A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 22 de Maio de 2018

03/06/2011 17:54

Adolescentes que extorquiam colega contam que agressão acontecia dentro de sala de aula

Paula Maciulevicius

Cinco adolescentes envolvidos dizem “todo mundo tirava dinheiro dele. Ele apanhava direto, até dentro da sala de aula”

Outros cinco adolescentes acusados de extorsão contra garoto de 13 anos em escola pública de Campo Grande confessam que as ameaças ocorriam dentro de sala e sugerem que professores e até a mãe de um deles sabia do caso e nada fizeram. Eles forçavam o colega a entregar dinheiro, lanches e fazer compras para o grupo.

Em depoimento prestado à Polícia, um deles, de 14 anos, afirmou que a vítima até apanhava dentro da sala de aula e que alguns professores presenciaram, mas não impediram.

“Ele apanhava direto, até dentro da sala, professores viram e não tomaram providência”, disse à Polícia um dos envolvidos.

Outro menino comentou que o colega extorquido pagou várias vezes lanche para ele e que o troco ficava sempre com o agressor e que a mãe tinha conhecimento.

“Chegava em casa e já falava para minha mãe de onde era o dinheiro, ela sempre me falava que isso não está certo, um dia vai cair e você vai ver”, mesmo com o aviso dos pais, ele continuava recebendo o dinheiro do lanche. “Continuei, porque não via nada de errado nisso”, declara.

A diretora do colégio em que o caso de bullying começou foi chamada novamente e disse que não chegou ao conhecimento da direção a violência sofrida dentro da sala. Ela citou que a única ocorrência envolvendo a vítima e o primeiro agressor, foi a de que ele era obrigado a fazer tarefas dos outros, o que de imediato foi resolvido.

As demais agressões, segundo a diretora, não chegaram ao conhecimento da administração. “Um chuta o outro, mas quando chamam, eles dizem que é brincadeira. Agora quando extrapola a gente sempre chama, só que no caso deles, nunca extrapolou”, explica a direção.

O garoto de 14 anos comentou ter visto várias vezes a vítima dar dinheiro aos outros colegas e que pegou apenas uma vez. Segundo ele, foi tanto dinheiro dado aos outros, que nem dá para saber a quantia. Só ao primeiro agressor, foram dadas notas de R$ 100 reais “inteirinhas”, comentou.

Em relação às agressões, o adolescente disse que a vítima apanhou tanto do primeiro agressor, que chegou a ficar até manco. “Às vezes ele falava que não ia dar mais dinheiro para esses guris não, daí eles falavam se você não trazer, eu vou te bater”, conta.

O outro colega, de 14 anos, fala que pegou dinheiro da vítima, em 2010. A forma como eles contam os fatos passa a impressão de que a ação não era vista como crime.

“Todo mundo tirava dinheiro dele, eu fiz isso, mas só ano passado. A gente dizia que ia bater nele, e que ele tinha que levar dinheiro para a gente, daí ele pagava lanche para todo mundo”, falou.

O mesmo adolescente conta que o primeiro agressor pedia dinheiro quase todo dia. “Tinha vez que ele fazia ele [vítima] ir ao shopping, para comprar coisas”, o mesmo ocorria em supermercados e no camelódromo. Os meninos o obrigavam a comprar cigarros e bebidas para o grupo, segundo os depoimentos.

A vítima, que começou sofrendo bullying e passou a ser extorquido no intervalo de um ano, confirmou o envolvimento dos outros cinco garotos.

O estudante de 13 anos que é citado pela vítima como um dos que mais agredia, convive com garotos mais velhos na escola, segundo os outros meninos. “Ele fica andando com caras do 2° ano que são maiores e usa os amigos mais velhos para amedrontar os colegas”, diz um dos envolvidos.

O garoto disse ao Campo Grande News, que está sendo acusado de uma coisa que não fez. “Os guris que faziam isso, eles pediam dinheiro, se ele não desse, começavam a ameaçar, dizendo que ia bater nele”, conta.

Emprestado - Ele conta que os meninos pularam o muro da escola, depois que alguns repetiram de ano e não estudam mais no colégio, para levar a vítima para o shopping. “Eu pedi R$ 5 reais para ele, daí no outro dia eu já devolvi, era só para comprar o lanche”, justifica.

“Colocaram meu nome aí, mas eu não extorquia não. Só foi R$ 5 reais e emprestado”, completa.

