A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

24/01/2013 10:10

Existem, sim, bons exemplos no combate à dengue na Capital

Helton Verão
Garrafas e vasilhas todas com abertura para baixo, para evitar o acumulo de água (Foto: Luciano Muta)Garrafas e vasilhas todas com abertura para baixo, para evitar o acumulo de água (Foto: Luciano Muta)

A epidemia de dengue, que já registra mais de 10,5 mil casos só em Campo Grande tem deixado a população em alerta. As formas de combater e evitar a proliferação e os maus exemplos são preocupação, por serem considerados um dos motivos para a doença avançar. Mas existem, sim, bons exemplos e o Campo Grande News foi buscá-los. 

No bairro Guanandi II, o estabelecimento de Laine Coelho é um dos bons exemplos a se seguir. Além o mercado em uma parte do imóvel, ao lado há um terreno sem construção. Seria local perfeito para acumular móveis, garrafas e sujeira, só que no caso da empresária, isso não ocorre.

“Com um terreno como este ao lado poderia ser ideal para o acúmulo de situações para o foco da dengue, mas tenho cuidado bem, separado recipientes, garrafas, sempre com a abertura para baixo. Em minha residência não é diferente.”, explica Laine.

Segundo a empresária, os vizinhos ao redor são de confiança, todos são cuidadosos, mas ela tem receio com os mais desleixados.

 

A alternativa encontrada por Karla foi não ter plantas em casa (Foto: Luciano Muta)A alternativa encontrada por Karla foi não ter plantas em casa (Foto: Luciano Muta)

No Aero Rancho, setor cinco, outro caso interessante no combate à dengue. A recepcionista Karla Azuaga não tem nenhum tipo de planta ou pote em seu quintal, que é todo cimentado. “Não quero plantas, não que eu odeie, mas não tenho tempo para cuidar, com isso evito os focos da dengue”, revela Karla.

Os números da doença mostram que muita gente precisa aprender com ela. A cada mil moradores de Campo Grande, 12 estão com dengue. considerando o índice de 1.211,3 casos da doença para cada 100 mil habitantes.

Por causa da epidemia, Campo Grande está em situação de emergência.

 



Eu gostei do saco plástico com a boca aberta para cima na primeira foto. Pode isso Arnaldo?
 
Murilo Sançana França em 24/01/2013 17:20:19
Faço minhas as escritas do Marcos da Silva.
 
Marcos Batista em 24/01/2013 16:58:01
O exemplo da Karla, cimentar todo o terreno, infelizmente NÃO é exemplo a seguir. Inclusive é proibido por lei municipal, ja que a pratica impede a infiltração da agua de chuva no solo, causando, durante chuvas, aumento do fluxo no sarjeto (rua) e na canalização da agua pluvial, contribuindo para enchentes. Além de aumentar a temperatura media na cidade.
Se é para ter menos trabalho, e evitar agua empoçada e focos de dengue, então coloca grama e na epoca das chuvas corta a cada tres semanas. Obviamente plantas e arvores (especialmente frutiferas) podem ser evitadas pois realmente podem causar muita sujeira e dar muito trabalho. Mas se todos impermeabilizam o quintal, nenhuma obra grandiosa vai evitar que a cada chuva a cidade alaga, como em São Paulo.
 
Marcos da Silva em 24/01/2013 12:19:45
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions