ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUINTA  22    CAMPO GRANDE 31º

Capital

Gaeco continua na sede da na Omep para ‘busca minuciosa’, diz agente

Movimentação é intensa na sede do Grupo de Combate ao Crime Organizado do MPE

Anahi Zurutuza, Richelieu de Carlo e Adriano Fernandes | 13/12/2016 15:31
Policial militar que deu apoio ao Gaeco durante buscas na sede da Omep pela manhã; ele deixou o local nesta tarde (Foto: Richelieu de Carlo)
Policial militar que deu apoio ao Gaeco durante buscas na sede da Omep pela manhã; ele deixou o local nesta tarde (Foto: Richelieu de Carlo)

Duas das três equipes do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) que foram enviadas para o cumprimento de mandado de busca e apreensão na Omep (Organização Mundial para Educação Pré-Escolar), em Campo Grande, já deixaram o local. Um dos agentes informou que mais agentes continuam no local vasculhando documentos, uma vez que o trabalho é minucioso, e não têm hora para sair do prédio.

Os agentes que deixaram a Omep saíram apenas com pastas vermelhas e não deram mais detalhes sobre o que está sendo feito lá dentro.

Operação – O mandado de busca em apreensão que está sendo cumprido faz parte da Operação Urutau que investiga a existência de funcionários fantasmas contratados por meio da Seleta Sociedade Caritativa e Humanitária e Omep (Organização Mundial pela Educação Pré-Escolar) para trabalhar na Prefeitura de Campo Grande.

Ao todo, foram expedidos a pedido do Gaeco,14 mandados de busca e apreensão de documentos, três de prisões temporárias e sete para conduções coercitivas, quando a pessoa é levada para prestar depoimento.

Equipes do Gaeco também já deixaram a sede da Seleta, após cinco horas de buscas. A investigação mira a prática de improbidade administrativa, peculato, associação criminosa, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica, supostamente praticados pelos presidentes Maria Aparecida Salmaze (Omep) e Gilbraz Marques (Seleta).

Os mandados foram cumpridos ainda na casa de Gilbraz e no gabinete da vereadora Magali Picarelli. O presidente da Seleta, Maria Aparecida e a parlamentar foram levados para depor, mas o Gaeco não confirmou se eles são alvos dos mandados de prisão ou de condução coercitiva.

Movimentação em frente ao Gaeco; a todo momento veículos, com identificação e não, entram e saem (Foto: Adriano Fernandes)
Movimentação em frente ao Gaeco; a todo momento veículos, com identificação e não, entram e saem (Foto: Adriano Fernandes)

Gaeco – A movimentação é intensa na sede do Grupo de Combate ao Crime Organizado, no Parque dos Poderes. A todo momento viaturas da “tropa de elite” do MPE (Ministério Público Estadual) chegam e saem do local.

Gilbraz e Maria Aparecida ainda não teriam deixado o local e, agora a tarde, advogados chegaram do Gaeco dizendo que representam uma mulher chamada Kelly, que ele não confirmaram ter ligação com a Omep ou com a Seleta. “Não sabemos o que está acontecendo ainda”, limitou-se a declarar para a imprensa o defensor Fabio Pinto de Figueiredo, que chegou ao local acompanhado de uma advogada.

Por meio da assessoria de imprensa, o MPE informou que o Gaeco só vai se manifestar por nota e depois que todos os mandados forem cumpridos.

Nos siga no Google Notícias