O menino conta que a vítima tinha mais medo do fulano e não do agressor já disciplinado “ele era maior e mais forte do que o colega”, explica.

Caso – A história é digna de um filme americano, o caso clássico de bullying, onde a vítima “pagava” para não apanhar. O agressor, ao contrário dos personagens retratados nos filmes, não era “valentão” e tão pouco parecia capaz de ameaçar um colega por mais de um ano.

O caso só foi descoberto depois que uma pessoa próxima contou a família da vítima. O caso foi registrado na Deaij (Delegacia de Atendimento a Infância e Juventude). O garoto que sofria a extorsão foi levado a marcar encontro no terminal de ônibus para fazer o pagamento. A equipe da Deaij esperou junto com a vítima pela chegada do agressor e flagrou a entrega do dinheiro.

Depois que iniciaram as investigações, outros cinco adolescentes foram apontados como envolvidos. O primeiro agressor identificado já está cumprindo a medida de ação educativa, proposta pelo MPE (Ministério Público Estadual), através da 27ª Vara da Infância e da Adolescência. O promotor Sérgio Harfouche, determinou que o adolescente cumpra as tarefas de manutenção da escola em que o caso começou, no contra-turno da aula.

As práticas de ação educativa seguem por três meses. A família do garoto se comprometeu a ressarcir a vítima em R$ 500 reais.

Na próxima semana, o MPE vai ouvir os cinco envolvidos, em audiência.



Mundo velho esta perdido e não indireita mais, os filhos de hoje em dia já não obedeçem os pais, que maioria não estão nem um pouco interessado em educar seus filhos, pq acham que isso é obrigação das escolas e professores. Mas o governo também apoia esse tipo de atividade, que o papel do professor é dar educação aos filhos de pais que não tem e nem vão dar educação aos seus filhos. Aliás aquela velha frase "educação vem de casa" já está velha mesmo....Esse é o nosso Brasil que todos nós merecemos, somos nós que colocamos os "grandes representantes" no poder. Parabéns Brasillllllll
 
Renan Magalhães em 04/06/2011 12:26:37
Não tem geito não, as crianças ruins fazem porque os pais tbem fazem. sao crianças largadas, com certeza tem alguem pior nessas familias dessas crianças que fizeram isso......
 
thiago souza em 04/06/2011 11:52:59
PAIS ACORDEM, SEJAM ENERGICOS EDUQUEM SEUS FILHOS, E SUA RESPONSABILIDADE, NÃO DO ESTADO OU DA ESCOLA OU DE TERCEIROS, SE NÃO VAO APRENDER MAIS PORCARIA NA UNEI OU FEBEM OU OUTRAS ENTIDADES QUE ESCOLHEREM PARA ENSINO GRATUITO SEDEPEM SEGURANÇA MAXIMA, ETC
 
MATEUS P COSTA em 04/06/2011 11:07:42
É FÁCIL COLOCAR CULPAS EM PROFESSORES OU FUNCIONÁRIOS, KERO VER DAREM CONTA DE 30 OU 35 ADOLESCENTE EM SALA DE AULA, QUEM TEM QUE DAR EDUCAÇÃO PRA CÇA É PAI E MÃE, PROFESSOR TEM QUE LECIONAR E TRABALHAR PARA A APRENDIZAGEM EM TERMOS DE DISCIPLINA PARA QUE ESSE SEJA UM CIDADÃO DIFERENCIADO, AGORA FALAR QUE PROFESSOR TEM QUE EDUCAR E COLOCAR LIMITES, ME POLPEM......... QUEM PARIU MATHEUS>>>>>>>?????? E PARABÉNS MAIS UMA VEZ PRÁ ESSE PROMOTOR QUE TÁ FAZENDO ACONTECER AKI EM CAMPO GRANDE, ASSIM QUEM SABE PELO MENOS UM POUCO DESSES ADOLESCENTES CANDIDATOS A FUTUROS MAL FEITORES PENSEM UM POUCO ANTES DE FAZER COISAS ERRADAS.
 
LUCIVANIA LOMARQUES em 04/06/2011 11:03:02
Kd o Pai desse menino q foi extorquido... rapaz se com meu filho seria mt diferente a história hein...
 
Gilberto Arantes em 04/06/2011 10:51:18

Infelizmente estamos colhendo o que plantamos. E colheremos mais "coisas" se não cuidarmos das nossas crianças, dando educação, fazendo conhecer o certo e o errado e as conseqüências das suas escolhas. Somos pais muito "ocupados", jogando a responsabilidade de criar os filhos para escolas, igrejas e outras entidades. Cuidar não é somente dar alimento, roupas e dinheiro, como se isso fosse o necessário para formá-los como cidadão; Sim, é preciso dar isso, mas o essencial que é amor, carinho, segurança e ambiente familiar de paz, hoje, não existe na maioria das famílias, e esses gestos e ações é o alicerce da família e da sociedade. Sempre escutei a frase: "Cuidar do meio ambiente para o futuro das crianças"; Mas deveria ser: "Cuidar das nossas crianças que teremos um mundo melhor". Pais, tios, avós, família precisamos "acordar", " pois uma Família, uma sociedade, um país que não cuida das suas crianças, é um país sem futuro".
Toda glória a DEUS.
Paulo Moreira.
 
Paulo Moreira em 04/06/2011 10:46:47
acho um absurdo, os professores verem o que esta acontecendo e nao tomarem nenhuma providencia. Dizer que era so brincadeira...uma piada....a escola tem a responsabiliodade de zelar pela integridade das crianças que la passam a metade do dia.
 
Maria Flor mariano em 04/06/2011 10:38:24
Só dar arroz com feijão pro filho é muito fácil, quero ver educar mesmo!
 
Márcio Patrocinio em 04/06/2011 09:25:55
Oh!!! diretora imcopetente: qualquer agressão devem chamar os pais, pra esclarecimente, mas é claro que "ele" o agressor vai dizer que era brincadeira, normalmente os professores ñ denúnciam pq acaba sobrando pra ele, pois normalmente a diretora passa a responsabilidade pra o deunciante.
 
Felipe Salinas em 04/06/2011 09:02:25
O comentário acima diz que a escola sabia, e o que a escola pode fazer, a sociedade cerceou todos os direitos da escola de educar, ninguém pode sequer elevar a voz para um aluno que está encrencado, os alunos podem bater num professor, ameçar que nada aconteçe, os direitos dos alunos bildaram eles, e eles sabem disso...
 
Tony Ferraz em 04/06/2011 08:43:10
os pais ou reponsaveis também tem que estarem atento a seu filhos quanto a comportamento notas e enteragir com os colegas de escolas e amigos de seus filhos
e por que esses educadores não estão instruidos preparado para ese tipo de ocorrencia,
todos a seu redor colocaram vendas nos olhos,e a vitima? como fica tendo que viver no seu dia a dia ao lado com seus agressores e sabendo que seus educadores e funcionários da sua escola acham aquilo curriqueiro e normal? e a vitima como e que fica emocionalmente e pscologicamente?
 
maria de jesus em 04/06/2011 03:39:11
Isto, ssao coisas de americanos, filmes, videos etc. Tudo o que nao presta e divulgado, meu tempo de Grupo Escolar Jose Rodrigues Benfica, administrada pelo saudosa Prof.
Enedina Hugo Rodrigues, Diretora linha dura, a Escola tinha seus problemas com alunos,
mas a coisa nao chegava ao extremo como vemos agora. Esse tal de BULE, na epoca tinhamos problemas, com o famoso QUEBRA OVO que acabava chegando ao conhecimento da nossa querida Dna Enedina como a chamavamos, e o castigo ja era decretado: suspensao por tantos dias, com o comparecimento dos pais na escola, e assim chegamos a onde estamos, quem for desta epoca, educados e formados etc.

 
Luciano Rosa em 04/06/2011 03:28:50
os professores nao tem responsabilidades nenhum do que pode acontecer ou nao dentro de uma sala de aula, pois principios educativos deveriam vir de suas casas ,pois o que eles aprendem dentro de casa é levado para fora,onde colocam o seu perfil dentro de uma sociedade.
 
jaqueline marques rosa em 04/06/2011 02:38:41
Ate isso querem transferir para os professores!!! Ninguem merece isses comentarios de pessoas que nao conhecem a realidade educacional de nosso país. Falta é familia; a escola e seus professores cumprem com sua responsabilidade sim.
 
juari Lopes Pinto em 04/06/2011 02:26:58
Na minha opião: A escola, os pais (agressores e vítima), devem serem responsabilizados. O professor (a) deve ter dominio e controle da sala de aulas; se perceber qualquer atitude diferente do normal de algum aluno deve corrigì-lo; caso não consiga, leve ao conhecimento da direção da escola. Quanto aos pais, sejam mais presente no dia a dia de seu filho, dando um bom exemplo de pai e só assim saberá o que seu filho faz ou deixa de fazer.
 
Valmir Alves em 04/06/2011 02:13:25
O fato de pai e os professores saberem ,não isenta a a culpabilidade do autor ,me parece que isso foi alguma instrução de seus defensores! mero factóide com o fim de desviar a atenção fato concreto!
 
marcelino nunes em 04/06/2011 01:57:36
Estão todos errados. A vítima e seus pais estão errados. Os agressores e seus pais estão errados. A escola com os administradores e professores estão todos errados. Estão todos errados de forma geral até que não vistamos a camisa de quem estão envolvidos nesse fato.
A nossa sociedade é hipócrita por natureza tupiniquim. Tudo que está acontecendo por aí afora é criação desta sociedade. Tão reclamando do quê?
 
Ezio José em 04/06/2011 01:57:12
Cadeia para todos. Mais os crimes não são julgados pelo fato, mais sim pela idade, se independentemente da idade fossem condenados a pelo menos 10 anos de cadeia, outros irão pensar.
 
Nery Ribeiro em 04/06/2011 01:39:09
Esse caso é muito estranho e precisa ser apurado bem afundo, é so apertar que deve sair leite.
 
Evanildo Ribeiro. em 03/06/2011 10:13:08
Continua mal contada essa história. O silêncio do suposto chantegeado, por mais de mês, não é normal. E agora é uma "legião" contra ele?!?!?! "nesse angu tem caroço".
 
Carlos Eduardo em 03/06/2011 09:47:57
O MUNDO ESTÁ PERDIDO.. isso é "roubo", com um nome mais bonitinho. Onde vamos parar?! Essas são as crianças do "futuro", roubam, ora inventam estupros.. Pasmem!
 
Katia Beatriz em 03/06/2011 08:23:17
Muitos pais fazem "vistas grossas" para atitudes estranhas dos filhos. Como não perceber que o filho possui coisas que os pais não lhes deram?
Esses pais precisam ser penalizados junto com seus filhos, para que aprendar que criar filho não é somente pôr comida na mesa e assinar a matricula. É preciso criar e educar!
 
Hilda França em 03/06/2011 07:49:49
Tabem sou Pai, gostaria de saber a onde estava o Pai desse garoto que tanto sofreu, e o Pai dele nunca se preocupou cm tanto dinheiro gasto pelo seu Filho, e nunca prestou atençao nos machucados do Filho, Que Belo Pai........
 
Paulo Jorge De Souza Pinto em 03/06/2011 07:37:30
Só tres meses de punição é pouco assim que eles comecam virar bandido ja tem indole ruim pois fazer isso com amigo, roubar na cara dura e pior familia saber e nao agir tinha que punir estes adolescente por um ano no minimo prestando servicos gerais na escola todos dias, e pais tbemm deveria ter punição pra educar melhor filhos nao passar maos na cabeça deles,,,,,como pode vc manda seu filho na escola pra aprender bem,, nao ta mandando ele pra presidio pra aprende que nao presta,
 
rosilene Leonel em 03/06/2011 07:26:11
Maioridade JÁ!!! sem mais comentários.
 
sandra lima em 03/06/2011 07:15:26
isso é falta de educação em casa, não tem que envolver polícia, são crianças, os pais que devem ensinar que não se pode resolver a situação com dinheiro
 
Luis Alfredo em 03/06/2011 07:03:31
Mas por que a professora ou professor não impediram isso? po que não levaram o caso para a coordenação da escola? Tão culpados quanto os outros alunos.
 
daniely de oliveira em 03/06/2011 06:58:37
No meu ponto de Vista, a Direção e demais funcionários dessa escola que sabiam do caso em sí, terão que sofrer algum tipo de punição. Em relação aos pais ou responsáveis,
com certeza persebiam algo de estranho com os filhos ao chegarem em suas casas e o dinheiro, de onde vinha? além de devolver o dinheiro terão também que cumprir alguma punição não ´somente os filhos.
 
Jones Gonçalves Fernandes em 03/06/2011 06:29:49
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions