os suspeitos.

Com o acidente, os suspeitos fugiram a pé pelas ruas do centro de Campo Grande. Gabriele e Maicon foram capturados, mas a neta de Eliana conseguiu fugir. Nadja Ribeiro continua foragida, enquanto a avó e o comparsa seguem presos. A menina de 19 anos foi ouvida e liberada no mesmo dia.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions