A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

09/04/2011 11:49

Família de segurança morto promete protestos para que crime não seja esquecido

Aline Queiroz e Ricardo Campo Júnior

Parentes e amigos fizeram panfletagem na Praça Ary Coelho

Parentes e amigos do segurança fizeram esta manhã uma manifestação na praça Ary CoelhoParentes e amigos do segurança fizeram esta manhã uma manifestação na praça Ary Coelho

Familiares e amigos do segurança Jefferson Bruno Escobar, 23 anos, fizeram esta manhã uma manifestação com objetivo de evitar que a morte do jovem caia no esquecimento.

Eles vestiram camisetas com a foto de Brunão, como era conhecido, e foram à Praça Ary Coelho entregar panfletos para lembrar o crime que chocou, não só as pessoas que eram próximas do segurança.

Brunão trabalhava como segurança da casa noturna, localizada na Avenida Afonso Pena, desde a inauguração, ocorrida três meses antes do crime, 19 de março.

Depois de colocar para fora do estabelecimento o cliente Cristhiano Luna de Almeida, 23 anos, houve uma briga o segurança morreu em decorrência a luta.

Cristhiano é formado em Direito e lutador de jiu jtsu. Ele acabou preso na madrugada do crime, quando já estava em casa, no Bairro Chácara Cachoeira, área nobre da cidade.

Sensibilizados - Mesmo quem não conhecia a família do segurança se sensibilizou com a manifestação desta manhã.

A camareira Nazaré Ferreira, 37 anos, passava pela praça e pegou um dos panfletos, que trazia a frase: “o esquecimento é o adubo que nutre a impunidade”.

Ela aprovou a atitude da família. “É ótimo para conscientizar as pessoas para não cair no esquecimento”, destaca.

A dona-de-casa Ivonete Andrade, 46 anos, acompanhou pela imprensa o caso e hoje viu a manifestação na praça.A dona-de-casa Ivonete Andrade, 46 anos, acompanhou pela imprensa o caso e hoje viu a manifestação na praça.

A dona-de-casa Ivonete Andrade, 46 anos, acompanhou pela imprensa o caso e hoje viu a manifestação na praça.

“O que aconteceu com o Brunão, se a família deixar, daqui a pouco acontece com outros”, diz.

A mãe de Brunão, Edicelma Gomes Vieira, 40 anos, afirma ter pena do Cristhiano.

O pai da vítima, João Márcio Escobar, 46 anos, tem o mesmo sentimento em relação ao lutador.

Ele explica que a manifestação tem objetivo de relembrar a sociedade sobre o caso.

Segundo João Márcio, a família prepara ações públicas mensais, sempre no dia 19. Em abril completa o primeiro mês da morte do segurança e, para a data, a família prepara uma grande manifestação.

O pai do rapaz também tenta criar uma fundação voltada ao atendimento de famílias de vítimas da violência.

Ele esclarece que algumas pessoas não têm condição financeira para ter assistência jurídica nestes casos e, por este motivo, tenta apoio de advogados para o serviço.

Churrasco - Brunão era um dos sócios-fundadores da torcida Falange Vermelha, torcida do Comercial. Os torcedores preparam um churrasco e a renda será destinada para construção de uma capela no cemitério Santo Amaro, local onde o segurança foi enterrado.

O churrasco será amanhã, a partir das 11 horas, na Rua da Pátria, 2550, no Bairro Caiçara, em Campo Grande. É preciso levar pratos e talheres.

Convites custam R$ 10,00 e poderão ser comprados na hora. Mais informações podem ser obtidas pelos telefones: (67) 9243-4765 e (67) 9977-5003.



pedimos paz.....não guerra......VENÇA O MAL COM O BEM....

