ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, SÁBADO  19    CAMPO GRANDE 15º

Capital

Falta de testemunhas dificulta investigação sobre assassinato em cruzamento

Douglas Aparecido Lima dos Santos foi morto com um tiro no rosto enquanto pedia dinheiro

Por Ana Paula Chuva e Bruna Marques | 11/05/2021 12:36
Vestígios de sangue, moedas e uma cédula de R$ 2,00 na cena do crime (Foto: Henrique Kawaminami | Arquivo)
Vestígios de sangue, moedas e uma cédula de R$ 2,00 na cena do crime (Foto: Henrique Kawaminami | Arquivo)

O assassinato de Douglas Aparecido Lima dos Santos, 28 anos, no cruzamento da Rua Cândida Lima de Barros com a Avenida Marques de Pombal, no Bairro Tiradentes, dia 27 de abril, segue um mistério para a polícia. O horário do crime e a falta de testemunhas são as principais dificuldades para investigação.

Douglas foi morto por volta das 23 horas do dia 27  e de acordo com o delegado titular da 4ª Delegacia de Polícia, João Reis Belo, por conta do horário do crime não há testemunhas do crime.

Além disso, as imagens que foram entregues à polícia da região onde o crime aconteceu não mostram muita coisa, dificultando a procura por um suspeito e deixando a investigação complicada.

Douglas é natural de Caarapó, cidade a 273 quilômetros de Campo Grande, e estava morando no Bairro Tiradentes onde pedia dinheiro nas ruas. Ainda conforme o delegado, ele tem passagens por receptação em 2014, suspeita de roubo e resistência e desordem em 2016, mas não há nenhuma ocorrência recente contra ele.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário