ACOMPANHE-NOS    
MAIO, SÁBADO  28    CAMPO GRANDE 23º

Capital

Homem que matou namorado da ex alega legítima defesa

Antônio Carlos Medeiros Veiga, de 55 anos, estava com dois advogados e entregou a arma do crime

Por Clayton Neves e Ana Beatriz Rodrigues | 13/05/2022 15:19
Arma usada no crime foi apreendida pela polícia. (Foto: 5ª Delegacia de Polícia Civil)
Arma usada no crime foi apreendida pela polícia. (Foto: 5ª Delegacia de Polícia Civil)

Em depoimento prestado na manhã de hoje (13), Antônio Carlos Medeiros Veiga, de 55 anos,  alegou legítima defesa para o assassinato de Fabiano Schmidt, de 42 anos, morto com cinco tiros na tarde de domingo (8), em um bar no Jardim Colibri. No entanto, a versão não convenceu equipe de investigação, que identificou elementos para acreditar que o crime tenha sido premeditado, porque o suspeito não aceitava o relacionamento da vítima com a ex-mulher, com quem foi casado por 7 anos.

“A versão apresentada por ele é totalmente incompatível com o que apuramos até o momento", comentou o delegado Rodolfo Daltro, responsável pelo caso. De acordo com ele, pedido de prisão preventiva foi feito contra Antônio, porém, a Justiça ainda não deu retorno sobre o requerimento. Por esse motivo, como não havia flagrante, o suspeito foi ouvido e liberado.

Acompanhado de dois advogados, Antônio Carlos foi até à 5ª Delegacia de Polícia Civil e entregou o revólver calibre 38 usado na execução. Ele disse que tinha a arma para se proteger, porque trabalhava como caminhoneiro. Desde que discutiu com Fabiano, em fevereiro deste ano, passou a andar sempre armado.

Imagens de câmeras de segurança as quais a polícia teve acesso mostram o criminoso passando de moto por várias vezes em frente ao bar onde a ex-mulher estava com o atual namorado. “O vídeo mostra que depois, ele entra e atira uma vez na direção do Fabiano. A ex-mulher entra na frente e tenta impedir, mas ele a empurra e atira outras quatro vezes na vítima”, explica o delegado Rodolfo Daltro.

Em depoimento, Antônio disse que estava em uma festa próxima ao bar e que passou a andar pelo bar em busca de bebida, por isso, teria passado várias vezes em frente ao estabelecimento. Quando decidiu parar, afirmou que foi atacado por Fabiano e, por isso, deu o primeiro disparo. Questionado por que continuou atirando, confessou que “ficou fora de si”.

Familiares de Fabiano contaram que ele já havia sido ameaçado pelo autor, que não aceitava o novo relacionamento da ex, no entanto, revelaram que ele não chegou a procurar a polícia para denunciar os episódios. A ex-mulher do criminoso também tem medida protetiva contra ele, porque foi agredida e ameaçada.

Nos siga no Google Notícias