QUE A FAMILIA TENHA A PAZ QUE EXCEDE TODO ENTENDIMENTO NESTE MOMENTO DE DOR....
 
celia roseli em 11/04/2011 07:18:01
E é com mais violência que vocês dois pretendem lutar contra a violência? Dessa forma só se faz nutrir o lado obscuro que acompanha o ser humano desde a sua criação. O lado do rancor, do odio, do descaso, da maldade. O assassino do Bruno é um animal, solto, que deve ser enjaulado. Mas de forma alguma morto ou assassinado, pois estariamos nos igualando a esse monstro. O que dizer então do atentado de Realengo, no Rio. Até o momento só vi mensagens de ódio em relação ao autor do crime, porém, esquecem que se tratava de uma alma doente, e que alem das vítimas, ele tambem merece nossas orações. Claro, a primeira coisa que dizem é que esse pensamento se deve por tais fatos não acontecerem com pessoas proximas ou parentes meus. Tudo bem, até entendo, mas em nenhuma das duas hipoteses iria perpetuar o mal que os dois casos causaram para tantas familias. Peçam paz para esses dois. Somente!
 
thiego Pacheco em 10/04/2011 11:36:55
Realmente Carlos e Karina, parece-me que a segunda opção é a mais viável, uma vez que quem tem dinheiro contrata os Melhores advogados. A família do Christiano já contratou o advogado Ricardo Trad, um dos melhores de Campo Grande. Vi na TV que o ilustríssimo advogado já levantou uma versão a respeito do crime: de que teria sido a massagem de reanimação que fez a lesão na caixa torácica. Acho realmente impossível algo assim acontecer, uma vez que a potência de um chute ou soco é muito maior do que uma massagem! Só peço uma coisa a nossa Justiça, de que este rapaz seja levado a Júri Popular. E que nossos Cidadãos Campograndessenses que participarem deste Júri não se deixem levar por teses irreais! Jutiça é para todos e não somente para os pobres!
 
Juca Tomasino em 10/04/2011 06:32:28
Carlos, gostei mais da segunda opção também...
 
Karina Lopes em 09/04/2011 12:18:56
A familia desse rapaz morto tem duas opções , ou contrata um bom advogado e poe esse bandido na cadeia,ou um bom pistoleiro e manda ele pro além também.
Acho mais fácil a segunda opção.
 
Carlos Orinone em 09/04/2011 12:06:04
Esse crime não pode ser esquecido - se cair no esquecimento...logo esse filhinho de papai estará solto e continuará matando...acredito que um dia ele encontrará o dele - "os cemitérios estão cheios de valentões"!!
 
Jane Oliveira em 09/04/2011 10:11:03
Parabéns aos familiares, o caminho é este, as manobras de recursos dos advogados de defesa nada mais são do que provocar um " esfriamento popular " caindo no esquecimento e consequentemente esfriando o clamor popular por justiça.
Estas suas atitudes não trará Bruno de volta, mas devitará que outros " BRUNOS" sejam vitimas de outros "CRISTHIANOS" inconsequentes que se fazem passar por "MACHOES" para se auto afirmarem e depois CHORAM COMO BEBES.
Quem realmente é bom e responsável não precisa provar nada, nem aos outros nem a sí mesmo.
REPITO PARABENS, O CAMINHO É ESTE. VÃO EM FRENTE POIS SERÁ FEITO JUSTIÇA, CREIAM NA JUSTIÇA E NOS HOMENS DE BEM.
 
José Inácio em 09/04/2011 08:42:21
NAO DA PARA ENTENDER O SER HUMANO MESMO....AO MESMO TEMPO Q SE PEDE PAZ, NOS DEPARAMOS COM COMENTARIOS DA ESTIRPE DO SR. CARLOS ORIONE E KARINA LOPES EM QUE NADA CONTRIBUE PARA BOM DESENVOLVIMENTO DA SOCIEDADE. ACABAMOS DE PRESENCIAR CENAS DE VIOLENCIA NO RJ E AO INVES DE COMOÇAO E SENSIBILIDADE, VEMOS O INVERSO!!!LAMENTAVEL!!! SE A JUSTIÇA DOS HOMENS NAO FOR FEITA, A JUSTIÇA DE DEUS SERA PONTUAL!!!!
 
JOSI ANDRADE em 09/04/2011 06:39:37
Também sou, sem sombra de dúvidas, apta a segunda opção! Que me desculpe quem acha que violência não se trata com violência, mas, sou mais aquele velho ditado "quem com ferro fere, com ferro será ferido..."
 
Leonora Simplório em 09/04/2011 03:44:36
Infelizmente, aqui em Campo Grande, a segunda opção além de ser mais justa é mais eficiente, pq ninguém que mora na Chacara Cachoeirá, frequenta boate de luxo, é formado em direito e tem um bom sobrenome é condenado nessa cidade. Infelizmente vivemos numa cidade que de grande só tem o nome.
 
Juliana Silva em 09/04/2011 01:48:55
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions