ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, SEXTA  12    CAMPO GRANDE 11º

Capital

“Herói” na web, PM morto pelo Choque aplaudiu prisão de ladrão e “CPF cancelado”

Cabo Almir Barros, no 10º Batalhão da Polícia Militar, era suspeito de integrar quadrilha de traficantes

Por Anahi Zurutuza | 22/06/2024 11:21
Em janeiro, policial militar compartilhou postagem sobre morte de traficante em confronto (Foto: Reprodução)
Em janeiro, policial militar compartilhou postagem sobre morte de traficante em confronto (Foto: Reprodução)

Homenageado em página conhecida em Campo Grande por enaltecer o trabalho da polícia em 2021, o policial militar morto pelo Batalhão de Choque durante abordagem de quadrilha investigada por roubar carga de droga de grupo de traficantes rivais, já fez questão de divulgar “notícia” sobre óbito em confronto.

Em janeiro do ano passado, o cabo Almir Figueiredo Barros Junior compartilhou no Facebook postagem da fanpage que informava a morte de traficante durante suposta troca de tiros com policial da Força Tática da PM, mais um “CPF cancelado” como se diz no jargão popular de quem comemora mortes de suspeitos em abordagens policiais.

“Vagabundo morre em troca de tiros com a Força Tática”, diz o post sobre a ocorrência registrada no dia 13 de janeiro de 2023, quando Bruno Lander Alves de Matos, de 33 anos, homem com extensa ficha criminal conhecido como "Pura Maldade" da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), segundo a PM, morreu no loteamento Rancho Alegre, em Campo Grande.

O cabo da PM também já comemorou publicamente a prisão de um suspeito de furto no Bairro Aero Rancho, região onde atuava. “Servindo e protegendo a sociedade de bem”, expressou ao postar transmissão ao vivo que noticiava a ocorrência em 17 de agosto de 2022.

Prisão de ladrão também foi divulgada por cabo da PM (Foto: Reprodução)
Prisão de ladrão também foi divulgada por cabo da PM (Foto: Reprodução)

Homenagem - Ainda no universo on-line, Barros foi protagonista de história de heroísmo. Em março de 2021, a referida página nas redes sociais, mantida por fã da polícia, rasgou elogios para cabo Almir por salvar casal de chilenos que se afogava no mar do Rio de Janeiro, onde passava férias com família. “Parabéns ao policial que, mesmo de férias, não mediu esforços para atender quem precisava”, diz o post que ostenta foto do PM.

O cabo divulgava ainda, em 2022 ao menos, o que ele chama o “outro lado da vida”. Em foto que aparece sem farda, mas uniformizado para atender a clientes de comércio de carnes assada, ele disse: “Sem luta não há vitória... Foco, força, perseverança, essa é a receita do sucesso. Com garra e juntos iremos vencer. Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”.

Homenagem feita em fanpage ao cabo da PM que foi morto em confronto (Foto: Reprodução)
Homenagem feita em fanpage ao cabo da PM que foi morto em confronto (Foto: Reprodução)

Confronto e morte – O cabo Almir foi morto no fim da tarde desta sexta-feira (21) durante abordagem na região do Indubrasil, núcleo industrial de Campo Grande.

Conforme apurado pela Inteligência da Polícia Militar, policiais integrantes de quadrilha de traficantes sequestraram motorista de um caminhão para roubar 90 quilos de maconha.

O plano descoberto terminou em troca de tiros e na morte de duas, além do PM, homem identificado como Jorcinei Junior Sabia Gil da Silva, de 25 anos.

Os fatos tiveram início na tarde de ontem, mas o boletim de ocorrência só foi finalizado na manhã deste sábado (22). Nele, o Batalhão de Choque da PM explica que recebeu informação de que um caminhão com droga acessaria a Capital através da BR-262 e a carga seria roubada por um grupo rival.

Então, militares da inteligência se posicionaram na região do Indubrasil para vigiar os suspeitos e viram a aproximação de um caminhão azul, sendo seguido de perto por um Toyota Corolla.

Na Rua Barra dos Bugres, os ocupantes do carro sinalizaram para que o motorista do caminhão parasse, o que foi feito. Na sequência, o condutor foi retirado do caminhão e colocado em um veículo sedan branco. Então, o veículo de carga seguiu conduzido por outra pessoa e escoltado pelo Corolla.

Segundo o boletim, caminhão e Toyota seguiram até uma chácara na Rua Cláudio Augusto, na Vila Romana. Lá, cinco suspeitos passaram a cortar a lataria do veículo de carga e foi o momento que o Choque decidiu abordá-los. Contudo, todos correram para a vegetação ao redor.

Dois deles foram cercados e, de acordo com o Choque, resistiram com armas de fogo. “Não restou alternativas aos policiais, se não o também emprego de armas de fogo para neutralizar a injusta agressão desencadeada pelos marginais”.

Sítio onde aconteceu o confronto foi isolado para a realização da perícia criminal (Foto: Osmar Daniel)
Sítio onde aconteceu o confronto foi isolado para a realização da perícia criminal (Foto: Osmar Daniel)

Os dois foram socorridos em estado grave e morreram antes de chegar na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Bairro Santa Mônica. Profissionais da equipe médica informaram à reportagem que já não havia o que fazer para salvar o cabo Almir Barros e Jorcinei Junior. Por isso, só constataram o óbito e acionaram a funerária de plantão.

Um segundo policial que fazia parte do bando. Laércio Alves dos Santos, foi surpreendido próximo a BR-262 e acabou preso. Ele é o dono do Corolla que escoltou o caminhão. O resto da quadrilha conseguiu fugir.

O proprietário da chácara informou que alugou a propriedade para Marciano da Encarnação, que tinha objetivo de abrigar o grupo. O locador do sítio também fugiu correndo pela vegetação, mas abandonou seu carro na chácara.

A droga foi encontrada em um compartimento do caminhão e no estepe, totalizando 90 quilos, em embalagens de “oferta“. “O motorista do caminhão, supostamente sequestrado, não foi encontrado pelas equipes policiais”, conclui o boletim de ocorrência.

Em nota enviada à imprensa, a PMMS (Polícia Militar de Mato Grosso do Sul) disse que o policial preso foi encaminhado ao Presídio Militar Estadual, onde todos os procedimentos legais serão tomados. “A perícia técnica do Estado foi acionada recolhendo todos os indícios e vestígios e a ação será investigada por meio de um Inquérito Policial Militar. Esclarecemos que a PMMS não coaduna com qualquer desvio de conduta por parte de seus integrantes”.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias