ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SÁBADO  13    CAMPO GRANDE 17º

Capital

Após namorado ser morto pelo ex, mulher relata ataques e perseguição

Auxiliar de limpeza contou que após o crime, teve de se esconder em bar para não ser agredida

Por Clayton Neves | 12/05/2022 15:46
Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Depois de passar pelo trauma de ver o namorado ser executado a tiros pelo ex-marido, uma auxiliar de limpeza de 37 anos enfrenta perseguição de amigos da vítima, que a culpam pela tragédia que terminou em assassinato. Inconformado com o término, Antônio Carlos Medeiros Veiga, de 55 anos, atirou e matou Fabiano Schmidt, de 42 anos, em um bar no Jardim Colibri II. Ele não aceitava o novo relacionamento da ex-mulher.

Fabiano Schmidt morreu após ser baleado em bar onde estava com a namorada. (Foto: Direto das Ruas)
Fabiano Schmidt morreu após ser baleado em bar onde estava com a namorada. (Foto: Direto das Ruas)

Ao Campo Grande News, a mulher, que prefere não ser identificada por medo de represália, afirma que estava com Fabiano no momento em que Antônio entrou no estabelecimento armado e surpreendeu a todos. “Eu avancei nele, tentei segurar, mas ele me empurrou e disse que me mataria também”, conta.

Logo após o crime, ainda com a vítima ferida no chão, começaram os ataques à mulher. A trabalhadora foi encurralada por amigos de Fabiano, que passaram a culpá-la pela situação. “O povo queria me bater, o dono do bar teve de espantar e chamar a polícia”, relata.

Agora, dias depois do crime, ela revela que passou a ser insultada nas redes sociais. “Estão me culpando. Falam que sou sem vergonha, que sou mulher que larga de um e fica com outro e que eu deveria estar comendo capim junto com o Fabiano. Para quem está de fora, julgar é fácil, mas ninguém sabe da nossa história e o que passamos”, completa.

Antônio Carlos Medeiros tem 55 anos e é o principal suspeito do crime. (Foto: Direto das Ruas)
Antônio Carlos Medeiros tem 55 anos e é o principal suspeito do crime. (Foto: Direto das Ruas)

Com medo de ser morta por Antônio ou atacada pelos amigos do ex-namorado, a mulher disse que se vê obrigada a ficar longe das ruas e da casa onde mora. “Estou aterrorizada. Não posso sair de casa e sei que não vou ter paz enquanto, pelo menos, ele estiver preso”, desabafa.

Depois de quase 7 anos, o relacionamento de Antônio com a ex- chegou ao fim, até então, de forma amigável. Cerca de sete meses após o término, ela passou a se relacionar com Fabiano. Aproximação que começou em dezembro do ano passado.

“Jamais esperei que o Antônio pudesse fazer isso. Terminamos numa boa, mas agora, estou desesperada e passando por essa tragédia”, finaliza.

O caso - Antônio Carlos Medeiros Veiga, de 55 anos, é o principal suspeito de, na tarde de domingo (8), matar a tiros Fabiano Schmidt, 42 anos, em um bar no Jardim Colibri II, em Campo Grande. O autor dos disparos é ex-marido da mulher com quem a vítima estava namorando, no entanto, mesmo separados há sete meses, ele não aceitava o fim do relacionamento.

De acordo com informações do boletim de ocorrência, testemunhas contaram que antes de entrar no bar e abrir fogo, Antônio Carlos passou duas vezes analisando o local. A ex-mulher dele, de 37 anos, estava no estabelecimento com Fabiano, o atual companheiro. Ela tinha medida protetiva contra o criminoso, solicitada após ser agredida por ele.

Familiares de Fabiano contaram que ele já havia sido ameaçado pelo autor, que não aceitava o novo relacionamento da ex, no entanto, revelaram que ele não chegou a procurar a polícia para denunciar os episódios.

O delegado do Cepol (Centro Especializado de Polícia Integrada), Fabrício Dias, explicou que houve disparo na cabeça e outro na região do ombro - este que saiu pelo abdômen de Fabiano.

Nos siga no Google Notícias