A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Novembro de 2019

09/11/2019 11:11

Família de menino com crise renal denuncia “jogo de empurra” entre hospitais

Criança de 10 anos recebeu alta da Santa Casa, mas precisou voltar para hospital. Família diz que HR tenta transferência

Izabela Sanchez
Hospital Regional em Campo Grande (Foto: Arquivo/Campo Grande News)Hospital Regional em Campo Grande (Foto: Arquivo/Campo Grande News)

A família de um menino de 10 anos que vive em Campo Grande denuncia um “jogo de empurra” entre Santa Casa e Hospital Regional na internação da criança que sofre de crise renal. Ele está desde terça-feira (5) internado no Hospital Regional, que tenta transferi-lo para a Santa Casa.

Segundo a tia do menino, Wilma Batistoti Goes de Souza, 54, a Santa Casa é onde ele esteve internado pela primeira vez na segunda-feira (4). O hospital, ainda assim, diz ela, deu alta para a criança na terça-feira (5).

A tia afirma que no mesmo dia em que foi liberado, durante a noite, o menino voltou a passar mal. Ela diz que a justificativa do médico para liberá-lo era que o caso demandava apenas atendimento ambulatorial.

“Ele começou a sentir dores e foi para o posto da Coronel Antonino, ficou sexta [1], sábado [2] e domingo [3] e na segunda [4] foi para a Santa Casa. Quando foi na terça, o urologista deu alta pra ele, às 13h, falou que o problema não era grave e que procurasse ambulatório próximo. No mesmo dia, terça a noite, passou mal de novo, meu irmão levou para o posto no e lá aconselharam a levar para o Regional”, contou.

Conforme a tia, ele realizou todos os exames, que indicam que está com cálculo – conhecido como “pedras no rim”, e que a região onde estão alojadas apresenta inchaço -. Além disso, diz, a criança apresenta fraqueza por não conseguir se alimentar e estar constantemente “vomitando”.

O que ocorre, relata, é que não há urologista pediatra no HR, e o urologista do hospital está em licença médica após cirurgia. Ela declarou que o HR tenta transferir a criança para a Santa Casa.

“Está há uma semana sem comer. A última tomografia afirma que está com volume a parte onde está a pedra, nem a morfina está segurando a dor, porque no regional não tem urologista pediatra. O médico que está passando lá é de adulto e está de licença porque fez uma cirurgia”, comentou.

Por meio da assessoria de imprensa, a Santa Casa respondeu que a criança "deu entrada no dia 04 e foi encaminhado ao urologista". "O médico realizou todos os exames necessários e foi indicado que o canal não estava sendo obstruído pela pedra. Então não tem intervenção cirúrgica. Ele recebeu alta com medicação e encaminhamento para retorno ambulatorial para ser acompanhado até expelir a pedra", disse a assessoria.

O Campo Grande News entrou em contato com o HR, por meio da assessoria de imprensa, que não atendeu as ligações.

 

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions