A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 20 de Setembro de 2018

07/03/2018 14:00

Falta de opções e até larva na comida fazem aluno trocar almoço por lanche

Universidade informa que restaurante foi notificado a esclarecer reclamações; acadêmicos organizam protesto em frente ao RU

Danielle Valentim
Espaço onde é oferecida  alimentação para a comunidade universitária. (Foto: Marcos Ermínio)Espaço onde é oferecida alimentação para a comunidade universitária. (Foto: Marcos Ermínio)

Estudantes da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), que dependem do almoço do RU (Restaurante Universitário) reclamam da precariedade do almoço servido. Entre os cadastrados, há quem já decidiu trocar a alimentação por salgado.

Sempre temos reclamado, principalmente depois da última licitação, disse Ítalo. (Foto: Marcos Ermínio)Sempre temos reclamado, principalmente depois da última licitação, disse Ítalo. (Foto: Marcos Ermínio)

Pela cidade universitária, a reportagem encontrou Ítalo Diego de Souza, de 22 anos, sentado em uma das lanchonetes. O acadêmico de psicologia é um dos cadastrados no almoço, que decidiu se alimentar com salgados.

“Já encontrei larvas no feijão. Já houve relatos de pessoas que foram para o hospital. Eu faço parte da representação dos acadêmicos do curso de psicologia e diariamente fazemos reuniões. Sempre temos reclamado, principalmente depois da última licitação tanto do sabor, quanto das coisas que foram encontradas”, disse.

Dois acadêmicos de engenharia elétrica, de 19 e 22 anos, que preferiram não se identificar já foram vítimas da falta de higiene. “Feijão queimado, larva na salada. Essas são só algumas das coisas encontradas na comida”, disse o acadêmico. "Tem dias que a "cara" da carne vegetariana está melhor do que a normal", emenda outra estaudante.

A reclamação não é generalizada, pois os fatos reclamados não aconteceram com todos. Muitos universitário só ouviram falar.

“Eu como pouco e ainda não encontrei nada no meu prato, mas me sensibilizo com demais universitários que precisam se alimentar. (Foto: Marcos Ermínio)“Eu como pouco e ainda não encontrei nada no meu prato, mas me sensibilizo com demais universitários que precisam se alimentar. (Foto: Marcos Ermínio)

Priscila Medeiros Cesário, de 22 anos, cursa enfermagem e é só mais uma dos acadêmicas que passam o dia todo na universidade. “Eu como pouco e ainda não encontrei nada no meu prato, mas me sensibilizo com demais universitários que precisam se alimentar de outra forma e não conseguem ou até mesmo encontram as coisas na comida”, disse.

O Campo Grande News indagou a Universidade sobre a situação e questionou quem seria o responsável, atual, pelo restaurante. O nome do restaurante não foi revelado, mas por meio de nota, a assessoria da UFMS informou que a empresa que administra o RU da Cidade Universitária já foi notificado.

Prazo de 24 horas - O posicionamento informa que a Proadi (Pró-reitoria de Administração e Infraestrutura) e a Proaes (Pró-reitoria de Assuntos Estudantis) notificaram nesta quarta-feira a empresa que administra o RU, com prazo de 24 horas para esclarecimento das reclamações dos estudantes sobre a qualidade da refeição oferecida no restaurante.

A decisão foi tomada devido a reclamações registradas nesta terça-feira (6) pelos estudantes na Ouvidoria. Após o esclarecimento feito pela empresa, a Administração Central decidirá pela suspensão ou não do contrato.

“Precisamos ser muito cautelosos nesse momento. Uma suspensão no contrato implica no fechamento do restaurante por pelo menos quatro meses, até nova licitação. A nossa preocupação é não prejudicar os estudantes que dependem da alimentação oferecida no RU. Estamos atentos e vamos tomar as medidas necessárias”, explicou a pró-reitora da Proaes, Ana Rita Barbieri Filgueiras.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions