A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

06/10/2016 15:58

Garoto de 18 anos é espancado por quatro "amigos" do Colégio Militar

Luana Rodrigues
Vídeo registra um dos momentos da briga, segundo testemunha (Foto: Reprodução)Vídeo registra um dos momentos da briga, segundo testemunha (Foto: Reprodução)

Maldade e selvageria por parte da 'molecada' são mais comuns do que se imagina. A repercussão do vídeo em que um garoto aparece sendo espancado por outro jovem, em Campo Grande, abriu espaço para vítimas que passaram pela mesma situação denunciem seus casos.

Nesta quinta-feira (6), novo caso chegou ao conhecimento do Campo Grande News, desta vez envolvendo alunos do Colégio Militar. Outro garoto de 18 anos foi espancado por um grupo de jovens, na Rua Seringueira, bairro Coophatrabalho, em Campo Grande. O caso ocorreu no dia 12 de setembro deste ano.

De acordo com uma pessoa próxima à vítima, que terá a identidade preservada, o garoto e os agressores estudavam no Colégio Militar e eram "amigos de infância". No dia da briga, eles saíam da festa de aniversário de 18 anos de um dos meninos da roda, depois de terminarem uma prova para ingressar no Espcex (Escola Preparatória de Cadetes do Exército).

Houve discussão entre os membros do grupo e, segundo a testemunha, a vítima teria tentado acalmar um amigo, momento em que quatro garotos, com idades entre 17 e 19 anos, passaram a espancá-lo. “Eles deram uma gravata, depois arrastaram ele no chão, quebraram seu óculos, fizeram um escarcéu. Ele só apanhou, não fez nada”, disse.

A testemunha conta que o garoto precisou ser levado ao hospital devido às lesões. “Ele chegou em casa todo ensanguentado, mancando, foi um desespero para a família”, diz. As agressões foram denunciadas à polícia e o caso foi registrado como lesão corporal dolosa.

Vídeo a que a reportagem teve acesso – e pode ser visto abaixo deste texto – mostra parcialmente um dos momentos da confusão. Pelas imagens, é possível observar uma pessoa contendo outra, enquanto mais gente parece andar em círculo alguns metros adiante – na versão da testemunha ouvida pela reportagem, seria parte da confusão ocorrida naquela noite.

O Campo Grande News entrou em contato com o Colégio Militar, que informou por meio da assessoria de imprensa que foi aberta uma sindicância para apurar o caso, mas o processo de investigação ainda está em curso. Por enquanto não houve punição a nenhum aluno envolvido na briga.

O garoto não estuda mais no Colégio Militar. Foi transferido pela família, por medo de represálias.

Em caso mais recente, agressor aplica um golpe mata leão na vítima, que em seguida desmaia (Foto: Reprodução)Em caso mais recente, agressor aplica um golpe "mata leão" na vítima, que em seguida desmaia (Foto: Reprodução)

Selvageria - No primeiro caso que veio à tona nesta semana, o vídeo de agressão que circula pelas redes sociais em todo o Brasil, e revoltou muita gente, mostra Jhonny Celestino Holsback Belluzzo, 19 anos, e Alessandro Ronaldo Mosca Junior, 21, agredindo um rapaz de 18 anos.

As imagens são fortes. No chão, a vítima é duramente espancada por pelo menos dois agressores, enquanto outros assistem e um deles, desesperadamente, grita: “não mata ele, não”.

A briga aconteceu dia 18 de setembro, foi registrado na polícia seis dias depois. O delegado Fabiano Nagata, da 1ª DP (Delegacia de Polícia) falou sobre o caso, depois que o vídeo veio à tona em grupos de WhatsApp. O crime foi registrado como tentativa de homicídio.



Nestes casos de violência publica onde se assiste e filma, por que não se intervem? Então há tempo de parar e filmar mas não ha tempo para impedir a continuidade da violência? Seres humanos, este mistério! Onde estão, o que pensam, do que se alimentam....não perca os próximos capítulos.
 
monica em 07/10/2016 08:37:32
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions