ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SEGUNDA  10    CAMPO GRANDE 18º

Capital

Guarda Municipal ganha medidor e agora promete multar quem abusar do som

O aparelho doado pela Semadur foi entregue hoje e será usado pelas equipes de Patrulha Ambiental

Por Geisy Garnes e Aletheya Alves | 02/07/2020 17:32
O aparelho doado pela Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana) foi entregue nesta quinta-feira (Foto: Paulo Francis)
O aparelho doado pela Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana) foi entregue nesta quinta-feira (Foto: Paulo Francis)

Nas próximas semanas a Guarda Civil Metropolitana vai contar com uma nova “arma” contra festas e aglomerações em Campo Grande. A partir de agora as equipes contam com um decibelímetro, medidor de nível sonoro, e poderão multar quem ultrapassar o potencial de emissão definido pela Prefeitura.

O aparelho doado pela Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana) foi entregue nesta quinta-feira (2) e será usado pelas equipes de Patrulha Ambiental da Guarda Municipal durante fiscalizações em pontos de aglomeração na cidade, frequentemente alvos de denúncias justamente pela poluição sonora.

Ao Campo Grande News o secretário da Sesdes (Secretaria Especial de Segurança e Defesa Social), Valério Azambuja, explicou que agora os guardas terão autonomia para aplicar infrações pelo crime.

Antes, quando os guardas eram chamados para esse tipo de ocorrência, só podiam comprovar o excesso de barulho se estivessem acompanhados de profissionais da Semadur. O problema é que com as equipes da secretaria municipal reduzidas durante a madrugada e nos fins de semana, além do grande volume de ações geradas pela pandemia, não era possível punir aos autores de todas as denúncias recebidas.

O equipamento será usado para a Patrulha Ambiental da Guarda Civil Metropolitana (Foto: Paulo Francis)
O equipamento será usado para a Patrulha Ambiental da Guarda Civil Metropolitana (Foto: Paulo Francis)

Agora, os próprios guardas poderão constatar o crime e aplicar o auto de infração e multa. “Era como se é como se a guarda estivesse desarmada. Agora ela está armada”. Essa ampliação na fiscalização, segundo o secretário, é essencial para coibir o crime de poluição sonora.

Para garantir o uso correto, 30 guardas municipais passarão por treinamento nas próximas semanas. Também foi entregue um calibrador para manutenção do medidor. Assim, o decibelímetro pode registrar quase todos os barulhos e determinar o potencial de emissão sonora a uma distância de 5 metros do local de origem do som.

O secretário adiantou ainda que esse é o primeiro aparelho com essa finalidade disponibilizado para a Guarda Civil Metropolitana, mas que em breve outros dois serão adquiridos pela secretaria. “Estamos na fase final da licitação de compra de dois medidores”, cada aparelho, com o calibrador, custa cerca de R$ 8 mil.

A contagem – O decibelímetro registra e transforma as vibrações dos ruídos em sinais elétricos, indicando o número de decibéis no ambiente.

Em Campo Grande, o máximo de emissão de ruído permitido depois das 22 horas é 60 dB em áreas predominantemente industrial. Nas áreas estritamente residenciais ou de hospitais e escolas o volume cai para 45 dB. Em áreas mistas, com predominância de atividades culturais, lazer e turismo, o valor é de 55 dB.

A Guarda recebe denúncias pelo telefone 153.