A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

18/02/2013 17:56

Grávida de 5 meses perde gêmeos e denuncia negligência de hospital

Nadyenka Castro e Helton Verão
Leila, de blusa vermelha, e a filha Sabrina. (Foto: Pedro Peralta)Leila, de blusa vermelha, e a filha Sabrina. (Foto: Pedro Peralta)

A família de Sabrina Marcelle Silva Oliveira, 19 anos, e a Associação de Vítimas de Erros Médicos denunciaram ao MPF (Ministério Público Federal) negligência em atendimento a jovem, no HU (Hospital Universitário), em Campo Grande.

Sabrina e a mãe, Leila, contam que a jovem passou mal no dia 21 de janeiro quando a gestação estava no quinto mês. Ela teve perda de líquido e foi atendida na unidade de saúde do bairro Aero Rancho e de lá foi transferida para o HU, cuja médica tratou o caso como infecção urinária e receitou pomada metronidazol.

A jovem seguiu a orientação médica e ao urinar no dia seguinte, voltou a passar mal e viu que a cabeça do feto estava para fora. Ela e a mãe voltaram para o HU, o atendimento foi feito pela mesma obstetra que constatou a morte do feto.

Quando a filha já estava em observação, tomando soro, a mãe estranhou a barriga ainda grande. Foi feito exame de toque e verificado que havia outro feto: a jovem estava grávida de gêmeos sem saber. Segundo ela, no primeiro exame só foi confirmado um bebê.

O ultrassom foi feito pela própria médica, que, segundo a família, havia recusado fazer o exame no primeiro atendimento, ainda no dia anterior. “Ela disse que não tinha ninguém para fazer o exame e que ela não poderia fazer”, fala Leila.

Além de confirmar a gravidez de gêmeos, o ultrassom constatou que o feto também não respirava e foi retirado. A família foi então orientada a deixar os fetos no hospital, para necropsia, e a buscar o laudo no dia 22 de fevereiro. De acordo com Leila, nem ela e nem a filha assinaram qualquer documento no hospital.

Agora, mãe, filha e a Associação de Erros Médicos dizem que a pomada prescrita pela médica é indicada somente até o terceiro mês de gestação e que não assinaram qualquer documento sobre os fetos. Diante disso, denunciaram o atendimento ao MPF e vão comunicar o caso também à Comissão de Direitos Humanos da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil). Elas querem poder enterrar os gêmeos.

Fundador e presidente da Associação há cinco anos, Valdemar Moraes, disse que pode ter havido ocultação de cadáver e a Justiça será acionada para verificar o caso. Ele também não descarta pedido de indenização. O HU apura o caso.



Edmund Burke você foi categórico e justo na sua afirmação. O Metronidazol de forma nenhuma é prejudicial durante o segundo e terceiro trimestre inclusive existem estudos que comprovam sua segurança também por via oral. Essa Indústria de Indenização e Erro Médico chega a ser podre pois usa do sofrimento alheio para se promover. Com certeza há um advogado induzindo essa mãe a investir em uma causa falha. Pena que depois dessa história muitas mães deixarão de usar o Metronidazol por conta própria e teremos um "Boom" de Partos Pré-Termo com todos suas complicações.
 
Marcelo Rondi em 19/02/2013 15:49:06
e muita negligencia nesses hospitais uma amiga minha perdeu o bebe no dia 16 de fevereiro por falta de atendimento rigoroso ela estava com muita dor quando deu a entrada no hospital e a medica mandou ela ir p a casa com muita dor voltou para o hospital fizeram a ultrasson perceberam que a criança estava morta resolveram fazer a cesaria. gente tem q fazer alguma coisa cade o prefeito tem que colocar profisionais copetentes nestes hospitais
 
ROSEMEIRE DA SILVA LIMA em 19/02/2013 14:30:54
É inevitável a minha curiosidade de saber quem é a obstetra dessa jovem... Quero passar longe de uma "profissional" como essa. Há uam série de fatores que geraram o aborto, porém é primordial um tratamento mais aencioso e cauteloso com uma gestante. Aff... Se qgente confia em medico e acontece isso... em quem confiar, só em Deus mesmo!
 
Joycemara Carrera a Cunha em 19/02/2013 09:37:22
Dos males o menor, claramente essas crianças não receberiam a criação adequada, a menina é mãe solteira, sem estudo, sem emprego e iria botar 2 rebentinhos no mundo ... maravilha heim? PEssoal vamos trabalhar e estudar antes de sair por ai botando filho no mundo para vó/vô/orfanto/febem/presidio cuidar...
 
Roberto Araujo em 19/02/2013 07:57:12
Ha um equivoco quanto ao que esta escrito na bula da medicaçao no caso de gravidez nao se deve usa¨-lo ate o terceiro mes de gestaçao pelo risco de causar deformidades no feto (teratogenicidade) periodo em que o feto esta sendo formado(organogenese). O que provavelmente aconteceu e que a paciente estava com infecçao urinaria e do aparelho ginecologico o que desencadeia o processo de abortamento.
 
marly pereira em 19/02/2013 06:20:36
Metronidazol não trata infecção urinária. Trata vaginose bacteriana, que na gravidez, quando sintomática, aumenta a taxa de pré-termo e suas consequências. Metronidazol implicaria em risco apenas no 1 trimestre da gravidez ( portanto, 5 meses já é segundo trimestre). Não existe evidência de prejuízo fetal com o uso de metronidazol em humanos(já existe metanálise e o CDC não desencoraja o seu uso). Claro que há erros médicos. Mas atenção para a indústria que se está criando. Essa sociedade de "erros médicos" não é bem orientada. Suas lideranças desconhecem o básico em saúde e pessoas em seu momento de desespero são utilizadas e expostas em troca de "justiça" e indenizações estapafúrdias. Querem uma medicina com indenizações a "la americana" pelo menos dêem aos médicos as mesmas condições.
 
Edmund Burke em 19/02/2013 00:01:29
Que este caso seja profundamente investigado e os culpados punidos. Chega de tanta negligência e impunidade. As pessoas de bem, que pagam seus impostos, que procuram, principalmente, por socorro médico, precisam ser respeitadas como seres humanos. Meus sinceros sentimentos a esta família.
 
joana cristaldo em 18/02/2013 21:37:59
Imagino a dor dessa mãe, pois nesta data eu estava sendo mãe e sendo a pessoa mais feliz do mundo. Infelizmente essa a saúde da nossa capital Campo Grande será que um dia vamos para de ler esse tipo de noticia, tão triste. Que Deus conforte essa família é só ele nessa hora.
 
Patricia Santos em 18/02/2013 18:56:15
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions