A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 22 de Outubro de 2019

26/06/2019 23:44

Golpista fingia ser militar e cobrava até R$ 30 mil por ajuda em concurso

Suspeita dizia que era sargento e afirmava que conseguiria facilitar entrada das vítimas nas Forças Armadas

Clayton Neves
Alzira de Jesus Araújo, de 40 anos, se passava por sargento do Exército e posava com farda nas redes sociais. (Foto: Polícia Civil) Alzira de Jesus Araújo, de 40 anos, se passava por sargento do Exército e posava com farda nas redes sociais. (Foto: Polícia Civil)

Presa em Campo Grande no final da tarde desta terça-feira (27), Alzira de Jesus Araújo, de 40 anos, se passava por sargento e cobrava até R$ 30 mil por falsa ajuda em concurso para oficiais temporários e sargento do Exército. A prisão aconteceu após três meses de investigações do GOI (Grupo de Operações e Investigações da Polícia Civil) e da polícia Civil.

Para passar credibilidade, Alzira andava fardada e exibia fotos vestida como militar nas redes sociais. Ao abordar as vítimas ela usava o nome de suposto tenente do Exército, que na realidade não existe, e dizia sobre três vagas abertas. Ela convencia que poderia ajudar interessados a conseguir o posto, mas para isso, exigia valores que segundo ela, seriam destinados ao pagamento de GRU (Guias de Recolhimento da União), que também eram falsas.

Desconfiadas, algumas pessoas procuraram a polícia que passou a investigar o caso. Não foram divulgados valores que Alzira teria conseguido com o golpe, no entanto, sabe-se que a suspeita cobrava entre R$ 15 e R$ 30 mil de cada pessoa. Até agora cinco delas foram identificadas e prestaram depoimento na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitária) da Piratininga, responsável pelo caso.

 

Parte do material apreendido com a acusada. (Foto:Polícia Civil) Parte do material apreendido com a acusada. (Foto:Polícia Civil)

Investigação apontou que nem mesmo a filha da autora escapou do golpe. A jovem, de 22 anos, teria pagado R$ 3 mil à mãe com a promessa de que iria ser sargento do Exército. A jovem chegou a ser levada por ela em uma loja de artigos militares para escolher a farda que usaria quando tomasse posse. O mesmo foi feito com algumas das vítimas, quando era pressionada a agilizar a chamada, ou quando mais dinheiro era pedido.

Na casa de Alzira a polícia apreendeu botons, coturnos e diversas fardas do Exército.
com a promessa de facilidade no ingresso nas forças armadas, que procure a Depac Piratininga para registrar o fato.



O que eu gostaria de saber é se essas pessoas que procuraram a policia para fazer a denuncia cairam ou não no golpe? Se cairam são, além de idiotas, cumplices da galpista e devem pagar pelo que fizeram.
A ideia de sempre se dar bem é que facilita esse tipo de golpe.
 
Alex André de Souza em 27/06/2019 13:56:38
Não que eu goste de ver as pessoas se dando mal, mas quem entrou nesta é tão culpado quando a golpista. Essa mania de brasileiro de tirar vantagem, pagar uma propinazinha, dar um jeitinho não pega mais em lugar nenhum do mundo. Me desculpem..... mas foi bem feito para quem se lascou com a espertinha. So me resta rir, e lembre-se que quando voce acha que esta enganando, na verdade o otario é voce. Ser honesto não custa nao custa nada e faz bem .
 
Jose Antonio Leal Batista em 27/06/2019 08:39:04
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions