ACOMPANHE-NOS    
NOVEMBRO, SEXTA  26    CAMPO GRANDE 26º

Capital

Guarda perde arma após invadir loja com carro em briga por divisão de bens

Após episódio, Corregedoria-Geral da Guarda abriu procedimento interno

Por Dayene Paz | 26/10/2021 11:14
Loja foi parcialmente destruída. (Foto: Direto das Ruas)
Loja foi parcialmente destruída. (Foto: Direto das Ruas)

Guarda de 33 anos, que invadiu e destruiu uma loja de roupas no final da tarde desta segunda-feira (25), no Bairro Alves Pereira, região do Núcleo Habitacional Universitárias, em Campo Grande, cometeu o crime após discussão com a ex-esposa por divisão de bens. A Corregedoria-Geral da GCM (Guarda Civil Metropolitana) abriu procedimento interno e tomará a arma do servidor.

Na delegacia, a esposa do guarda, uma mulher de 30 anos, contou que foi casada por 12 anos com o autor, sendo que pediu a separação há 38 dias. Com a decisão, o homem saiu de casa e foi morar com a mãe. Então, a mulher entrou com processo na Justiça para separação e divisão de bens. Mas ao saber, o guarda retornou para casa, afirmando que cada um viveria sua vida, até decisão judicial.

Após determinado período, o homem conversou com a ex e pediu para que ela suspendesse a ação de divisão de bens e mantivesse apenas da separação, o que foi aceito pela mulher. O casal combinou que ela fizesse um levantamento dos bens e depois, fariam a divisão dos mesmos, incluindo duas lojas de roupas.

Nesta segunda, conforme relato em boletim de ocorrência, a mulher contou que estava na loja, localizada na Avenida Souza Lima, acompanhada das duas filhas e da ex-sogra, fazendo levantamento das mercadorias. Por volta das 17h30, o homem chegou ao local e questionou sobre os valores. Ao responder o valor, o suspeito teria se alterado, afirmando que a ex calculou errado.

Loja invadida por guarda. (Foto: Direto das Ruas)
Loja invadida por guarda. (Foto: Direto das Ruas)

Então, se iniciou uma discussão entre o casal na frente da loja. De acordo com o boletim, a mulher viu que o homem estava nervoso e entrou, mas ele começou a derrubar objetos da loja. Depois saiu, entrou no veículo VW Virtus e invadiu a loja com o carro, destruindo vitrines e outros objetos. A vítima diz ainda que ele engatou marcha ré duas vezes, já dentro da loja.

O suspeito então saiu com o Virtus, ficou dando voltas na quadra e poucos minutos depois, estacionou novamente na frente do comércio. Com medo, a mulher disse que acionou a Guarda, mas não ficou no local com as filhas. Ainda revelou que o marido está afastado da função, por problemas de saúde.

Outro lado - Ainda na noite de ontem, o guarda procurou espontaneamente a delegacia, onde confirmou que discutiu com a ex-esposa. No entanto, nega que tivesse a intenção de entrar com o carro na loja. Segundo ele, em depoimento registrado no boletim de ocorrência, após a discussão, ficou nervoso e foi até o carro esfriar a cabeça.

O guarda alega que quando deu partida para ligar o ar-condicionado, esbarrou no câmbio que é automático e perdeu o controle do carro. Ainda, dentro da loja, tentou sair duas vezes, mas não conseguiu pelo nervosismo.

Arma - A Sesdes (Secretaria Especial de Segurança e Defesa Social) afirmou, por meio de nota, que tomará as medidas legais no âmbito interno, via Corregedoria-Geral, visando apurar responsabilidade disciplinar do servidor. "Como o servidor possui porte de arma institucional, as medidas legais serão adotadas na forma da lei. Como medida cautelar, será determinado o recolhimento do armamento e suspensão do porte de arma".

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário