ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, QUINTA  23    CAMPO GRANDE 32º

Capital

Hackers alteravam processos federais para sacar indenização em Campo Grande

Eles invadiam as ações do TRF3 para obter vantagens financeiras e viraram alvo de Operação da PF nesta quarta

Por Geisy Garnes | 19/05/2021 14:37
Operação foi realizada pela Polícia Civil nesta manhã (Foto: Henroque Kawaminami/Arquivo)
Operação foi realizada pela Polícia Civil nesta manhã (Foto: Henroque Kawaminami/Arquivo)

Policiais federais foram as ruas de Campo Grande nesta quarta-feira (19) para prender dois hackers acusados de invadir e manipular processos no sistema PJe (Processo Judicial Eletrônico) do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3). Um dos alvos foi localizado, mas o segundo suspeito é considerado foragido.

Os mandados de prisão foram expedidos da 7ª Vara Federal Criminal de São Paulo. As investigações da chamada Operação Escalada Cibernética começaram depois que dois magistrados da Justiça Federal em São Paulo perceberam alteração em documentos, com uso fraudulento de suas assinaturas e comunicaram imediatamente a corte.

A apuração da ação criminosa foi realizada pela inteligência do Tribunal Regional Federal da 3ª Região e depois repassada a Polícia Federal.

Segundo a investigação, os hackers usavam certificados digitais falsos e contas sequestradas, para tentar obter vantagens pessoais e financeiras. Eles alteravam nomes de beneficiários em levantamento de valores em processos com tramitação na Justiça Federal em São Paulo, entre outras manipulações.

Os criminosos tentaram evitar o rastreamento da navegação, mas a investigação da Polícia Federal identificou os dois em Campo Grande. Um deles foi preso nesta manhã, mas o outro não foi encontrado e é considerado foragido. Conforme a polícia, o suspeito já possuí passagem por crimes semelhantes. A PF também realizou busca e apreensão nos endereços dos suspeitos.

Pela invasão aos sistemas da Justiça Federal, eles podem responder pelos crimes de uso de documento falso, furto qualificado e invasão de dispositivo informático. O processo tramita sob sigilo.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário